Publicidade:

Será o multitasking positivo ou prejudicial?

Por termos tão pouco tempo, o multitasking é uma estratégia cada vez mais usada. Mas será produtivo tentar fazer tudo ao mesmo tempo?

Será o multitasking positivo ou prejudicial?
Reflita sobre este modo de agir tão habitual nos dias que correm

Num mundo em que o tempo parece não ser suficiente face a tanto que há para fazer, o multitasking parece surgir como um imperativo. De facto, cada vez mais, tenta-se fazer o máximo possível no menor espaço de tempo. Não nos esqueçamos de que os avanços tecnológicos, associados à facilidade de comunicação nos dias de hoje, afetam a nossa concentração.

Por isso, é tão comum, nos locais de trabalho, vermos quem esteja em frente ao computador, a abrir e a fechar várias janelas, a falar ao telefone, a responder a mensagens de texto, a ler e-mails e as notícias, a navegar nas redes sociais, entre muitas outras tarefas, todas feitas ao mesmo tempo. Contudo, será o multitasking positivo? Poderá melhorar a produtividade?

Um estudo realizado pelo software RescueTime, a partir da monitorização do ecrã de colaboradores e da classificação das tarefas mediante uma escala de produtividade, baseando-se nos valores da empresa e de cada colaborador, concluiu que um trabalhador multitasking teria menor produtividade do que um funcionário que realiza uma tarefa de cada vez.

O multitasking não é tão positivo como pode parecer ao início


multitasking

O que nos diz a neurociência?

A neurociência afirma que sempre que o cérebro de um ser humano faz uma interrupção de uma tarefa, demora cerca de 20 minutos a conseguir concentrar-se de novo. Desta forma, apesar de, aparentemente, praticar multitasking dê a impressão de que várias tarefas estão a avançar em simultâneo, a verdade é que a velocidade com que essas tarefas estão a ser desenvolvidas é, efetivamente, mais lenta.

Há atividades que afetam a produtividade mais do que outras?

Segundo o estudo da RescueTime, ler as notícias, por exemplo, afeta a produtividade em escala menor do que estar ativo nas redes sociais, o que comprova que há atividades que têm um impacto mais negativo do que outras.

O stress associado ao multitasking

Os especialistas em Saúde alertam para o facto de que quem faz multitasking pode ter dificuldade em estabelecer prioridades. Logo, estas pessoas têm uma maior propensão para cometerem erros e para sobrecarregarem as suas mentes, devido ao cansaço mental que se prende com fazer várias tarefas ao mesmo tempo. Por esse motivo, as pessoas que fazem multitasking revelam níveis mais elevados de stress.

O que fazer, então, para garantir a qualidade do trabalho realizado?

Uma vez que nos encontramos num mundo cheio de apelativos exteriores, com o mundo tecnológico a permitir uma conexão constante ao mundo em nosso redor, o que pode facilmente afetar a nossa distração, é fundamental que a disciplina impere e que se filtrem as informações. Paralelamente, é importante que as tarefas sejam organizadas, começando-se das mais simples e avançando-se, gradualmente, para as mais complexas.

Para que isto seja possível, as distrações que afetem a produtividade devem ser evitadas. Só assim será possível não afetar a qualidade do trabalho, otimizando o tempo e, também, protegendo a mente de muita ansiedade e pressão. Assim, se quer produzir mais, deverá concentrar-se numa tarefa de cada vez. É tudo uma questão de bom senso.

Veja também:

Catarina Mesquita Catarina Mesquita

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, Pós-Graduada em Linguística Portuguesa e Mestre em Estudos Portugueses Multidisciplinares, possui experiência de mais de quinze anos ao serviço da educação, da tradução e da escrita.