Isadora Freitas
Isadora Freitas
10 Mai, 2019 - 15:56
3 trilhos incríveis a não perder na Serra da Aboboreira

3 trilhos incríveis a não perder na Serra da Aboboreira

Isadora Freitas

Terra de biodiversidade, gentes simpáticas e monumentos de outros tempos. A Serra da Aboboreira é um lugar único onde há 3 trilhos incríveis à sua espera.

O artigo continua após o anúncio

Pousada no extremo noroeste do distrito do Porto, repartida entre os municípios de Amarante, Baião e Marco de Canaveses, a Serra da Aboboreira é um espaço único de uma biodiversidade impressionante e vistas de cortar respiração. Sob um céu que parece infinito, o maciço granítico, os frondosos castanheiros e carvalhos, as flores campestres, as aves que cortam as nuvens, fazem deste um destino feliz para todos os que procuram refúgio na Natureza.

Há, porém, diferentes formas de se embrenhar na magia deste cenário e uma delas (talvez a mais mágica) é percorrer os trilhos da Serra da Aboboreira, sem pressa e com os sentidos atentos. Estes percursos pedestres traçam-se por algumas das paisagens mais bonitas e espantosas de Portugal, cruzando aldeias escondidas nas encostas do Marão, monumentos e florestas cheias de vida.

3 trilhos com História e biodiversidade na Serra da Aboboreira

1. PR1 Trilho das Florestas Naturais

Aboboreira

Distância: 12,7 km
Duração média: 4h30

Com início na Igreja Matriz de S. João de Ovil, em Baião, este percurso pedestre de 12,7 quilómetros irá levá-lo a contemplar matos altos de giestas e codessos, extensos carvalhais e alguns povoamentos florestais de eucalipto e de pinheiro-bravo. Irá poder vislumbrar as várias linhas de água que sulcam as encostas da serra e observar diferentes espécies de fauna, como a rã-ibérica e o lagarto-de-água.

Na parte superior do trilho, irá encontrar também o menir da Pena e dois dólmens, que fazem parte dos monumentos do conjunto megalítico da Serra da Aboboreira. O Dólmen 1 de Chã de Parada, que impressiona pelas suas dimensões generosa, é, desde 1910, Monumento Nacional e encontra-se erguido num lugar sereno que conforta o espírito. Escreveu José Saramago: “Debaixo destas pedras, o viajante retira-se do mundo”. Aqui, poderá admirar algumas gravuras pré-históricas que o farão viajar no tempo, especialmente se o fizer numa visita orientada, através do Núcleo de Arqueologia do Museu Municipal de Baião.

Aproveite também para apreciar a decoração de umas alminhas do séc. XIX, recuperar energias na Fonte do Mel e conhecer o porquê de os pastores desta belíssima Serra chamarem “Pedra de Sol” a um batólito granítico isolado.

O percurso, que deverá durar cerca de quatro horas e meia, termina na Capela da Sra. da Guia, de onde se avista um paisagem fantástica.

2. PR3 Trilho dos Caminhos de Água

Aboboreira

Distância: 10,4 km
Duração média: 3h30

O artigo continua após o anúncio

Para que possa iniciar o percurso já com alguns dos saberes locais nas algibeiras, sugerimos que faça uma visita à aldeia do Castelo, onde o casario se estende ao longo de ruas estreitas até à capela, no cimo do monte. Aqui, a vista sobre as encostas do Marão e o Vale do Fornelo dar-lhe-ão a energia perfeita para se fazer ao trilho, cujo ponto de partida é em Carvalho de Rei.

Neste percurso, irá encontrar também dois dólmens do conjunto megalítico da Serra da Aboboreira: o Furnas 2, fechado e erguido numa pequena elevação, e o Meninas do Crasto 3, de modestas dimensões e com uma certa graciosidade. Passará pela famosa “Pedra do Sol” e por diversas povoações de montanha que pela sua arquitectura tradicional e gentes simpáticas são locais de visita obrigatória, como a Aldeia Velha, a Aldeia Nova e Pé Redondo.

São muitos os lameiros e os campos agrícolas que pontuam a paisagem e os caminhos tradicionais, esses, evidenciam a utilização racional dos recursos, uma vez que servem muitas vezes de levadas por onde passa a água antes de chegar aos campos. Verá espécies várias de flora, como a chupadeira, o urtigão e o poejo, e de fauna, como a andorinha-das-chaminés, que se alimenta de insectos indesejáveis e é, por isso, bem-vinda pelas populações.

É um percurso muito bonito que mostra que Homem e Natureza podem coexistir em harmonia.

3. PR4 Trilho dos Dólmens

serra da aboboreira

Fonte: visitbaiao.pt

Distância: 11,2 km
Duração média: 4h00

Este percurso tem início no Centro de Interpretação e irá levá-lo a conhecer os principais exemplares do património arqueológico da Serra da Aboboreira, como os conjuntos de antas de Outeiro de Gregos e a Mina do Simão, um dólmen isolado, situado na encosta de uma pequena chã. Passará pelas aldeias da Aboboreira e da Almofrela, ambas de arquitectura rural típica que faz imaginar o dia a dia das gentes que aqui habitavam há séculos, e poderá observar, nas nascentes de algumas linhas de água, pequenas turfeiras. Tal como o Trilho das Florestas Naturais, este termina na Capela e Miradouro da Sra. da Guia, o sítio ideal para absorver a paisagem como um todo.

Veja também:

O artigo continua após o anúncio