Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
29 Jan, 2020 - 11:20

Mazda MX-5: 30 anos de um clássico intemporal

Valdemar Jorge

30 anos, 4 gerações e um mote comum entre todas elas: o mais puro prazer de conduzir. O Mazda MX-5 será para sempre um dos ícones do automobilismo.

Mazda MX-5

O primeiro Mazda MX-5 foi apresentado ao mundo há 30 anos. Corria o mês de fevereiro do ano de 1989.

Para além da popularidade que granjeou em todo o mundo, este é já o roadster mais vendido da história automóvel. Rapidamente se transformou num ícone e quem já o conduziu pode afirmar: é um vício.

Se aos verdadeiros apreciadores de automóveis pedirmos para escolher uma lista dos carros da sua garagem de sonho, certamente o Mazda MX-5 será o carro mais barato dessa garagem, mas garantidamente figurará entre a grande maioria das escolhas. E porquê?

Porque o Mazda MX-5, além do elegante design e das formas compactas, é animado por motores “raçudos” que se deixam ouvir na sua rouquidão, entusiasmam quem vai ao volante e deixam enciumados todos aqueles que de fora, numa qualquer rua ou estrada, vêm passar o pequeno descapotável esbanjando todo o seu charme.

O que faz manter a chama do “desejo” pelo Mazda MX-5 é a simplicidade que mantém desde a primeira geração, até à atualidade.

Nos 30 anos de produção, as formas foram sendo apuradas e atualizadas às exigências da moda do design automóvel, isto quanto à estética exterior.

Já no pequeno habitáculo, apenas com espaço q.b. para acomodar duas pessoas (condutor e passageiro), a simplicidade, ergonomia e qualidade de materiais vai fazendo a diferença, mantendo intacto o ADN da primeira geração.

Ao longo das quatro gerações conhecidas deste descapotável foram vendidos em todo o mundo mais de um milhão de exemplares distribuídos por duas carroçarias: soft top e RF (retractable fastback).

Mazda MX-5: 30 anos de história

Mazda MX-5
Fonte: Mazda

Mazda MX-5 Miata (EUA); Eunos Roadster (Japão) e Mazda Roadster (Japão) são os nomes alternativos pelo qual o Mazda MX-5 Europeu é conhecido.

Desportivo, de motor dianteiro e tração traseira e vulgarmente conhecido como Mazda Roadster, é produzido desde 1989 na fábrica da Mazda em Hiroshima e teve o lançamento oficial no Salão de Chicago (EUA), naquele ano.

O popular modelo segue a filosofia de design lançada pela Mazda “Jimba Ittai”, que significa a união entre cavalo e cavaleiro e que se traduz numa das suas principais características que é o porte, a leveza, dinâmica e a simplicidade.

Inspirado nos desportivos ingleses e italianos dos anos 50 e 60, o MX-5 mantém até hoje o legado de sucesso que se traduz ainda num elevado prazer de condução e sensação de liberdade de quem vai ao volante.

Mazda MX-5: quatro gerações, duas carroçarias

Mazda MX-5 Miata
Fonte: Mazda

A concepção do MX-5 integra, desde 1989 até à atualidade, quatro gerações designadas pelos códigos: NA (1989-1997); NB (1998-2005); NC (2005-2015) e ND (2015 até ao presente).

Durante estes 30 anos de comercialização, o pequeno desportivo conhece apenas dois tipos de carroçaria: roadster, com soft top e a mais recente RF (retractable fastback), com um tejadilho rígido retrátil. Descubra-as aqui.

As gerações atuais dão resposta ao design KODO – Alma em Movimento, que atrai os sentidos de quem viaja no MX-5, contrastando assim com a primeira carroçaria com soft top, que apelava à evasão com os cabelos ao vento.

Seguindo este novo conceito, a Mazda criou um desportivo diferente: um “MX-5 com uma capota rígida totalmente elétrica, elegante estilo fastback” (…) e um interior luxuoso. Este é um novo tipo de experiência de condução a céu aberto e divertida, e mudará a sua forma de sentir com um simples toque de botão”, referem os responsáveis da Mazda.

O Mazda MX-5 RF é o mais recente produto deste modelo, tendo surgido apenas em 2016.

Desde sempre com motores entusiasmantes

Mazda MX-5
Mazda MX-5

Uma das características que estão associadas ao sucesso deste roadster são os motores, com sonoridades entusiasmantes e curiosamente sempre a gasolina.

A motorização original, um bloco 1.6 litros, de quatro cilindros em linhas e DOHC, disponibilizava 115 cv às 6.500 rpm e 136 Nm às 5.500 rpm.

Em 1994, este motor foi substituído pelo mais potente 1.8 litros que fornecia 128cv e 150 Nm de binário, mas mesmas configurações de rotações do motor 1.6 litros. Valores atualizados, mais tarde, em 1996, para 132 cv e 155 Nm.

Na segunda geração, a Mazda continuou a usar esta última configuração de motor, com a introdução de algumas melhorias ao nível de compressão e introdução de um coletor de admissão variável (Variable Intake Control System). O motor 1.8 litros passa a disponibilizar 140 cv e um binário de 157 Nm.

No ano de 2001, a segunda geração sofre um “facelift” estético, mas mantém a mesma disponibilidade mecânica, que em 2004-2005, sendo apenas reforçada com a introdução de uma variante turbo, que atingia os 178 cv e os 226 Nm de binário. Mais cavalos, mais potência igual a mais gozo na condução.

Com a terceira geração do MX-5, a marca disponibiliza duas motorizações. O bloco 2.0 litros denominado MZR LF-VE e um motor 1.8 litros MZR L8-VE. Ambos de quatro cilindros em linha com 16 válvulas DOHC.

O LF-VE atingia os 158 cv e 188 Nm de binário, enquanto 1.8 litros L8-VE produzia 126 cv e 167 Nm de binário e estava acoplado a caixa manual de 5 velocidades, enquanto o mais potente estava disponível com caixa manual de 5 ou 6 velocidades e ainda com caixa automática de 6 velocidades.

Quando equipado com caixa manual de 6 velocidades, a Mazda oferecia a possibilidade de escolha (na lista de opcionais) de um diferencial de deslizamento limitado.

A terceira geração sofreu ainda algumas alterações (no ano de 2008) estéticas e acertos na mecânica que ficou mais agressiva.

O motor passa a disponibilizar 167 cv às 7.000 rpm e o binário subiu para 190 Nm às 5.000 rpm. O red line surge agora às 7.500 rpm. Mais adrenalina, mais entusiasmo, mais divertimento.

Motores SKYACTIV na 4.ª geração e 4 estrelas no teste Euro NCAP

Mazda MX-5
Fonte: Mazda

A chegada da quarta geração traz novidades não só estéticas, quer no exterior, quer no habitáculo, como também ao nível de motores.

O MX-5 passa a receber a eficiente família de motorizações SKYACTIV, presentes também nos restantes modelos da marca.

As duas opções são um bloco 1.5 litros e um mais potente 2.0 litros que utilizam tecnologia de injeção direta, e mantém as mesmas configurações das gerações anteriores: quatro cilindros em linha, 16 válvulas e DOHC.

A versão 1.5 litros gera 129 cv. O modelo 2.0 litros alcança os 155 cv às 6.000 rpm e 201 Nm de binário às 4.600 rpm. A acompanhar estes motores estão duas transmissões de 6 velocidades, uma manual e outra automática.

Para os MX-5 que chegaram ao mercado neste ano de 2019, registaram-se igualmente alterações de índole mecânica, com o motor 2.0 litros a chegar aos 181 cv e aos 205 Nm de binário.

Outras alterações verificam-se no design, com vista a tornar o pequeno desportivo mais confortável e moderno.

Quanto a segurança o teste Euro NCAP atribui ao MX-5 4 estrelas.

Edição 30th Anniversary do Mazda MX-5

Para comemorar os 30 anos do modelo, a Mazda lançou a versão 30th Anniversary, numa edição limitada a 3 000 exemplares numerados, e disponível apenas na cor Racing Orange, com jantes em alumínio forjado a negro.

Para reforçar a exclusividade desta versão, o habitáculo está marcado por detalhes com acabamento na cor laranja que surge nos revestimentos das portas e tablier, bancos e seletor da caixa de velocidades.

Para tornar a condução ainda mais especial, nada como ter um som à altura. E se o do motor cativa desde logo pela exuberância, o som no habitáculo pode ter a assinatura da Bose e incluir nove colunas, para deleite sonoro, nos passeios em dia de chuva, que não permitem desfrutar da sonoridade do motor, no modo descapotável.

O que atrai tanto neste automóvel é a forma como se conduz, a mística sui generis e a excelência do comportamento, em paralelo com um visual apelativo e a facilidade com que a capota se arruma na mala e se conduz de cabelos ao vento, numa vivência de emoções.

E por fim claro, grande parte do sucesso deste carro ainda nos dias de hoje é o preço muito atraente. São 26.403 euros pedidos para o Roadster e 28.888 euros para o RF, num automóvel que encanta quem com ele convive diariamente, geração após geração.

Veja também