Publicidade:

10 dicas para estudar para os exames nacionais com sucesso

Chegou a época deles e todos querem dar o seu melhor. Partilhamos, então, 10 dicas para estudar para os exames nacionais e atingir os resultados pretendidos.

10 dicas para estudar para os exames nacionais com sucesso
Estratégias de estudo para atingir os objetivos

Saber estudar para os exames nacionais é muito mais do que olhar para os livros e apontamentos e achar que se está totalmente preparado. Afinal, estes exames poderão ditar o futuro académico do estudante e, como tal, a pressão é grande, o que faz com que muitos alunos não saibam lidar com a situação da melhor maneira.

Estudar para os exames nacionais pode ser um verdadeiro desafio. Mas que é facilmente ultrapassado quando a forma de estudar e os métodos que se utilizam são os mais adequados. Aqui ficam as nossas dicas para um estudo eficaz.

Como estudar para os exames nacionais? 10 estratégias eficazes


estudar

1. Não desistir à primeira

O nosso cérebro demora cerca de 15 minutos a atingir o nível máximo de concentração, após iniciarmos uma tarefa. Isso significa que devemos focar-nos no estudo sempre durante mais de 15 minutos seguidos. O primeiro quarto de hora deverá servir para planificar o estudo, fazer uma revisão geral dos últimos conteúdos estudados e definir objectivos.

Só depois estaremos plenamente preparados para estudar “a sério”.

2. Manter longe os elementos distratores

Se nesses primeiros 15 minutos em que estamos a estudar para os exames nacionais o telefone tocar, recebermos notificações de atividade nas redes sociais, ou cedermos à tentação de consultar o email – ainda que muito rapidamente – todo o esforço de concentração terá que começar novamente do início!

Por isso, e para que não haja mais perda de tempo, o recomendado é que quando se inicia o estudo, o telefone deva ser desligado e computador e a televisão mantidos à distância.

3. Organizar o espaço

A organização do espaço de estudo é crucial para sermos produtivos. Garantir, antes de começar a estudar, que todo o material necessário está à mão, e que este se encontra devidamente arrumado e em condições de ser utilizado, é fundamental.

4. Ter o material necessário

Se quando começarmos a estudar não tivermos tudo o que é preciso perto de nós, vamos fazer quebras desnecessárias no estudo – e consequentemente nos níveis de concentração. Assim, convém ter à mão tido aquilo que é necessário, de acordo com a disciplina para a qual se está a estudar:

  • Livros, cadernos, fichas e apontamentos das aulas;
  • Material de escrita;
  • Marcadores para destacar as informações mais importantes;
  • Máquina de calcular;
  • Material de desenho (para as disciplinas que assim o exijam).

5. Garantir melhores condições para ser mais produtivo

É boa ideia estudar num espaço reservado da casa, onde não se seja incomodado nem existam fatores de distração que quebrem o ritmo e interfiram com o método de estudo.

É importante escolher uma secretária ou mesa com uma cadeira confortável — mas não tão confortável ao ponto de causar preguiça — e não, a cama não é opção, pois oferece uma tentação demasiado grande.

Há também que garantir luz directa e suficiente para ver bem o que se está a ler e a escrever, sem esforço para os olhos. A luz deve incidir pelo lado esquerdo, no caso dos destros, e pelo lado direito, para os canhotos.

6. Estudar para os exames nacionais: com música ou sem?

Há muitas pessoas que gostam de estudar com música; outras concentram-se mais quando estão em silêncio. Alguns estudos mostram que estar em silêncio ajuda à concentração, embora outros indiquem, por exemplo, que a música clássica pode contribuir para estudar de forma mais produtiva.

O importante é optar por aquilo que funciona melhor para cada um, garantindo sempre que os objectivos do estudo são cumpridos!

7. Fazer pausas

Se é certo que o estudo não deve ser interrompido até 15 minutos depois de o começar, também é sabido que a produtividade descresce ao fim de muito tempo a realizar a mesma tarefa. Sabe-se ainda que estudar com fome, sede, sono, frio ou calor faz com que menos informação seja retida.

Por esse motivo, recomenda-se uma pausa de 10 minutos a cada duas horas para ajustar as condições do ambiente de estudo e para comer alguma coisa. Assim, o estudo renderá mais!

8. Dormir bem

Dormir é essencial para o reforço da capacidade de memorização. Directas para estudar são por isso desaconselhadas! O melhor é gerir o estudo de forma a não prescindir das horas de sono diárias, até para conseguir memorizar tudo. Repousar antes dos exames é essencial, para poder raciocinar com clareza e eficácia.

9. Fazer um horário de estudo

Neste horário, devem ser incluídos os períodos dedicados a estudar para os exames nacionais, mas também os tempos de lazer, alimentação e descanso. Ter momentos de pausa e diversão não só nos ajuda a manter saudáveis, como a retomar a concentração assim que voltarmos ao estudo.

10. Estabelecer objectivos

Antes mesmo de começar a época de exames, é importante refletir sobre os resultados que queremos atingir. Para cada disciplina, devemos estabelecer o resultado desejável e pensar no investimento que é preciso fazer para consegui-lo. Estes serão os grandes objectivos! E quanto mais realistas forem, mais provável é que possam ser atingidos com sucesso! Boa sorte!

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.

Saiba tudo sobre emprego