Publicidade:

Alugar carro: 12 dicas essenciais a ter em conta

Se vai de férias, sobretudo para o estrangeiro, e precisa de ir dos pontos A a B, as opções não são muitas e a melhor é sempre alugar carro. Atente nas dicas.

Alugar carro: 12 dicas essenciais a ter em conta
Conheça 12 dicas para poupar quando alugar carro

Alugar carro é uma excelente opção para quem quer conhecer uma região, onde a rede de transportes não existe ou é bastante cara. Nas férias em família, o conforto de ter o próprio carro compensa os custos de uma fraca rede de transportes.

Quer tirar o melhor partido do aluguer? Tenha em atenção os seguintes fatores.

12 dicas para poupar quando alugar carro


1. Alugar carro o mais cedo possível

alugar carro

Tente verificar todas as agências próximas da cidade onde irá precisar do carro. Por vezes, as diferenças de preço são mais altas do que o que estamos à espera e pode compensar fazer uns quilómetros a mais para levantar o veículo.

2. Ter em atenção o número de lugares e o espaço para bagagens

Se vai com um grupo de 4 pessoas ou se vai usar a bagageira para colocar as malas dos tripulantes, não faz sentido alugar um Smart. Fica mais em conta alugar uma monovolume do que dois Smarts e, claro, que o conforto também vai ser diferente.

3. Ponderar se pagar online fica mais em conta do que na agência

Caso seja possível, faça as contas, telefonando para algumas agências e perguntando os preços. Normalmente, fica mais em conta pagar online com cartão de crédito, mas nem sempre se verifica isto.

4. Avaliar os termos do contrato e número de quilómetros

conferir contrato

Tenha em atenção ao tipo de contrato que faz com a agência. Por vezes, o número de quilómetros pode ser limitado. Verifique bem se não vai exceder o que está estipulado pela agência, nem ficar muito próximo do limite. Isto porque, regra geral, acabamos sempre por fazer alguns quilómetros a mais, principalmente em cidades ou locais que não conhecemos.

5. Refletir sobre qual combustível escolher

Peça um carro a gasóleo, apenas se fizer bastantes quilómetros. Caso contrário, o valor do aluguer não vai compensar. Compare os preços de um carro a gasolina com um idêntico a gasóleo. Verá que a diferença ainda é alguma e, alugar um carro a gasóleo para fazer 300 quilómetros, por exemplo, não é muito vantajoso.

6. Escolher sempre a opção full to full

Esta opção é a mais vantajosa para ambas as partes. Assim, só paga o combustível que consome. Recomendamos que quando esteja um pouco longe do local de entrega, coloque apenas o combustível necessário para chegar ao destino e perto do local encha o depósito. Isto porque, por vezes, o ponteiro do combustível pode oscilar um pouco e, se ao entregarmos o veículo, este oscilar para baixo, a agência pode cobrar o restante combustível, de acordo com o seu preçário que, regra geral, é mais caro do que nos postos de combustível mais comuns.

7. Verificar o veículo, antes de sair da agência

verificar carro

Antes de sair da agência, verifique sempre as condições do carro (interior, exterior, pneu suplente, estado das luzes, etc.) e ao entregar o carro peça sempre uma fotocópia do estado do veículo para se defender em caso de litígio.

8. Ter em atenção o horário da agência

Antes de sair com o carro, verifique se a agência está aberta na hora prevista de entrega e entregue o veículo a horas, para que a rent-a-car não lhe fature um dia a mais.

9. Fazer um pequeno test-drive

Tenha especial atenção durante os primeiros quilómetros e, se possível, faça um pequeno teste a tudo (travões, embraiagem, etc.). Se encontrar algum problema, volte à agência para trocar de carro.

10. Limpar o carro

limpar carro

Não entregue o veículo muito sujo, caso contrário a agência poderá cobrar o custo da limpeza (tenha especial atenção ao pelo de animais ou ao cheiro a tabaco).

11. Conferir as condições do seguro

Para quem aluga um carro, esta questão é das mais importantes.

Nenhum carro pode andar na via pública sem um seguro de responsabilidade civil e os carros de aluguer não são exceção. No entanto, há algumas diferenças.

O mais importante neste aspeto é o valor da franquia (montante pelo qual o cliente é responsável, em caso de acidente). Por exemplo, se a franquia é de 500€ e ocorre um acidente com danos no valor de 5000€, o cliente paga 500€ e o seguro do automóvel cobre o restante.

Por vezes, estes seguros podem também ter franquias de uma determinada percentagem, pelo que devemos ter especial atenção, porque se pagarmos 20% (por exemplo) de um sinistro avaliado em 20.000€, significa que temos de suportar 4000€, valor que, a maioria das vezes, supera muito o valor que tínhamos disponibilizado para o aluguer.

12. Fazer uma revisão ao carro

As revisões que os funcionários das empresas fazem, também têm de ser feitas meticulosamente por nós e, sempre que puder, fotografe o carro, focando as partes mais duvidosas antes e depois do aluguer, como prova de que o veículo foi entregue e devolvido nas mesmas condições.

Veja também: