Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Helena Peixoto
Helena Peixoto
03 Ago, 2019 - 07:56

Decoração de interiores: o guia que vai querer guardar

Helena Peixoto

A decoração de interiores nasce da necessidade de melhorar espaços de forma a dar resposta às necessidades das pessoas. Saiba tudo aqui tudo o que precisa.

Decoração de interiores: o guia que vai querer guardar

Se pensa que a decoração de interiores se limita à tradicional ideia de decorar uma divisão da casa, está bem errado. Hoje, o decorador de interiores é também capaz de projetar um conceito, de alterar os espaços com determinados objetivos, dominando tecnologias que lhe permitem ir sempre um pouco mais além, idealmente em articulação com o designer de interiores!

Neste artigo vamos fazer uma pequena viagem pelo mundo da decoração de interiores, perceber os seus principais conceitos e diferenças face ao design de interiores. Fique connosco!

Decoração de interiores vs design de interiores

Para que consiga mais facilmente perceber a diferença, veja a decoração de interiores como uma área complementar do design de interiores. Enquanto que o design de interiores faz todo um projeto de remodelação de um espaço, incluindo alterações de estruturas e paredes, a decoração de interiores “joga” com aquilo que tem.

Um designer de interiores está habilitado para deitar paredes abaixo ou mudar paredes do sítio. Já um decorador de interiores tem em conta as características do espaço e joga com as mesmas. Podemos quase encarar a decoração de interiores como uma fase de todo o processo de design.

Ambos necessitam de competências de gestão de projetos e orçamentos, mas as necessidades de conhecimentos técnicos são diferentes.

As 5 regras de ouro na decoração de interiores

Remodelar a casa: saiba quanto vai gastar

1. Pesquisar

A fase inicial de uma decoração de interiores deve sempre partir da investigação. É necessário consultar revistas da especialidade, visitar exposições, conhecer as lojas certas, pesquisar online, reconhecer estilos de decoração até estar pronto para tomar decisões.

Mesmo os decoradores com a máxima experiência procuram sempre sites e profissionais de referência. Além disso, é muito importante estar a par das últimas tendências!

2. Respeitar características do espaço

Para decorar um espaço com o máximo de aproveitamento e estilo é fundamental respeitar não só as características arquitetónicas do edifício, como a finalidade da divisão.

E se esses 2 primeiros itens são essenciais, um terceiro entra na equação e não pode nunca sair: os gostos, interesses e personalidade das pessoas que vão ocupar esse espaço. Afinal, é para o cliente que o decorador trabalha e é o gosto de cada um que deve estar em cima da mesa e não o da pessoa que fornece o serviço.

3. Planificar

Este passo é meio caminho para o sucesso de qualquer projeto: colocar tudo por escrito e devidamente organizado! Possuir um cronograma com todos os passos da decoração, orçamentos conseguidos, medidas de cada um dos objetos e responsabilidades a assumir é absolutamente fundamental para que tudo corra sobre rodas.

Além disso, este planeamento acaba por ser uma forma de proteção, tanto para o cliente como para quem está a fazer efetivamente a decoração de interiores, afinal, está tudo escrito no papel! Neste projeto devem estar incluídos todos os detalhes possíveis relativamente ao espaço a ser decorado.

4. Ousadia q.b.

Qualquer projeto de decoração deve colocar em evidência a ousadia do seu decorador. É importante saber arriscar, criar pontos de enfoque, escolher peças-chave, combinar diferentes materiais e texturas.

Mas atenção: arrisque quando tem mesmo a certeza do que está a fazer. Caso contrário, pode estar a dar um tiro no pé. Na dúvida, opte por algo mais consensual ou peça ajuda e aconselhamento!

5. Standards de qualidade

Este princípio não deve nunca ser descurado, sob pena de colocar todo o projeto em risco. Se os materiais, mobiliário ou outros elementos não forem de qualidade, o resultado será, com certeza, mais pobre e menos duradouro.

Aposte em matérias primas de qualidade e em mobiliário que sabe que vai durar. Por vezes o barato sai caro, nunca se esqueça disso!

O que não deve fazer num plano de decoração de interiores

Da mesma forma que lhe damos a conhecer os mandamentos de uma boa decoração de interiores, não é menos importante saber o que não deve fazer. Anote os principais erros que deve evitar:

1. Tomar decisões precipitadas

Principalmente no ato da compra de materiais como tecidos, tintas, objetos ou mobiliário, os impulsos raramente dão bom resultado. Analise, teste, compare e só depois compre.

2. Seguir as tendências em demasia

Embora a decoração de interiores seja claramente influenciada por tendências, evite estilos decorativos que depressa passam de moda e dos quais se pode cansar rapidamente.

Siga a tendência através de elementos que possam ser substituídos facilmente ou com pequenos apontamentos. Caso contrário vai rapidamente cansar-se e o esforço de mudança vai ser seguramente maior.

3. Exagerar

Preencher uma divisão com inúmeros elementos e peças de decoração tornarão o ambiente disperso e confuso. Prefira dar valor aos detalhes e não à quantidade de objetos decorativos.

Sobre a decoração de interiores em Portugal

No nosso país existem já vários decoradores de interiores com trabalhos de excelente qualidade e com reconhecimento não só nacional como internacional. Alguns gabinetes de decoração centram-se no trabalho de um só designer de interiores, outros privilegiam o trabalho de equipa.

Veja os principais nomes da decoração de interiores em Portugal:

A decoração de interiores é cada vez mais levada a sério e isso faz com que a atividade tenha mostrado uma grande evolução nos últimos anos. Não perca o comboio e mantenha-se sempre atualizado.

E por que não aproveitar para descobrir o decorador de interiores que há em si? Mesmo com um pouco de tempo, mas muita investigação, dedicação e estudo, você mesmo pode fazer a decoração de interiores de sua casa como se fosse um verdadeiro profissional!

Veja também