Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luana Freire
Luana Freire
28 Set, 2018 - 11:00

Os 13 primeiros sintomas de gravidez: quais são? Descubra-os

Luana Freire

Sabia que mesmo antes do atraso menstrual o corpo da mulher já mostra os primeiros sintomas de gravidez? Há uma lista de alertas que precisa conhecer.

Os 13 primeiros sintomas de gravidez: quais são? Descubra-os

Está a tentar engravidar? Não é segredo nenhum que as tentantes analisam minuciosamente cada mudança no seu corpo à procura do mínimo sinal de alteração que possa ser encarado como algum dos primeiros sintomas de gravidez. Conhecer o organismo e estar a par dos sinais comuns (ou não tão comuns) é o primeiro passo para conseguir identificar – ou, mais especificamente – desconfiar de uma gestação em curso.

Antes de listarmos os primeiros sintomas de gravidez, lembramos que todas as mulheres são diferentes e que, portanto, os corpos funcionam de forma distinta. Isso que dizer que não há sintomas absolutos e que se para muitas mulheres as náuseas são o primeiro alerta, outras tantas vivem os 9 meses sem sinal deste incómodo. É de salientar ainda que os sintomas iniciais de gravidez podem facilmente ser confundidos com a tensão pré-menstrual (a famosa TPM) e que, assim, qualquer sinal só deve ser levado em consideração se persistir após o atraso da menstruação.

Vamos, agora, saber mais sobre o assunto?

Os 13 primeiros sintomas de gravidez que anunciam a visita da cegonha

Nidação: o que é e quais os sintomas?

Como já alertamos, os primeiros sintomas de gravidez muitas vezes podem surgir antes que a mulher possa, sequer, desconfiar de uma gestação. Na maior parte das vezes, só quem percebe as alterações é quem está a tentar engravidar e que, por isso, está atenta a qualquer alteração no seu corpo.

Como nos primeiros dias de gravidez os sintomas são discretos, a mulher pode perfeitamente passar ao lado de qualquer sinal. Mas, mesmo quem está a fazer o controlo da situação pode ficar na dúvida, uma vez que são sintomas comuns de aparecer antes da chegada da menstruação. No entanto, é possível encontrar formas de diferenciar as situações e prever, quase com alguma certeza, que vem bebé a caminho.

A nidação

nidação

Um dos acontecimentos mais importantes que marcam o início de uma gravidez é a nidação – a implantação do embrião na parede uterina. Isso quer dizer que o óvulo que foi fecundado finalmente está bem colocado no sítio onde deve se desenvolver pelos próximos meses. Todas as mulheres grávidas passam por esse processo, mas só algumas têm o sangramento de nidação (cerca de 30%).

Este é um dos sinais mais importantes, senão o mais, antes do atraso da menstruação – mas pode confundir muitas futuras mamãs, uma vez que aparece mesmo antes do dia previsto da menstruação e pode ser encarado como o adiantamento da mesma. O sangramento de nidação, no entanto, difere bastante da menstruação porque não acontece com fluxo. A mulher vai notar, ao limpar-se na casa de banho ou na cueca, uma mancha de tonalidade cor de rosa, caramelo ou castanha (borra de café), que pode durar até 3 dias. Se o sangramento ocorrer com fluxo, o mais provável é ser a menstruação.

nidação

Veja quais são os 13 primeiros sintomas de gravidez mais significativos, um a um, na nossa lista:

  1. corrimento vaginal  borra de café ou cor-de-rosa (sangramento de nidação);
  2. cólica (semelhante à cólica menstrual) e inchaço abdominal;
  3. mamas doridas, sensíveis e mais inchadas (especialista na região dos mamilos);
  4. fadiga sem razão aparente;
  5. aversão a odores mais fortes, como perfume ou tabaco;
  6. alterações no humor (sendo, sobretudo, situações de choro fácil as mais comuns);
  7. náusea, com vómito ou não, a qualquer hora do dia, mas especialmente pela manha;
  8. salivação excessiva;
  9. sono;
  10. tonturas;
  11. dor de cabeça;
  12. mais vontade de ir à casa de banho para urinar;
  13. aumento da acne.

Quando devo fazer o teste de gravidez?

É possível encontrar no mercado testes que prometem resultados em até dois dias antes do atraso menstrual, no entanto, realizar qualquer um deles nessa altura aumenta o risco de um falso negativo (os níveis de HCG podem não estar suficientemente altos para um positivo) ou de receber um positivo devido a uma gravidez química – que não vai evoluir porque não houve a correta implantação do óvulo na parede uterina. Nesses casos, em poucos dias vai aparecer o sangramento menstrual. Estima-se que ao longo de um ano, uma mulher que tenha relações desprotegidas possa engravidar entre duas a três vezes sem que aconteça a correta implantação do zigoto. Se não for feito um teste de gravidez, a mulher vai encarar a situação apenas como um atraso menstrual.

Pode fazer o teste de farmácia no primeiro dia de atraso menstrual, com maior margem de segurança, mas e o resultado se mostrar negativo e o período não descer, pode repeti-lo em cerca de 3  5 dias. Se ainda assim, o resultado se mantiver negativo, faça uma análise ao sangue para diagnosticar a gestação.

Entretanto, se a menstruação continuar atrasada por mais de 10 dias e qualquer teste realizado responda como negativo, o mais provável é que não se trate de uma gravidez e a mulher deve procurar ajuda médica para verificar quais causas podem estar por trás do atraso.

Veja também: