Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
24 Set, 2020 - 16:17

Havana: cinco séculos de história na apaixonante capital cubana

Mónica Carvalho

Muito aconteceu nos últimos 500 anos na capital de Cuba. Havana é, mais do que nunca, uma cidade cheia de vida com muitas histórias para contar.

Rua em Havana

Havana atingiu, em 2019, os 500 anos desde a sua fundação. Símbolo de resistência e aventura, a capital de Cuba que mais parece um tesouro naufragado à espera que cada pessoa o descubra.

São muitas histórias e estórias que a tornam numa cidade apaixonante, cheia de encantos, onde o passado vai deixando o seu rasto por entre o presente. As praças e edifícios coloniais foram sendo reconstruídos aos poucos e novos locais abrem portas à arte, à gastronomia, à animação, a tudo o que permita viver e ser feliz.

Com a celebração do 500º aniversário, mais do que nunca é possível testemunhar o melting pot que criou Havana, desde povos originais, escravos, piratas, franceses, britânicos, chineses e espanhóis, o que fez dela, historicamente, uma das cidades mais importantes do Novo Mundo.

Atualmente, Havana é uma cidade rodeada de uma aura de realismo mágico.

Uma cidade da arte

Mulheres cubanas com trajes tradicionais

A cultura artística de Havana é uma das maiores surpresas para quem visita a cidade, mesmo sendo algo muito típico. Os artistas cubanos vêm desafiando silenciosamente as elites culturais desde que o nativo José Nicolás de la Escalera começou a pintar escravos negros no século XVIII.

Hoje, o trabalho de Escalera e de muitos outros é exibido no Museu Nacional de Belas Artes. Mas um pouco por toda a cidade é possível testemunhar este fervor artístico, nomeadamente nos murais pintados de mil e um temas e na Fábrica de Arte Cubana, local de pequenos eventos artísticos.

10 spots imperdíveis em Havana

Malecón 663

Inaugurado recentemente, o hotel mais impressionante de Havana é pequeno, apenas com quatro quartos, mas cada um foi cuidadosamente preparado por um designer local e em representação de diferentes estilos: retro eclético, art déco, vintage dos anos 1950 e contemporâneo.

Há um bar onde servem coquetéis e tapas, bem como uma loja de sabonetes artesanais e jóias únicas. E o melhor de tudo é mesmo o terraço, que oferece vistas fabulosas para o Malecón, o famoso passeio marítimo de Havana.

El Bosque de La Habana

El Bosque está localizado entre os bairros de Vedado e Miramar e é o verdadeiro pulmão de Havana, onde existem árvores com mais de 300 anos de idade, envoltas em trepadeiras que se assemelham a monstros verdes a erguerem-se do chão.

Foi um espaço idealizado em meados de 1930 pelo arquiteto paisagista francês Jean-Claude Nicolas Forestier, conhecido criador dos jardins da Torre Eiffel de Champs-de-Mars, e pretendia ser uma “fusão de natureza, arquitetura e cidade”. Após a revolução de 1959, foi expandida para incluir o Parque Almendares, onde estão disponíveis muitas atrações infantis.

Niels Reyes

Niels Reyes é um dos artistas mais empolgantes da atualidade artística cubana e altamente valorizado em grandes metrópoles como Nova Iorque e Pequim.

O seu trabalho está exposto na Galería Artis 718 e na Colagem Habana e foca-se em retratos que representam a condição humano.

Edifício do Capitólio em Havana

Nazdarovie

Nazdarovie é um restaurante de topo na capital cubana e que tem como objetivo disponibilizar os sabores russos para milhares de expatriados soviéticos.

Entre os clientes incluem embaixadores de ex-repúblicas soviéticas e o local é decorado com cartazes de propaganda antigos e enormes bonecas matrioscas. Há também recordações de alguns dos muitos cubanos que estudaram na URSS e que conferem um ambiente especial.

