Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Viviane Soares
Viviane Soares
11 Nov, 2016 - 08:00

As 10 obras mais famosas de Picasso

Viviane Soares

As 10 obras mais famosas de Picasso, influente figura do século XX, abrangem o período azul, o movimento cubista e as variações estilísticas dos anos 30 e 40.

As 10 obras mais famosas de Picasso

Para além de “Guernica” (1937), célebre obra do artista espanhol – atualmente em exposição no Museu Reina Sofia em Madrid/Espanha -, a lista das 10 obras mais famosas de Picasso inclui exemplares da fase cubista do artista, mas também do denominado “Período Azul” – o qual compreende as obras realizadas entre 1901 e 1904.

Pablo Diego Jose Santiago Francisco de Paula Juan Nepomuceno Crispin Crispiniano de los Remedios Cipriano de la Santisima Trinidad Ruiz Blasco y Picasso Lopez, mais conhecido por Pablo Picasso (1881-1973) tornou-se um ícone do século XX. É autor de uma obra vastíssima, não só no âmbito da pintura, mas também do desenho, da escultura, da cerâmica e da gravura.

A par de Georges Braque, é considerado o fundador do movimento cubista (1907-1914) e a sua obra é representativa da arte moderna.

Se tivéssemos que apontar uma das muitas razões pelas quais a sua obra é tão valorizada, não só em termos simbólicos, mas também do ponto de vista comercial, diríamos que o facto de ter criado uma nova linguagem pictórica, baseada em experimentações com uma forte vertente intelectual, tornou-o numa das mais influentes figuras do século XX.

A lista das 10 obras mais famosas de Picasso é um claro exemplo da riqueza plástica e formal do conjunto da sua obra. Caracteriza-se pelo despreendimento em relação a um género estilístico preciso, pela sua obsessão com a figura feminina e pelo questionamento da estética convencional.

As 10 obras mais famosas de Picasso

1. “Les demoiselles d’Avignon” (1907)

placeholder-1x1

Esta obra que precede o Cubismo, uma das vanguardas do início do século XX, é uma síntese das experimentações de Picasso em torno do conceito de representação. Renunciando, por exemplo, à perspectiva – que permite distinguir figura e fundo – Picasso renuncia ao ideal clássico, albertiano, da ideia de pintura como uma janela aberta para uma construção fictícia do mundo. As cinco figuras femininas que preenchem o espaço do quadro (e com o qual se debatem) são desenhadas num único plano, mas sob pontos de vista distintos – o que resulta numa ‘distorção’ ou ‘deformação’ das figuras.

2. “Nu au Plateau de Sculpteur” (1932)

placeholder-1x1

Esta obra, que em 2010 atingiu os 97 milhões de euros, retrata Marie – Thèrèse Walter, modelo de muitas das suas obras. É uma clara homenagem à figura feminina – figura que atravessa o conjunto da sua obra.

3. “Asleep” (1932)

placeholder-1x1

Tendo mais uma vez como modelo Marie – Thèrèse Walter, esta obra é mais um exemplar da sua obsessão pela figura feminina. A centralidade e a delicadeza da figura destaca-se dos planos de cor contrastantes.

4. “Le Rêve” (1932)

placeholder-1x1

Em relação a esta obra, não podemos deixar de referir a óbvia referência ao fauvismo. A expressividade dos contornos e dos planos, a palete de cores e a ausência de profundidade remete-nos para o génio de Matisse.

5. “Blue Nude” (1902)

placeholder-1x1

Datada do início do século XX, esta obra de Picasso insere-se no denominado “período azul” – denominação que faz referência aos tons azulados, monocromáticos, melancólicos, que predominam nestas obras. Mendigos, velhos, doentes, prostitutas são as suas temáticas de interesse num momento em que a sua vida pessoal e financeira estava em crise.

6. “Dora Maar au chat” (1941)

placeholder-1x1

Neste retrato da fotógrafa Dora Maar – também modelo de muitas obras de Picasso – coexistem os métodos de representação cubista, contranatura, disforme, e os de representação figurativa. Na nossa perspectiva, esta tensão entre ambos os métodos atravessa toda a obra do artista espanhol. Nesta obra em particular e na que apresentamos a seguir, é ainda de ressalvar o facto de Picasso fazer uso dos padrões dos vestidos das suas modelos femininas para potenciar as suas criações artísticas.

7. “Portrait de Marie- Thèrèse Walter” (1937)

placeholder-1x1

É um retrato de perfil ou de frente? Esta sobreposição de pontos de vista e a voluptuosidade das figuras são características fundamentais na obra de Picasso.

8. “Le Vieux Guitariste aveugle” (1903)

placeholder-1x1

Também do “período azul”, esta obra foi pintada após a morte de um amigo íntimo de Picasso. São bastante evidentes as influências de El Greco ou mesmo de Edvard Munch.

9. “Jeune Fille devant un miroir” (1932)

placeholder-1x1

Nesta obra Picasso faz uma autêntica homenagem à expressividade das formas, das cores e da comunhão entre figura e fundo.

10. “Musiciens aux masques” (1921)

placeholder-1x1

A fechar a lista das 10 obras mais famosas de Picasso está esta obra de 1921 – e que atuamente se encontra em exposição no MOMA de Nova Iorque.

Veja também: