ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Ekonomista
Ekonomista
18 Jan, 2021 - 18:33

Governo anuncia medidas mais duras de confinamento

Ekonomista

Proibição de circulação entre concelhos ao fim de semana regressa e venda ao postigo passa a ser proibida. Fique a par de todas as medidas.

Proprietário a fechar restaurante devido à pandemia

O primeiro-ministro falou ao país após a reunião de Conselho de Ministros extraordinário marcado para esta segunda-feira para aprovar medidas mais restritivas ao confinamento.

António Costa começou por recordar o dever de recolhimento, apelando a todos os portugueses para que se mantenham em casa.

Anunciou que as escolas manter-se-ão abertas e listou um conjunto de medidas adicionais para combater a pandemia, nomeadamente:

  • É reposta a proibição de circulação entre concelhos ao fim de semana;
  • Todos os estabelecimentos de qualquer natureza devem encerrar às 20h à semana e às 13h ao fim de semana. A excepção é o retalho alimentar que ao fim de semana se pode prolongar até às 17h;
  • Proibida a venda ao postigo de qualquer estabelecimento não alimentar, como lojas de vestuário;
  • Proibida a venda ao postigo de qualquer tipo de bebida, mesmo cafés;
  • Proibida a permanência e o consumo de bens alimentares à porta de estabelecimentos ou nas suas imediações;
  • Encerrados todos os espaços de restauração em centros comerciais, mesmo em regime de take away;
  • Proibidos os saldos e promoções que promovam a deslocação de pessoas;
  • Proibida a permanência de pessoas em espaços públicos como jardins. Podem ser frequentados, mas não podem ser locais de permanência;
  • Pedida às autarquias a limitação do acesso a zonas que convidam à concentração de pessoas, como marginais, incluindo espaços para jogar ténis ou padel;
  • Encerradas universidades seniores, centros de dia e centros de convívio;
  • Deslocações para trabalho presencial vão necessitar de declaração escrita da entidade patronal;
  • Reforço da fiscalização da Autoridade para as Condições do Trabalho e das forças de segurança. O Governo pede presença mais visível na via pública da Polícia de Segurança Pública (PSP), em particular junto às escolas, de forma a servir de efeito dissuasor.
Veja também