ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Inês Silva
Inês Silva
12 Mai, 2021 - 10:32

Já ouviu falar em outplacement? Saiba o que significa

Inês Silva

O outplacement tem como objetivo, perante o despedimento, a recolocação dos profissionais no mercado de trabalho. Saiba mais.

duas pessoas em reunião de outplacement

Não é novidade nenhuma que o país atravessa uma fase adversa devido ao impacto da COVID-19 na economia e no mercado de trabalho. Empresas remodelaram-se, outras empresas fecharam e, com isso, vieram os despedimentos. O outplacement poderá ser um o salva-vidas para enfrentar o desemprego.

Esta palavra, que traduzida à letra significa “recolocação”, dá o nome a uma técnica de Recursos Humanos que, aplicada no momento da demissão, tem como objetivo oferecer apoio e acompanhamento para recolocação do profissional no mercado de trabalho.

Normalmente, este apoio é disponibilizado pela empresa que demitiu o colaborador, através da contratação dos serviços de empresas de recrutamento, para o ajudar nos próximos passos até a um novo emprego.

Se quer saber mais pormenores sobre esta prática e quais as etapas que este processo envolve, continue a ler.

Outplacement: o que é, como funciona e quais as vantagens para empresas e profissionais

O que é?

Como já dissemos, esta é uma técnica de Recursos Humanos que, aplicada no momento da demissão, tem como objetivo oferecer apoio e acompanhamento para recolocação do profissional despedido no mercado de trabalho.

São as próprias empresas responsáveis pelo despedimento do profissional que também contratam serviços de outplacement para reduzir o stress e o tempo associado à procura de uma nova colocação profissional.

Podemos até falar em despedimentos responsáveis pois, ao recorrer a esta ferramenta acompanhamento e orientação, o profissional vai:

  • Tornar-se mais confiante e motivado na abordagem ao mercado de trabalho por estar acompanhado por especialistas;
  • Ter um leque de serviços de apoio com vista a otimizar a pesquisa produtiva de um novo emprego;
  • Melhorar a gestão de carreira através da planificação de metas a curto e longo-prazo;
  • Fortalecer competências;
  • Expandir a sua rede de contactos a especialistas no mercado de trabalho;
  • Identificar as suas competências menos óbvias que não haviam sido reconhecidas como hipótese anteriormente.

Como funciona?

Como já dissemos, por norma, as empresas que vão iniciar o despedimento, contratam os serviços de consultadoria de empresas da área dos Recursos Humanos para conduzir o processo.

O processo de outplacement tem como como principais objetivos orientar o processo de demissão, analisar o perfil do ex-colaborador, elaborar um plano de carreira personalizado e acompanhar a recolocação do profissional.

Assim, este processo exige o planeamento da demissão que passará por estes pontos:

  • Preparação de reunião de demissão;
  • Apresentação de razões objetivas e transparentes para o despedimento;
  • Avaliação das condições físicas, económicas e emocionais do profissional;
  • Determinação de benefícios e indemnização;
  • Análise do impacto da demissão nos restantes profissionais;
  • Conversa entre profissional e consultor de Recursos Humanos nesta área.

Principais etapas do processo:

  • Recolha e análise das informações sobre passado e presente profissional;
  • Descrição de responsabilidades, realizações e funções;
  • Avaliação dos objetivos profissionais, propósitos e valores;
  • Elaboração de plano de carreira e marketing pessoal;
  • Desenvolvimento e divulgação de currículo e portfólio;
  • Preparação para participar de processos de seleção e entrevistas;
  • Orientação na negociação de propostas e salários;
  • Atualização permanente das tendências do mercado de trabalho e oportunidades.

Benefícios do Outplacement para profissionais e empresas

Através do processo de outplacement, o profissional demitido vai conseguir enfrentar melhor este momento negativo, pois terá:

  • Apoio para recuperar a autoestima e autoconfiança;
  • Acompanhamento profissional para processos de recolocação;
  • Orientação para uma ação positiva em relação à demissão;
  • Ajuda no desenvolvimento de novas competências.

As empresas que contratem este serviço vão:

  • Reduzir a carga emocional negativa nos responsáveis pela demissão;
  • Promover uma imagem responsável e ética da empresa;
  • Evitar processos judiciais longos;
  • Melhorar o ambiente organizacional, devido à responsabilidade social demonstrada;
  • Reforçar os valores da empresa e humanização das suas políticas
  • Demonstrar transparência em processos de reestruturação;
  • Aumentar a confiança e comprometimento dos trabalhadores com a empresa.

Outplacement em Portugal

Esta técnica é já bem conhecida a nível mundial e Portugal não é exceção. Basta fazer uma rápida pesquisa online e encontramos várias empresas de Recursos Humanos que oferecem serviços nesta área de consultadoria.

Como exemplos dessas empresas encontramos DBM Portugal, que marcou a entrada destes serviços no mercado português em 1992, a Randstad e a Global Partner HR Solutions.

Os consultores destas empresas têm como tarefa cumprir os seguintes pontos na desvinculação:

  • Apoiar o profissional a lidar com o impacto emocional da comunicação do despedimento;
  • Apresentar as tendências do mercado de trabalho e principais estratégias de recolocação profissional;
  • Promover a reflexão sobre a carreira;
  • Oferecer serviços para qualificação e acompanhamento na transição.

Em jeito de conclusão, podemos assumir que esta prática traz vantagens a empresas e profissionais.

Por um lado, vai permitir que o profissional siga o seu caminho com o apoio necessário para melhorar as suas competências e conseguir rapidamente a sua recolocação no mercado de trabalho.

Por outro, este processo vai garantir à empresa uma imagem pública de responsabilidade social e um bom ambiente interno, reduzindo a possibilidade de insatisfação dos seus colaboradores.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].