Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
09 Set, 2021 - 10:00

8 Coisas que aprendemos ao morar sozinhos e que precisa de saber

Mónica Carvalho

É um período desafiante, mas que vale a pena. Para o provar, contamos-lhe 8 coisas que aprendemos ao morar sozinhos e que são muito úteis.

coisas que aprendemos ao morar sozinhos

Quem vive sozinho aprende a ser autónomo e independente e deve saber que vai ter de enfrentar e resolver quaisquer problemas, no momento em que é confrontado com eles. É nessa fase que nos deparamos com certas coisas que aprendemos ao morar sozinhos.

Lidar com contratos de água, luz; saber o que fazer em caso de avaria de algum equipamento; que cuidados ter no dia a dia… Tudo pode acontecer e há que estar preparado para os imprevistos – e, sobretudo, olhar para eles com alguma descontração.

Estará, de facto, preparado para esta grande aventura?

Estas são as coisas que aprendemos ao morar sozinhos. Tome nota!

Viver sozinho é o início de uma jornada diferente, marcante, mas muito especial. Por muito que ache que está preparado para lidar com os imprevistos e com todas as obrigações só a rotina do dia a dia o farão compreender o que significa estar por sua conta.

É certo que encontrará várias vantagens, como por exemplo ter a liberdade de fazer as refeições que quiser, à que quiser; organizar e arrumar tudo à sua maneira; e, claro, decorar o seu lar da maneira que mais gostar e lhe for conveniente. A decisão é só sua. Além disso, é uma forma de se conhecer melhor.

No entanto, há várias questões a que deve atentar.

rapariga casa nova
1

Criar um orçamento mensal

Ser financeiramente independente é um dos primeiros sinais da vida adulta e de que estamos por nossa conta. Todavia, tem de ter um plano para viver de forma equilibrada e estar preparado para os imprevistos que possam acontecer.

Assim sendo, no seu orçamento mensal deve contemplar todo o dinheiro que ganha, proveniente do seu salário, mas também de outras fontes de rendimento. Deve ainda incluir todas as despesas que tem, da mais elevada àquela que parece mais insignificante, como o café que toma todas as manhãs, por exemplo. Só assim terá a real perceção do valor do dinheiro.

Isto é fundamental principalmente para quem vai morar sozinho, porque é necessário ter sempre uma quantia inicial elevada para fazer face a todas as despesas associadas ao processo, seja de compra, seja de arrendamento.

2

Contratos

Uma das primeiras coisas que aprendemos ao morar sozinhos é que vamos lidar com muita burocracia e com muitas empresas prestadoras de serviços.

A começar pela casa: dependendo se vai comprar casa ou arrendar, há toda uma série de papéis a preencher, requisitos a cumprir e, claro, dinheiro que deve investir. No caso do mercado de compra, falamos do valor que deve ter para o pagamento da entrada, da escritura e dos impostos associados.

Por outro lado, em caso de arrendamento, deve certificar-se de que o contrato está de acordo com o acordado e que tem também disponível a quantidade necessária para pagar as rendas exigidas, bem como a devida caução.

Posto isto, seguem-se os contratos com os prestadores de serviços que lhe são essenciais. Falamos de água, eletricidade, gás e telecomunicações. Em primeiro lugar, deve analisar as diferentes opções, pacotes e respetivos preços que estão disponíveis, para eleger os mais adequados. Em segundo, celebrar os contratos selecionados e perceber que podemos ter de lidar com avarias ou até alguns problemas.

3

Limpeza e organização da casa

Ainda que não tenha que prestar contas a ninguém sobre quando e como trata das tarefas domésticas, convém desde logo estabelecer a sua própria rotina, para que tudo seja mais fácil.

Estabeleça um dia para as limpezas domésticas, ou vá limpando uma divisão por dia – como lhe for mais conveniente. Se facilitar, rapidamente perceberá que está a viver num ambiente confuso e desorganizado e isso pode destabilizar outras áreas da sua vida.

4

Gerir as compras de casa

Bem sabemos que uma casa com uma só pessoa não precisa de uma despensa tão recheada como uma casa com duas, três ou mais pessoas. Produtos com validade longa podem ser comprados em maior quantidade – aproveitando uma promoção, por exemplo -, mas os alimentos frescos devem ser adquiridos semanalmente e em porções reduzidas, para evitar o desperdício alimentar.

De igual modo pode, por exemplo, organizar as refeições da semana de forma antecipada, para poupar tempo em cada dia e manter o frigorífico sempre em ordem.

Mas não precisa de se preocupar apenas com as mercearias, deve também considerar os produtos de limpeza, de higiene pessoal e demais que considere necessário.

5

Reunir contactos úteis

Canalizador, eletricista… São os melhores amigos de quem vive sozinho. Se não sabe arranjar, o melhor é mesmo contratar os serviços de quem sabe e garantir que tudo fica a funcionar, sem problemas.

Afinal, nada dura para sempre e os equipamentos também avariam e os bens materiais estragam-se. Nesse caso, saber a quem ligar para resolver o problema é fundamental.

6

Saber lidar com os imprevistos

Não há livros de instruções que nos ensinem a viver sozinhos, por isso, todos os dias irá aprender algo novo e a experiência fará com que se sinta cada vez mais seguro nessa circunstância.

Todavia de uma coisa temos certeza: nem tudo corre como planeou, pelo que deve estar preparado para encarar os imprevistos como algo normal e não como um grande problema que não tem resolução.

7

Preparar refeições

É certo que temos muitas apps de entrega de comida em casa, que nos facilitam a vida, porém não são as opções mais económicas, nem as mais saudáveis. Por isso, cozinhar faz parte desta nova fase da sua vida e é mesmo uma das coisas que aprendemos ao morar sozinhos.

8

Atentar à manutenção da casa

Não espere que algo avarie para resolver um problema. Faça inspeções periódicas às instalações de gás, ao ar condicionado, à canalização: a prevenção é mesmo o melhor remédio.

Mostramos-lhe algumas dicas úteis que vão facilitar esta transição e a entrada numa nova fase da sua vida. Apesar dos contratempos que poderá encontrar, lembre-que que a sua casa é o local perfeito para recarregar energias, para ter o seu refúgio exclusivo e, acima de tudo, descobrir melhor quem é e o que pretende da vida.

Veja também