Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
28 Jun, 2019 - 14:50
Kalanggaman: relaxe na ilha do pôr-do-sol mágico

Kalanggaman: relaxe na ilha do pôr-do-sol mágico

Mónica Carvalho

Kalanggaman é a ilha mágica ao largo das Filipinas. Águas cristalinas e paisagens de cortar a respiração, fazem o cenário ideal para umas férias perfeitas.

O artigo continua após o anúncio

Há locais no mundo verdadeiramente instagramáveis e a ilha de Kalanggaman é, sem dúvida, um deles. Localiza-se na costa oeste nas Filipinas e parece um pequeno pedaço de paraíso, beneficiando ainda de algum desconhecimento internacional, o que lhe permite usufruir de paz e tranquilidade, mesmo em épocas de maior procura.

Após um passeio de barco de cerca de 50 minutos, chegará à vila de Palompon, onde poderá articular tudo para rumar à ilha de Kalanggaman.

A ilha tem apenas 753 metros de comprimento e é totalmente desabitada e nem sequer existe um resort ou hotel. Apenas soluções de acampamento ou glamping, acampamento de luxo, denominado de Tipi Huts e providenciado pelo Jeter Resort. Precisamente por isso, o acesso à ilha é limitado a 500 pessoas por dia.

A ilha de Kalanggaman é um local idílico de areia branca com palmeiras e aparentemente intocada, as grandes vantagens de ser um local remoto, longínquo e ainda desconhecido. Mas para isto ajudou também o fator de ser considerado, desde 2009, como santuário marinho, o que facilita a proteção deste pequeno pedaço do céu.

E além do limite do número de pessoas por dia, cada visitante deve pagar uma taxa de cerca de 8,55€ por dia.

O que pode fazer na ilha?

Kalanggaman

A ilha de Kalanggaman e a vila de Palompon são excelentes locais para a prática de determinadas atividades desportivas aquáticas, nomeadamente: natação, andar de caiaque, fazer snorkel ou mergulho.

Como é um local pequeno, não há muitas atividades com que se possa entreter. Afinal este é um destino exatamente para propiciar o relaxamento e a arte do dolce fare niente. Mesmo assim, temos duas boas sugestões para partilhar consigo.

Acampar

A única maneira de passar a noite na ilha é acampar! Poderá fazê.lo quer no acampamento de luxo que já referenciamos, quer no parque de campismo mais tradicional. Mas deverá sempre levar todo o material que precisa consigo, bem como comida e bebida, pois na ilha não existe opção para se abastecer.

O artigo continua após o anúncio

Para acampar na ilha, além da taxa de entrada, deverá ainda efetuar o pagamento de uma taxa equivalente a 4,28€ por pessoa, mas que valem totalmente a pena, para dormir debaixo do céu estrelado, rodeado de águas calmas e tranquilas e observar o pôr-do-sol mais mágico que irá testemunhar em toda a sua vida.

Excursão acompanhado

Se não tem grande espírito aventureiro, então, poderá optar por recorrer a várias empresas que organizam excursões e que, além de tratarem de tudo por si, providenciam acompanhamento constante e personalizado. Esses tours fazem parte de pacotes completos, onde se inclui o passeio à ilha, o alojamento em hotel em ilhas vizinhas de maiores dimensões, equipamento de mergulho, refeições e guia turístico.

Kalanggaman

Onde ficar?

Na ilha além das opções da tenda, não existem outras formas de alojamento, a não ser em Palompon, a vila mais próxima. Estes são dos resorts de referência:

Breadfruit Traveller’s Lodge

  • Morada: Washington Street, Palompon, Leyte
  • Preço por noite: a partir de 13,69€

Diana’s Guest House

  • Morada: Zamora Street, Palompon, Leyte
  • Preço por noite: a partir de 13,69€

Dicas úteis para quem deseja conhecer Kalanggaman

Se ficou suficientemente encantado com este destino, há algumas considerações a ter em conta, quando lá chegar.

Comunicações

Obviamente, não há wifi na ilha, mas Kalanggaman recebe sinal de telefone/telemóvel proveniente da Ilha Leyte. Todavia o sinal é bastante fraco.

Comida e bebida

Durante o dia ainda poderá comprar pequenos snacks e bebidas a alguns vendedores ambulantes. Porém, se desejar algo além disto, deverá prevenir-se com antecedência.

O artigo continua após o anúncio

Banco de areia

A ilha possui um banco de areia que se move consoante as marés, o que pode tornar-se perigoso se não tiver a devida atenção e cuidado.

Veja também: