Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Bárbara do Carmo
Bárbara do Carmo
13 Jan, 2020 - 11:25

Macau: viagem até onde Portugal e a China se encontram

Bárbara do Carmo

Foi uma das últimas parcelas do imenso império colonial português. Macau mantém muitas marcas da lusofonia, mas o domínio chinês já é bem visível.

Igresja de São Paulo em Macau

Foram mais de quatro séculos de domínio português, marcas que perduraram no tempo, e que hoje tornam uma visita a Macau numa experiência única de mescla entre os costumes orientais e as tradições portuguesas. 

Localizado no sul da China a 70 quilómetros de Hong Kong e banhado pelo pacífico, Macau tem pouco mais de 30 mil quilómetros quadrados.

Trata-se assim de um território pequeno, que agrega cultura, a adrenalina do jogo e um património histórico e arquitetónico impressionante. 

Mas, para visitar Macau, a não ser que queira experimentar a noite animada dos casinos, um dia pode ser suficiente. Hong Kong costuma ser a porta de entrada, com viagem de ferry que demora pouco mais de uma hora.

E para ter uma experiência completa, sugerimos um roteiro de dois dias que inclui tudo a que tem direito: um dia a explorar o centro histórico da região, uma noite na mesa de poker e um roteiro gastronómico de deixar água na boca. 

Macau: Um dia para explorar o património

Templo em Macau

Ao chegar ao porto de Macau, apanhe um autocarro ou um táxi até ao centro histórico. São cerca de de 3 quilómetros, por isso em dez minutos estará em pleno coração de Macau – Largo do Senado.

Pode ainda optar por uma caminhada, e começar assim a embrenhar-se no caos em altura dos arredores – afinal são cerca de 670 mil habitantes num território consideravelmente pequeno.  

Depois, siga para o Largo do Senado, antigo centro da vida política e económica de Macau e hoje é uma das artérias principais. Aqui os edifícios imponentes, estilo neoclássico, remontam à época colonial, e a calçada portuguesa trazem-nos de volta a Lisboa. 

Daqui, visite a Casa Lou Ka, uma casa tradicional chinesa com influência portuguesa que representa um exemplo arquitetónico do passado da região. 

Não deve ainda perder o Largo São Domingos, a caminho daquela que é talvez a atração turística mais conhecida de Macau, as Ruínas de São Paulo.

Estas ruínas jesuítas são o que resta da Igreja da Madre de Deus, destruída por um incêndio em 1835, constituem um vestígio único do passado religioso católico. Logo ao lado a Calçada do Amparo, uma zona cheia de dinamismo que tem atraído várias indústrias criativas.

Mercado Vermelho

Um pouco mais a norte tem a Fundação Oriente e o Jardim Luís de Camões, que é uma excelente opção para uma pausa ao almoço. A cerca de 15 minutos está o Mercado Vermelho, uma experiência a não perder.

Aqui vai encontrar tudo – desde os ingredientes mais tradicionais da comida chinesa aos mais bizarros, e pode inclusivamente parar para comer numa das bancas.

A sul de Macau a Casa do Mandarim – um grande complexo habitacional, que pertenceu a Zheng Guanying um intelectual chinês. São 4000 metros quadrados de arquitetura imponente que merecem uma visita.

Na mesma zona,o Templo de A-Má – vários pavilhões perfeitamente enquadrados dedicados a várias divindades. Edifícios ornamentados com várias figuras mitológicas do budismo, ao taoísmo e a múltiplas crenças populares. 

E antes de passar para a vida nocturna macaense, visite a Torre de Macau, um edifício com 338 metros de altura e com um panorâmica incrível sobre Macau. Além de poder comer no restaurante giratório, no topo da torre, pode ainda aventurar-se um salto de bungee jumping. 

Aventure-se nos casinos e na gastronomia de fusão 

Casinos em Macau

Ao cair da noite aproveite para experimentar a culinária macaense, uma verdadeira explosão de cultura a cada dentada.

Experimente a Sopa de barbatana de tubarão, sopa de lacassá e porco, os dim sum, cabidela de pato, caril de galinha, ou o balichão, um molho tradicional que acompanha vários pratos.

Já na ilha de Taipa vai encontrar o coração de Las Vegas do Oriente. Porta sim, porta sim é a entrada para um casino. Dos mais sofisticados ao mais antigos, vale tudo nesta zona da cidade.

Se está disposto a isso embarque na aventura e aproveite para assistir aos inúmeros shows de entretenimentos que os diferentes casinos oferecem. 

Como chegar?

Há voos a sair de Lisboa com preços a começar nos 600€ por pessoa. O ideal é incluir a visita a Macau na sua viagem à China, ou a Sudeste Asiático.

Onde ficar?

Se escolher pernoitar em Macau, o Hotel Wynn Macau é uma ótima opção. A preços mais acessíveis o Hotel Lisboa, que tem casino incluído, ou o Hotel Royal Macau.

Onde comer?

Restaurantes portugueses não vão faltar em Macau, com aquele twist chinês à nossa comida tradicional. O mais famoso é o Fernando’s, com o seu aspecto de tasca tradicional portuguesa.

A não perder as amêijoas e o leitão. Se quer continuar a viagem pelos sabores do oriente visite o Lotus Palace ou o Dynasty 8 onde a comida asiática é servida ao mais alto nível.

Veja também