Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
10 Jan, 2020 - 15:22

Época da lampreia: onde comer um prato que se ama ou odeia

Mónica Carvalho

Está aí a época da lampreia e há quem percorra quilómetros para se deliciar com uma das iguarias mais irreverentes do país. Siga o nosso roteiro.

Prato de lampreia num restaurante

Chegados à época da lampreia muita gente põe-se a caminho para um tour gastronómico que só acaba em meados de abril.

E não há como negar: neste caso ou se ama ou se odeia, mas quando se ama, é mesmo a valer. É um daqueles amores que ninguém explica, mas que obrigada a muito. Inclusivamente a esperar ansiosamente todo o ano pela época própria para o consumo e, quando a mesma chega, percorrer os quilómetros necessários para ir ao restaurante predileto.

Nalguns pontos do país, já começou mais uma temporada gastronómica dedicada, nomeadamente por terras minhotas, prevendo-se que seja uma safra bem positiva.

Segundo os homens da faina, este deve ser dos melhores janeiros de sempre. Os prognósticos auspiciam que seja uma boa safra.

Conheça as melhores receitas para preparar lampreia

É que a chuva intensa que caiu nos últimos meses ajudou que a água doce entrasse no mar e trouxesse mais rapidamente o peixe para o rio, para a desova.

A tradição associação a pesca e consumo da lampreia ao Norte e aos rios Minho e Lima, onde é capturada em bom número e são realizados vários festivais gastronómicos, tendo este peixe como protagonista. Saiba onde pode comer e os eventos que não pode perder.

época da lampreia: Onde comer?

Lampreia com batata cozida

Assim, até meados de abril é possível comer, mas sem precisar de chorar por mais, pois há muitos e bons restaurantes onde a época da lampreia é lavada muito a sério. Conheça alguns.

O Moinho, Ponte da Barca

A ementa é do restaurante O Moinho reúne as especialidades da região, e claro que não poderia faltar a lampreia, que é ali tratada com esmero. Repare: após a captura do peixe, ele é mantido vivo em tanques cavados no leito do rio, em ambiente natural, até chegar a hora da confeção. E aí há duas formas bem tradicionais de o fazer: arroz de lampreia ou lampreia à bordalesa.

  • Morada: Largo do Corro 1, 4980-614 Pte. da Barca
  • Contacto: 258 452 035

A Carvalheira, Ponte de Lima

A Carvalheira abriu as suas portas em 1995 é um dos restaurantes mais conhecidos e procurados no Alto Minho e em Ponte de Lima.

Não é, então, de estranhar, que na época da lampreia este petisco esteja num cardápio bem típico e tradicional, o que faz deste um local de romaria em época especial.

  • Morada: Rua do Eido Velho, nº 73, Fornelos – 4990-620 Ponte de Lima
  • Contacto: 258 742 316

Adega do Sossego, Melgaço

Também a Norte, encontra a Adega do Sossego, um incrível restaurante em Melgaço onde pode saborear receitas antigas, como se estivesse em casa da sua avó.

E até a decoração ajuda na criação dessa memória, pois o restaurante encontra-se localizado numa casa rural antiga, com vigas de madeira no teto e paredes em pedra. Na época da lampreia está sempre cheio.

  • Morada: Peso – Paderne, Melgaço
  • Contacto: 251 404 308

O Gaveto, Matosinhos

O Gaveto enquadra-se na tradição gastronómica da cidade de Matosinhos, conhecida pela sua ligação ao peixe fresco e marisco e, nesse sentido, e já mais central e acessível, é também uma boa opção para quem gosta de lampreia.

Pode sempre contar com produtos bem frescos e uma confeção tradicional, que vão deixar qualquer um fã.

  • Morada: Rua Roberto Ivens 824, 4450-279 Matosinhos
  • Contacto: 229 378 796

Solar dos Presuntos

Se está pela capital, também por lá existem bons restaurantes para nesta época da lampreia apreciar o ciclóstomo de que tanto se fala. O Solar dos Presuntos é um bom exemplo.

Possui uma gastronomia tradicional, com forte influência da cozinha regional minhota, daí ter este peixe sazonal no seu cardápio.

  • Morada: Rua Portas de Santo Antão, 150 – 1150-269 Lisboa
  • Contacto: 213 424 253

Época da lampreia: Festivais gastronómicos

Duas lampreias

A lampreia reúne uma verdadeira legião de fãs e, a somar ao facto de ser um produto sazonal, são muitos os festivais realizados para enaltecer este peixe e todas as iguarias que com ele podem ser confecionadas. Conheça alguns.

Festival Gastronómico Sabores da Lampreia, Valença

No fim de semana de 13 a 15 de março, decorre aquele que é considerado o maior festival de Portugal dedicado a este ciclóstomo e um dos maiores do mundo.

Nessa altura, todos os rumos vão dar a Valença, que se prepara com luxo para o evento tradicional e cujos segredos da preparação, confeção e apresentação, têm passado de geração em geração, sempre por mãos bem hábeis e sábias, para que não se perca uma peça da história da região.

Não faltam os pratos tradicionais: lampreia à bordalesa ou arroz de lampreia, mas também é o local indicado para experimentar algumas inovações gastronómicas.

5ª edição do Rali Gastronómico – Monção

Monção também se prepara de forma especial para a época da lampreia, com um evento muito especial: o Rali Gastronómico, que irá decorrer de 29 de fevereiro a 01 de março.

A iniciativa consiste num circuito pelos bares aderentes à iniciativa, localizados no centro histórico, onde cada um vai apresentar um acepipe feito com lampreia. Esse percurso pode ser feito em comboio turístico, disponível com esse propósito.

Lampreia do Rio Minho, Minho

“Lampreia do Rio Minho – Um Prato de Excelência” é um evento promovido pela ADRIMINHO e pelos seis municípios do Vale do Minho: Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Valença e Vila Nova de Cerveira.

Trata-se de uma oportunidade singular para saborear um dos pratos mais genuínos da gastronomia tradicional e para descobrir os encantos dos diferentes concelhos que participam.

Época da lampreia: até há uma confraria

Lampreia à bordalesa

É mesmo verdade! A Confraria da Lampreia de Penacova foi fundada a 3 de agosto de 2006, com o objetivo de defender e promover a “gastronomia tradicional portuguesa e, em particular, a gastronomia do concelho, sendo a lampreia à moda de Penacova o prato mais conhecido.”

O traje destes confrades é composto por capote, chapéu preto e aba larga, fato e sapatos pretos, camisa branca e gravata. Usam-se ainda as insígnias, das quais se destaca medalha branca e azul que simboliza a água do rio e as ondas do mar, numa clara alusão à famosa lampreia.

Veja também