Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luís Vicente
Luís Vicente
09 Jan, 2020 - 14:52

Xangai: 5 razões para visitar a vibrante cidade já na Primavera

Luís Vicente

Xangai é uma das mais vibrantes cidades asiáticas e há boas razões para a descobrir já esta primavera. Saiba neste artigo quais.

Vista nocturna de Xangai

Visitar Xangai é apelativo em qualquer altura do ano, tendo em conta o que a cidade tem para oferecer. Ainda assim, há melhores momentos para o fazer, tendo em conta sobretudo os factores mais voláteis: o clima e o valor dos bilhetes.

Evitar a época alta é, por isso, um dos truques para uma melhor experiência, tanto pelo valor que as companhias áreas praticam como pelo número de turistas.

Apesar de ser entre Maio e Outubro que o clima é mais agradável, em Xangai costuma chover todos os meses, e até mais frequentemente no verão, pelo que antecipar a visita para a primavera pode sair bastante em conta.

A nível legal, para entrar em Xangai, na costa central da China, é necessário passaporte com pelo menos 6 meses de validade, visto (cerca de 90€) e bilhete de regresso.

5 razões para visitar Xangai

Xiantandi em Xangai

Arquitectura e arranha-céus deslumbrantes

Nesta cidade de contrastes, as marcas do dinheiro flutuante e investimentos de capital estão à vista de todos. Desde as periferias mais modestas até aos arranha-céus do distrito financeiro, passando por um desactivado matadouro edificado em 1933, é possível encontrar de tudo em Xangai. Sobretudo no vibrante distrito de Xintiandi.

E é mesmo na quantidade de edifícios com mais de 40 andares que marcam a linha do horizonte de Xangai e permitem vistas magníficas sobre a cidade. O Templo Longhua, a Torre Jin Mao e o Parque Fuxing são outros exemplos da diversidade arquitectónica da cidade.

Variedade/novidade gastronómica e vida nocturna

Além da surpreendente tradicional comida chinesa – a local, não a dos restaurantes chineses no ocidente -, há muito por descobrir e saborear em Xangai. E o mais impressionante é a discrepância de valores que uma refeição pode custar; ou seja, há escolha para todas as carteiras: desde 10 yuan (1,3 euros) até ao valor mais alto possível e imaginário.

A vida nocturna é também uma marca da cidade que é um importante centro financeiro no oriente. Dada a proliferação de arranha-céus, não é difícil imaginar que os rooftop bars estejam na moda.

Entre os mais populares está, com valor mais elevado, o JZ Latino, no Renaissance Shanghai Yu Garden Hotel. O mais acessível é o Captain’s Bar, situado por cima do Captain Hostel. De valor intermédio surge o Kartel, com vista de 360 graus.

Water town na China

Riqueza cultural e histórica

Apesar de não ser uma cidade muita antiga, tem um património cultural invejável. Xangai tem vindo a afirmar-se como potência no oriente e também nas trocas comerciais mundiais e os passos para chegar a tal ponto estão registados nos vários museus da cidade.

Tratando-se de uma metrópole num país de regime autoritário, a arte e cultura podem ter uma visibilidade reduzida ou até um cariz de resistência. Exemplo disso é o Propaganda Poster Art Centre, localizado na cave de um edifício. Inclusivamente, o proprietário operou durante 9 anos em segredo, até ao museu ter sido reconhecido pelo governo em 2017.

Outros museus que fazem parte do panorama cultural são o Shanghai Museum, de entrada livre, o Shanghai Natural History Museum e o China Maritime Museum.

Xangai é um cidade com várias cidades dentro

Uma prática comum na China é a criação de cidades de raiz. Ao passo que muitas destas não tiveram sucesso para os locais e/ou investidores, outras podem servir de interessantes passeios para turistas. Algumas destas ‘cidades fantasma‘, como são conhecidas, estão nos arredores do centro de Xangai e foram construídas com inspiração em vários países, como Reino Unido, Suécia, Espanha, Itália e Alemanha, entre outros.

Mas há mais um tipo de cidades ou, neste caso, pequenos municípios, para conhecer ao largo de Xangai: as Water Towns (Cidades de Água). São várias e vão se afastando do centro da cidade. Estes são municípios cujas ruas, ou a maior parte delas, são canais. As que estão mais próximas são Quibao, Zhujiajiao e Xitang.

Vista geral do centro de Xangai

Ponto de partida para uma viagem pela Ásia

É cada vez mais comum os europeus fazerem viagens de vários dias pela China e/ou Sudoeste Asiático. Xangai é um belo ponto de partida, tendo em conta tudo o que já lhe apresentámos.

A cidade conta ainda com um excelente serviço de transportes terrestres para outras zonas não tão cosmopolitas mas mais verosímeis do regime chinês. Cidades essas são Hancheu, Sucheu e Linhai. Mas destinos mais populares com Vietname, Cambodja e Tailândia estão bastante próximos a partir de um dos dois aeroportos internacionais de Xangai.

Veja também