ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Elsa Santos
Elsa Santos
20 Abr, 2021 - 11:31

Manipulação no trabalho: como identificar e combater

Elsa Santos

A manipulação no trabalho é uma realidade e pode colocar em causa a sua carreira e a sua saúde. Conheça os sinais e saiba o que fazer para a evitar ou combater.

homem a sofrer de manipulação no trabalho

Provavelmente já ouviu falar do assunto ou talvez já tenha sido vitima de manipulação no trabalho. Este é um problema mais comum do que imagina, ainda que em alguns casos desvalorizado ou escondido.

Mesmo em teletrabalho, o problema pode persistir.

Saiba o que deve ter em conta.

Tudo sobre manipulação no trabalho

Antes de mais, vale a pena (re)lembrar o significado do termo.

Manipulação

Manipulação, no sentido figurado, de acordo com a definição do dicionário da Língua Portuguesa, significa condicionar; influenciar, geralmente em proveito próprio; adulterar; falsificar.

A definição encaixa, de um modo muito particular, no contexto laboral. Verifica-se em pouco por todo o mundo, sobretudo em empresas de alguma dimensão.

A manipulação no trabalho compromete a motivação, o desempenho e, no limite, a saúde da vitima, podendo levar à depressão ou outros quadros clínicos. É fundamental estar atento, identificar os sinais e evitar/combater o problema.

Como identificar

Está a sofrer manipulação no trabalho? Saiba como identificar o problema.

Um dos primeiros sinais de alarme relaciona-se com o desconforto que sente em contexto laboral. Pode até nem exercer a sua profissão de sonho, mas isso não implica sentir-se mal no seu papel. Por outro lado, pode adorar o que faz, mas haver algo que o “prende” e lhe causa sofrimento.

Se sente que há alguém que o ataca constantemente, diminuindo o seu trabalho ou valor, por exemplo, ou se se sente constantemente angustiado e que o que faz nunca é o suficiente, se tem medo de expor as suas ideias, esses podem ser sinais de manipulação no trabalho.

E atenção, essa pode ser exercida por colegas ou superiores hierárquicos. A autoridade do cargo assumido dá maior vantagem ao manipulador o que pode representar, também, uma maior dificuldade para por termo ao problema.

5 sinais de manipulação no trabalho

Para perceber se está a ser vitima de manipulação no trabalho há que identificar algumas ações praticadas, habitualmente, pelo manipulador. Reunimos uma lista:

1

Pergunta muito

Perguntar é, em princípio, uma boa forma de conhecer as outras pessoas, de manter uma conversa e criar uma relação.

No entanto, perguntar demasiado, incluindo quando tal é inoportuno ou desadequado, não é normal. Esta é, sim, uma maneira de um manipulador obter informação e descobrir as fraquezas para as usar contra a vítima.

2

Critica-o frequentemente

Criticar ou ridicularizar a vitima é um dos sinais mais evidentes de quem pratica manipulação no trabalho. É, assim, uma maneira de atacar a reputação e minar a auto-estima da vitima. Assim, terá mais poder sobre ela.

3

Pede pouco e, depois, muito

Aquele que quer manipular, começa por pedir algo muito simples ao trabalhador, solicitando “ajuda”. Esta é uma forma de o comprometer, para depois pedir algo muito complexo a que a vitima se sente “obrigada” a dar resposta.

4

Mente

Mentir é algo que um manipulador faz muito bem. Ele pode mesmo deturpar acontecimentos ou situações, levando a vítima a acreditar que está a enlouquecer. Um sinal grave de manipulação que em inglês se denomina de “gaslighting”.

5

Isola a vítima

O isolamento da vítima, no espaço de trabalho também é um sinal importante que tem como objetivo evitar testemunhas.

Estes são apenas alguns, entre muitos outros, dos sinais a que deve estar atento para identificar um manipulador.

Combater a manipulação no trabalho: instrumentos e aliados

Por muito difícil que possa parecer, é possível contrariar a situação. Para isso, é essencial que depois de identificar os sinais, perceba quais as melhores ferramentas para fazer frente à manipulação no trabalho.

Recorrer a profissionais que conheçam esta realidade e possam ajudar fará uma grande diferença. Afinal, ninguém vence uma “guerra” sozinho, é importante reunir bons aliados. Dessa forma, as suas ações de combate serão mais assertivas e, consequentemente, mais eficazes.

Há, no entanto, passos simples que pode dar no sentido de evitar ou combater o problema.

Distinguir manipulação de influência

A linha entre influenciar e manipular é muito ténue. Alguém que mente, por exemplo, pode estar a usar a manipulação para conseguir alguma influência. Assim, é importante saber diferenciar as intenções dos colegas ou superiores.

Uma forma de discernir os conceitos é pensar que numa negociação, por exemplo, as pessoas tentam exercer o seu poder de influência sobre o outro e isso é normal, já que o objetivo é entrar em acordo.

Já na manipulação, uma das partes leva o outro a acreditar em algumas premissas a fim de se beneficiar, sem dizer explicitamente quais seriam os benefícios e até omitindo a sua existência.

Ou seja, um manipulador controla os comportamentos e decisões dos outros para conseguir o que quer, pensando apenas em si próprio.

O resultado da manipulação no trabalho é um ambiente tóxico que causa desconforto e sofrimento à vitima, impedindo a mesma de evoluir.

Manter a distância

Esta é uma das melhores formas de se proteger, pois impede o manipulador de agir. No entanto, ele pode insistir em aproximar-se e nesse pode ser o momento de dizer”não”. Ao perceber que a vitima já entendeu a sua intenção, é bem provável que ele desista.

Caso seja alvo de manipulação no trabalho é muito importante que seja profissional, mantenha a situação controlada e, se possível, reúna “provas”, como contactos. Se for caso disso, exponha a situação à chefia ou mesmo aos Recursos Humanos da entidade empregadora.

Saber negociar

Para evitar qualquer situação em que saia a perder, tente sempre negociar, mesmo que não tenha a certeza se estão, ou não, a tentar manipulá-lo. Isso implica expor a opinião e até mesmo dizer “não” de vez em quando.

A ideia é mostrar à outra pessoa que o poder de decisão e escolha também está nas suas mãos. Se tiver dificuldades de se impor, por exemplo, pode começar por propor novos caminhos em vez de apenas recusar. Assim, mostre o seu lado de forma positiva e abertura para conversar e ajudar.

Num processo de negociação, o conflito pode ser inevitável. Porém, isso é saudável para que os dois lados sejam reconhecidos.

Valorizar o autoconhecimento

Este ponto vale para muitas outras situações. Quanto mais se conhece e reconhece os seus pontos fortes e fracos, mais difícil é alguém conseguir manipulá-lo. Isso porque saberá melhor como reage e em que temas ou situações é mais suscetível às influências externas.

Outra vantagem do autoconhecimento é saber como lida em situações de perda, ou seja, em que outra pessoa sai a ganhar. Também vai conseguir identificar os momentos em que se sente ameaçado e, mesmo que involuntariamente, também tente manipular os outros.

Este é, portanto, um aspeto que deve ser muito valorizado, na vida em geral e no trabalho em particular.

Manipulação e teletrabalho

mulher em burnout e teletrabalho

Com a pandemia da COVID-19, os hábitos de trabalho mudaram para muitos profissionais e empresas, em Portugal e no mundo. O teletrabalho, imposto no primeiro confinamento, exigiu aprendizagens, meios, um adaptação em tempo recorde e, nalguns casos, enormes desafios.

Muito mudou. No entanto, apesar da distância física, a manipulação no trabalho pode não ter terminado, sobretudo se estivermos perante um manipulador que é superior hierárquico (chefe, coordenador) da vítima.

A violação do segredo de correspondência ou de telecomunicações, conforme o disposto no artigo 384º do Código do Trabalho, pode estar na base da manipulação. Ainda que contra a lei laboral, sabe-se que algumas entidades controlam os seus trabalhadores através do acesso remoto aos seus computadores e emails.

Para além disso, também a prática de assédio por parte de superiores hierárquicos ou colegas pode continuar a acontecer, relacionando-se diretamente com a manipulação no trabalho.

A exigência de trabalho fora do horário laboral, o controlo permanente, por exemplo, através de chamadas, criticas constantes ao trabalho realizado e prazos demasiado apertados, nomeadamente a trabalhadores com crianças a cargo, integram a lista de ações descritas por muitos profissionais em teletrabalho devido à pandemia.

No caso dos colegas, a situação poderá ser controlada mais facilmente. O distanciamento e a impossibilidade de isolamento da vitima podem, pelo menos, reduzir alguns sinais. Porém, em casos onde há um importante trabalho de equipa, há outros sinais que podem manter-se e levar a vitima a ceder sob pena de comprometer os resultados.

Em situações muito graves de manipulação no trabalho, em que o trabalhador identifique o problema, mas seja incapaz de se manifestar, poderá expor a situação à ACT – Autoridade para as Condições do Trabalho.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: editoria[email protected].