Elsa Santos
Elsa Santos
20 Abr, 2020 - 11:40

Motivação para estudar: 6 dicas para ajudar o(s) seu(s) filho(s)

Elsa Santos

Encontrar motivação para estudar atualmente pode revelar-se um dos maiores desafios. Saiba o que pode fazer para ajudar a superar esta dificuldade.

mãe a ajudar filho nos trabalhos da escola e a arranjar motivação para estudar

O isolamento imposto pelo surto da COVID-19, trouxe alterações profundas ao sistema de ensino e entre as quais se destaca a motivação para estudar.

Manter o foco nas matérias escolares quando não se está na escola mas em casa, pode tornar-se difícil. Muito difícil. As rotinas, os horários, a disciplina, os materiais, os recursos, o espaço, nada é igual. Faltam os professores, a sala de aula e tudo o que faz o ambiente escolar.

Falta também, na maioria dos casos e das casas tempo. O tempo escasso dos pais em regime de teletrabalho, os irmãos que também requerem atenção, o computador ou a televisão que não chega para todos e um turbilhão de coisas para gerir.

A pandemia fechou famílias em casa e abriu as portas ao medo, à ansiedade, à agitação e também à apatia, sobretudo de crianças e jovens em idade escolar, como revelam os dados do inquérito do Observatório das Políticas de Educação e Formação.

Uma combinação de fatores pouco favorável compromete a motivação para estudar. Se é o caso do(s) seu(s) filhos e não sabe o fazer para o(s) ajudar, deixamos-lhe algumas dicas para resolver, ou minimizar, o problema.

6 PASSOS PARA MANTER A MOTIVAÇÃO PARA ESTUDAR

mãe a ajudar filho nos trabalhos da escola
1

Crie condições

As circunstâncias pedem adaptações a vários níveis. Quanto menos espaço e mais pessoas houver para o partilhar, mais complicado será conseguir garantir ótimas condições para todos. No entanto, com alguma organização e criatividade, consegue.

O ideal será que pais e filhos tenham, cada um a sua área de trabalho. Um na sala, outro no quarto ou em cantos distintos de uma mesma divisão da casa, é importante que cada um possa ter o seu espaço para poder desempenhar as suas funções. Assim, é possível reunir materiais, manter a concentração e a motivação para estudar. Pelo menos facilita.

No entanto, sabemos que para a maioria este é um cenário impossível. Portanto, garanta, pelo menos que em determinados momento, pré-definidos, as crianças ou jovens têm todas as condições necessárias para o processo de ensino-aprendizagem. Contam-se aqui os recursos e o ambiente propício (sem ou com o mínimo ruído ou interrupções).

2

Use os recursos disponíveis

É essencial que faça bom uso dos recursos disponíveis para ajudar o processo de ensino-aprendizagem em período de confinamento.

Com o início do terceiro período letivo, o Governo lançou o #EstudoEmCasa, uma nova versão da telescola para apoio ao ensino à distância que oferece uma programação de segunda a sexta-feira, com aulas para todos os anos do ensino básico (até ao 9º ano), através da RTP Memória (canal disponível em sinal aberto). Este novo recurso é acompanhado de materiais e uma aplicação que permite o uso do telemóvel.

Também para os mais pequenos, ainda no ensino pré-escolar, a RTP2 apresenta uma nova programação com atividades dirigidas a crianças com idades entre os 3 e os 6 anos.

Cumpra o horário da programação, assistam juntos às sessões e, no fim, abra espaço para o esclarecimento de dúvidas e para a realização de exercícios, à semelhança do que acontece na escola.

A par do papel do professor, os recursos disponíveis, quer online, através da televisão ou em papel devem ser usados da melhor maneira para ajudar os estudantes a manterem o interesse e, consequentemente, a motivação para estudar e saber mais.

3

Faça jogos para explicar as matérias

Criar desafios é uma boa estratégia para despertar o interesse. Crianças e jovens gostam (e precisam) de novidades e de ser postos à prova. Crie jogos com perguntas sobre as matérias da escola e , se possível, envolva a família.

Quanto mais desafiante, melhor. Seja criativo, erre de propósito uma ou outra questão para que a criança ou jovem possa corrigir a resposta ganhar, assim, uma motivação extra.

Esta é uma estratégia que exige algum tempo e criatividade, mas com a qual pode juntar o útil ao agradável.

4

Crie rotinas

Cumprir rotinas é algo essencial, sobretudo para crianças e jovens estudantes. Ter horas certas para dedicar a cada disciplina, sem nunca esquecer a prática de exercício fisico e momentos de lazer, pode ajudar, e muito, a manter o foco e a motivação para o estudo.

Faça um horário com as várias atividades a realizar diariamente e garanta que o mesmo é cumprido.

Importante é também manter rotinas de sono: a hora de deitar e de levantar.

5

Planeie atividades

Uma forma de explorar as matérias abordadas em cada disciplina passa por atividades que permitam complementar o conhecimento através de outros meios e elementos, de maneira a reforçar o interesse.

Pode, por exemplo, visitar um dos muitos museus do mundo que agora oferecem visitas virtuais gratuitas; lançar o desafio de criar um projeto relacionado com um assunto específico; ver um documentário ou um filme sobre um determinado tema.

Pode, igualmente, pesquisar textos, imagens e videos online, assim como em livros, revistas ou outros materiais que possam ter em casa ou realizar experiências cientificas (que incluem receitas) seguindo as sugestões #FicaEmCasaComCiencia dos Centros Ciência Viva, entre outras.

6

Dê apoio

Dar apoio, em tempo de isolamento, ensino a distância e teletrabalho é sinónimo de dificuldade, sobretudo em famílias com vários filhos. Porém, é fundamental.

Ainda que seja pouco, reserve um tempo para apoiar nos trabalhos da escola. Certifique-se de que todos os trabalhos foram realizados, ajudar a corrigir e a perceber e, se possível, esclareça dúvidas.

Mostre interesse, mantenha o contacto com o professor e envolva-se nas atividades sempre que possível (e necessário, a autonomia dos alunos também deve ser incentivada).

Explique a importância de cada tema, perceba quais as maiores dificuldades e, acima de tudo, escute, transmita conforto, dê apoio. Crianças e jovens confiantes e tranquilos conseguem gerir melhor as emoções, em especial a ansiedade destes dias, e focar-se no que realmente importa.

Estas são seis dicas que pode colocar em prática hoje mesmo, para ajudar o(s) seus(s) filho(s) a ganhar ou manter a motivação para estudar, numa altura tão sensível como a que vivemos.

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.