Museo de la Revolución

Este museu emblemático localizado no antigo Palácio Presidencial, construído entre 1913 e 1920 foi usado como habitação por uma série de presidentes cubanos.

É um local de grande beleza, principalmente o reluzente Salón de los Espejos que foi projetado para se assemelhar à sala homónima do Palácio de Versalhes.

O museu apresenta uma história às vezes desalinhada, mas sempre convincente, contada em inglês e espanhol e pintada com muitos exemplos de propaganda. Na escadaria central do palácio, encontra-se um busto de José Martí onde ainda é possível ver os buracos de bala feitos durante um ataque fracassado ao palácio, em março de 1957, por um grupo de estudantes revolucionários com a intenção de assassinar o presidente Fulgencio Batista.

Necrópolis Cristóbal Colón

O principal cemitério de Havana é considerado um monumento nacional e é um dos maiores do continente americano. É famoso pela impressionante iconografia religiosa e elaboradas estátuas de mármore.

E não, não tem de ser um passeio sinistro, antes um momento educacional e emocional através da história cubana. Compre um mapa à entrada que lhe mostra as sepulturas de vários artistas, desportistas, políticos, escritores, cientistas e revolucionários cubanos que ali descansam para toda a eternidade.

Panorâmica da praia em Varadero
Não perca Varadero: as águas turquesas e a areia fina a duas horas de Havana

Fusterlandia

Fusterlandia é um projeto que tem vindo a ser implementado há cerca de 20 anos que cobre vários blocos de subúrbio com arte pública extravagante, mas altamente estilizada.

A peça central é a casa do próprio Fuster, Taller-Estudio José Fuster, uma residência considerável decorada de cima a baixo por arte, escultura e – acima de tudo – mosaicos de todas as cores e descrição.

Gran Teatro da Habana Alicia Alonso

O neo-barroco Gran Teatro de La Habana Alicia Alonso foi criado como um clube social galego entre 1907 e 1914, apresenta detalhes arquitetónicos altamente ornamentados e até algo exuberantes.

É o palco oficial da Companhia Nacional de Balet de Cuba e sede principal da bienal International Ballet Festival, pelo que são frequentes as elegantes apresentações de dança contemporâneas e coreografias de influência espanhola.

Plaza Vieja

Estabelecida em 1559, a Plaza Vieja é a mais eclética de Havana, onde o barroco cubano se aninha perfeitamente ao lado da art nouveau inspirada em Gaudí. Este era o local inicialmente usado para exercícios militares e, mais tarde, serviu como um mercado ao ar livre.

Atualmente, é palco de bares, restaurantes e cafés, uma escola primária e alguns dos melhores vitrais de Havana.

Castelo dos Reis Santos Reyes Magnos del Morro

Este forte em formato de onda com um emblemático farol foi erguido entre 1589 e 1630 para proteger a entrada do porto de Havana de piratas e invasores estrangeiros.

Encontra-se como que empoleirado no alto de um penhasco rochoso acima do Atlântico e é um exemplo clássico da arquitetura militar do Renascimento, que impressiona pela imponência.

Passeio do Malecón em Havana

Havana: ficha técnica

Como ir

Não há voos diretos de Portugal para Cuba, pelo que, deverá sempre contar com, pelo menos, uma escala. Atente às opções mais económicas:

  • Lisboa – Havana: a partir de 508€, pela Air Europa, com escala em Madrid;
  • Porto – Havana: a partir de 506€, pela Air Europa, com escala em Madrid;
  • Faro – Havana: a partir de 862€, pela Swiss International Air Lines, com escala em Zurique.

Dicas úteis

No portal oficial de turismo de Cuba, irá encontrar todas as questões relacionadas com a sua viagem a Cuba.

Dados genéricos de Cuba

  • Língua: espanhol;
  • População: 11,2 milhões de habitantes;
  • Localização: Caribe. América Central;
  • Extensão: 110.861 quilómetros quadrados.
Veja também