Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Renata Silva
Renata Silva
17 Ago, 2017 - 08:00

Porque não deve (nunca) viajar com os pés no tablier

Renata Silva

Já viajou com os pés no tablier? Sabia que pode ser perigoso e causar sequelas graves? Na próxima viagem que fizer lembre-se do que vai ler neste artigo.

Porque não deve (nunca) viajar com os pés no tablier

Durante uma viagem longa, quem está no lugar do pendura pode ter tendência a esticar as pernas sob o tablier. É uma posição confortável, mas pode ser um comportamento de risco, tal como não colocar o cinto de segurança.

Nunca se ouviu falar nos perigos desta atitude até se conhecer a história de Audra Tatum. O que aconteceu? Em agosto de 2015, com o marido a assumir o volante, Audra seguia viagem com os pés em cima do tablier, quando um automóvel embateu no deles.

“O airbag disparou e projetou os meus pés para cima, partindo o meu nariz”, conta, em entrevista ao canal de televisão CBS. Audra fraturou o tornozelo, o fémur da perna direita e o braço do mesmo lado.

É importante ter em conta que os airbags, quando acionados, disparam a velocidades que vão dos 161 aos 354 km/h. Um embate numa viagem curta até casa dos pais foi o que bastou a Audra para sofrer as consequências da sua posição habitual de pés no tablier.

Após o acidente, teve de fazer diversas cirurgias e terapia física prolongada. Só voltou a andar mais de um mês depois do que aconteceu.

Veja o vídeo com a história de Audra:

Sequelas para a vida

Dois anos mais tarde, as sequelas ainda continuam a ter impacto no dia-a-dia da norte-americana. Hoje em dia não consegue estar mais do que quatro horas de pé devido às dores que tem e teve de largar o seu emprego na área da emergência médica porque já não tinha forças para levantar os doentes.

Em entrevista à CBS, Audra revela que o marido já a tinha avisado para os perigos de viajar com os pés no tablier. No entanto, não lhe deu ouvidos e foi a principal vítima de um acidente que apenas causou pequenos arranhões e escoriações aos outros passageiros.

Na sequência do que aconteceu, está a usar a sua história para sensibilizar o máximo de pessoas possível para que esta situação não aconteça a mais ninguém.

Para evitar acidentes, consequências graves em casos de acidente ou até mesmo situações fatais, nunca é demais relembrar alguns comportamentos de segurança em viagem. Agora acrescenta-se a situação dos pés no tablier. Pode parecer inofensiva, mas, em caso de acidente, pode dar origem a sequelas graves como as de Audra.

Em viagem, siga estes comportamentos de segurança

  • Coloque sempre o cinto de segurança;
  • Se vai no lugar do pendura, não viaje com os pés no tablier;
  • Se vai a conduzir, não envie mensagens escritas, nem use o telemóvel. Prefira um kit de mãos livres;
  • Se vai fazer uma viagem longa, pare de 2 em 2 horas;
  • Se conduzir, não beba.

Nas viagens de carro, todo o cuidado é pouco e tomar em atenção as regras de segurança rodoviária podem fazer a diferença.

Veja também: