Publicidade:

6 incríveis benefícios da urtiga para a saúde

Há benefícios da urtiga que desconhece e podem ser muito úteis. Depois de ler este artigo, vai pensar duas vezes antes de “mandar tudo para as urtigas”!

6 incríveis benefícios da urtiga para a saúde
Conheça as 1001 facetas da urtiga

Esta planta quase dispensa apresentações, certo? Afinal, são ervas inesquecíveis pelo seu toque urticante. Por ser tão pouco apreciada, esconde segredos terapêuticos de grande valor medicinal – e nós vamos desvendá-los. Descubra os benefícios da urtiga.

A urtiga e as suas 1001 facetas


urtigaFonte: PxHere/CC0

Parece difícil reconhecer virtudes nesta planta. Culpeper, antigo botânico britânico, dizia que as urtigas podem ser encontradas na mais pura escuridão através do toque! Da família das Urticáceas, trata-se de uma planta vivaz. A urtiga, urtigão ou urtiga maior desenvolve-se em locais húmidos e sombrios, campos cultivados um pouco por todo Portugal.

Na indústria têxtil, foi intensamente usada para a confeção de tecido e roupa até ao século XX. Ao longo da história, vários povos fizeram uso da urtiga para variados fins. Desde sopa de urtigas – muito apreciada pelos escoceses -, “unturas” ou cremes à base de urtigas – feitos pelos aborígenes para aplicar nas entorses -, até à agricultura biológica, para afastar parasitas de outras plantas e doenças parasitárias nas culturas.

As partes aéreas floridas e as raízes são as utilizadas para fins terapêuticos, com ação anti-inflamatória, diurética, remineralizante (sem perda de sais minerais), imunoestimulante e antioxidante.

Devido à ação dos tricomas, uma das propriedades que se destaca é a reação local irritante quando é aplicada a folha recente, provocando aumento da circulação local e da temperatura.

Acha que já sabe tudo sobre a urtiga? Desengane-se e continue a ler para descobrir os benefícios da urtiga.

Descubra os incríveis benefícios da urtiga e surpreenda-se


beneficios da urtiga

Listamos as principais indicações terapêuticas da urtiga. Deixe-se surpreender!

1. Infeções urinárias

Por ser diurética e anti-inflamatória, a urtiga promove o bom funcionamento das vias urinárias e o aumento da quantidade de urina. Previne e trata as afeções urinárias através da ingestão da água de cozimento das partes aéreas floridas. Beba duas ou três chávenas por dia.

2. Reumatismo

A urtiga é depurativa e aumenta o volume de urina, baixando o ácido úrico e a ureia, sem promover a perda de potássio, ajudando as pessoas com reumatismo.

Beba água de cozer as folhas e as flores, duas ou três chávenas por dia. O extrato seco, por sua vez, ajuda a eliminar a acidez no sangue, que é a origem das inflamações articulares nestes casos.

3. Gota

Na prevenção e alívio nas crises agudas dos seus sintomas, a urtiga ajuda a eliminar a hiperuricemia, baixando os níveis de ácido úrico no sangue, tornando-o mais alcalino.

4. Hipertensão e cálculos renais

A urtiga atua na prevenção dos problemas de hipertensão e cálculos renais. É também uma excelente terapia de suporte para aliviar os sintomas, porque estimula a perda de líquidos corporais. Nestes tipos de quadros clínicos, as partes floridas das urtigas podem efetivamente ser uma boa terapia de suporte.

5. Hiperplasia benigna da próstata

As raízes da urtiga inibem a enzima 5 alfa reductase, responsável por esta patologia (grau I e grau II). Nesta situação, usa-se a água do cozimento das raízes (uma colher de sopa), tomando cerca de três ou quatro chávenas por dia.

6. Anemia

A urtiga é excelente para tratar quadros de anemia – principalmente quando a anemia é por deficiência de vitaminas ou sais minerais. A parte florida da urtiga tem ação hematopoiética, aumentando a produção de hemoglobina e glóbulos vermelhos.

Veja também:

Ana Luisa Santo Ana Luisa Santo

Enfermeira especializada em acupuntura e medicina tradicional chinesa. É uma apaixonada pela saúde natural e terapias alternativas, explorando ativamente formas seguras de cuidar a saúde e o bem-estar. Trabalhou no Serviço de Cuidados Intensivos do Hospital Geral Santo António, Porto. Atualmente trabalha na consulta de acupuntura do Hospital da Lapa. Docente no Instituto Jean Piaget. Enfermeira voluntária na AMI.