ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Miguel Pinto
Miguel Pinto
10 Mai, 2022 - 14:59

Fafião: do fojo do Lobo aos poços de água cristalina do Gerês

Miguel Pinto

Rumar à aldeia de Fafião, em Montalegre, é descobrir uma tradição comunitária do Gerês cheia de histórias e paisagens únicas. Uma visita obrigatória.

Miradouto de Fafião

A aldeia de Fafião não se explica. É uma daquelas aldeias em que o maravilhoso Gerês é pródigo, onde as tradições de antanho começam a ser redescobertas e valorizadas.

Suavemente pousada na freguesia de Cabril, em Montalegre, tem vindo a encontrar o turismo o antídoto para a imparável desertificação que, nas últimas décadas, deixou estas aldeias mudas entre os campos ao abandono e o teimoso granito que não se verga.

Fafião é uma aldeia comunitária, onde se pode usufruir da Natureza em estado puro, ouvir as suas muitas histórias e lendas, usufruir do maravilhoso rio e deambular por lagoas e poços, bem “escondidos no coração” de Fafião.

Ah, e fique a saber que esta é a melhor altura (entre maio e setembro) para visitar esta terra, de modo a evitar as chuvas e nevoeiros caraterísticos dos restantes meses do ano.

Fafião: guardião do espírito comunitário do Gerês

Fojo do Lobo em Fafião

Reflexo claro do espírito comunitário que animava a aldeia de Fafião, o fojo dos lobos ainda é bem visível e remete para aquele que acabou por se tornar num dos símbolos locais.

É que se, atualmente, o lobo ibérico é um espécie protegida, no passado era visto como uma ameaça às populações, em especial devido aos ataques aos rebanhos que os pastores guiavam em transumância pelo Gerês.

O muro do fojo servia para caçar o lobo, encurralando-o de forma a impedir a fuga. A estrutura é composta por dois muros altos que descem por uma encosta repleta de vegetação. O objetivo era que os lobos caíssem no poço que aí existia, com 3 metros de profundidade! O final da história é o que se pode adivinhar.

A verdade é que esta é uma prática há muito abandonada, mas por ali permanece a o fojo, um marco histórico importante e um dos mais bem preservados de toda a Península Ibérica.

Atualmente o lobo é o ex-líbris da aldeia, tendo até direito a um festival em sua honra. Por isso, aliar o descanso à exploração da Natureza em estado selvagem é o grande desafio de quem visita Fafião. Explore as cascatas (fechas) e, claro, o rio e as lagoas (poços). Siga as nossas sugestões.

Panorâmica do centro de Montalegre
Não perca Montalegre: frio e aconchego na terra das lendas e das serras

Poço verde

Por falar em poços, falemos agora do poço verde que é, na verdade, uma lagoa que fica no vale do rio Toco. O seu nome deve-se aos tons esverdeados das suas águas cristalinas, quando recebem em pleno a luz solar.

Para alcançar este lugar, tem de percorrer um trilho de cerca de 2,5kms. Ao mergulhar no rio, prepare-se para conviver, lado a lado, com as bogas, os escalos e, principalmente, as trutas.

Rio Fafião

Outro dos ex-líbris da aldeia é, simultaneamente, um dos maiores afluentes do rio Cávado, contando cerca de 12 quilómetros de extensão. Ao longo do seu curso, o rio Fafião é acompanhado de paisagens únicas, verdejantes, montanhosas, com bosques frondosos e praias fluviais de areia branca e fina.

O rio “termina” na zona conhecida como “As Dornas”, misturando-se com as águas do rio Cávado, igualmente límpidas e verdejantes.

Miradouro rio Cávado

Em Fafião, encontra ainda um miradouro para o rio Cávado, situado na estrada que liga a aldeia à Barragem de Salamonde. Daqui, consegue não só uma vista incrível para o rio Cávado, como para as montanhas e para toda a vegetação envolvente.

Lagoas em Fafião

Lagoas

Já dissemos que a aldeia também é conhecida pelas suas lagoas ou poços, nomeadamente pelas lagoas da Pote Pigarreira (ou Poços de Fafião). Ficam a 1,5 quilómetros da localidade, ligando a aldeia à Cascata de Tahiti, em Vilar da Veiga.

O seu acesso é fácil e são das piscinas naturais mais incríveis em que pode mergulhar.

Miradouro de Fafião

Se é apreciador de paisagens arrebatadoras, saiba que há mais um miradouro na aldeia que pode visitar. Este permite admirar, sobretudo, as montanhas em redor, sendo que o trilho é de fácil acesso e começa no Parque de Merendas, no centro da aldeia.

Onde comer?

Inevitável é deixar algumas sugestões gastronómicas, pois é preciso ganhar fôlego e energia para conseguir explorar todas as riquezas e encantos desta aldeia. O Restaurante Fojo dos Lobos é a principal referência local, situada no topo da aldeia. Na sua ementa, evidenciam-se as carnes de Barroso.

Como entradas, pode contar com os sabores locais: salpicão, alheira e chouriça de sangue assadas, acompanhados pelo melhor pão do centeio.

Depois, pode saborear os pratos mais tradicionais, como a posta de vitela dos lameiros do Barroso, grelhada e acompanhada pela deliciosa batata assada de Montalegre. Além disso, há ainda vitela assada, bife e costeleta.

Claro que também há opções de peixe, como o bacalhau frito e levado ao forno, com cebolada, maionese e gomos e puré de maçã.

Para terminar com a boca doce, renda-se às rabanadas com vinho tinto, à aletria, ao pudim e aos formigos, o doce mais tradicional da região.

Muitos motivos para desconfinar em segurança e no sossego das terras do Gerês, nesta belíssima aldeia de Fafião.

Nota: imagens cedidas pela Câmara Municipal de Montalegre

Veja também