Ekonomista
Ekonomista
16 Mar, 2020 - 13:14

Rastreio do Covid-19: Porto cria local para colheita de amostras

Ekonomista

É o primeiro centro de rastreio do Covid-19 do país em modelo “drive thru”. Só para pacientes suspeitos de infeção e previamente referenciados pelo SNS.

Porto cria centro de rastreio do Covid-19

A cidade do Porto criou o primeiro centro de rastreio do CoVid-19 no país, em modelo “Drive Thru”.

Este local, montado no Queimódromo do Porto, terá capacidade para fazer 400 testes diários numa primeira fase, podendo evoluir para perto de 700 testes por dia. Será exclusivamente destinado a pacientes suspeitos de infeção pelo coronavírus e previamente referenciados pelo SNS.

O centro vai abrir no dia 18 de março e terá entrada controlada pela polícia.

De acordo com o comunicado emitido pela Câmara Municipal do Porto, que preparou a organização deste centro em parceria com a Administração de Saúde do Norte (ARS-Norte), Unilabs Portugal, Proteção Civil, Policia Municipal e outras empresas privadas, a colheita de amostras apenas funcionará por marcação prévia junto das autoridades de saúde, devendo os cidadãos deslocarem-se ao local apenas à hora da sua marcação para evitar constrangimentos de trânsito e aglomerados de pessoas.

Este modelo-piloto, pioneiro em Portugal, visa testar doentes fora de meio hospitalar, em condições de conforto e segurança coletiva, e aliviar o afluxo de potenciais suspeitos portadores aos hospitais.

Segundo o presidente da autarquia, citado no documento, “esta medida insere-se num conjunto de iniciativas que o Porto tem vindo a tomar, que visam apoiar o esforço nacional de combate à pandemia, numa lógica de proteção e mitigação da doença. Este modelo, pioneiro em Portugal, pode ser replicado noutras cidades do país e ajudar a salvar vidas e, simultaneamente, a melhorar as condições de atendimento dos profissionais de saúde em contexto hospitalar”.

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.