Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Silva
Inês Silva
28 Jul, 2019 - 07:17

Estilos de tomar decisões: como adaptar e reduzir o stress

Inês Silva

Há diferentes estilos de tomar decisões. Perante escolhas difíceis, conhecer o nosso pode ajudar a reduzir o stress. Quer saber qual é o seu?

Estilos de tomar decisões: como adaptar e reduzir o stress

Um estudo publicado no Journal of Personality & Social Psychology, uma publicação científica da Associação Americana de Psicologia, analisou o potencial de sofrimento causado pela tomada de decisões e descobriram que decidir é, aparentemente, angustiante quando nos preocupamos excessivamente em fazer a escolha certa. Ou seja, este possível stress depende dos estilos de tomar decisões de cada pessoa.

A boa notícia é que o estudo indica ainda que há formas de modificar a orientação individual para a tomada de decisões e transformar essa tarefa numa experiência menos assustadora.

Assim sendo, quando confrontados com grandes escolhas, é importante descobrir qual o nosso estilo de tomar decisões e adaptá-lo de maneira a reduzir a angústia na hora de decidir. Continue e ler e conheça as diferentes caraterísticas.

Características dos diferentes estilos de tomar decisões

estilos de tomar decisões

Estudos na área da psicologia revelam que cada indivíduo tende a tomar decisões de maneira diferente. Embora isto possa parecer óbvio, há uma teoria que defende duas categorias principais nas quais se enquadram qualquer modo de decidir.

Numa das categorias, a decisão é orientada pela avaliação, ou seja, o decisor está preocupado em fazer a escolha certa. Normalmente, os indivíduos que se encaixam nesta categoria, são pessoas obcecadas em encontrar verdades únicas e fazer as coisas da maneira “apropriada”. Se prefere estar certo a estar feliz, as suas decisões são tomadas em modo de avaliação.

Por outro lado, se a tomada de decisões é orientada pela ação e motivada pela mudança, estamos perante pessoas decididas e rápidas a agir. Enquanto que na categoria anterior os sujeitos estão ocupados a avaliar e preocupados em fazer a escolha perfeita, nesta categoria os decisores passam logo para a ação.

Os autores deste estudo, publicado pela  Associação Americana de Psicologia, concluíram que os indivíduos que se inclinavam mais para um estilo de avaliação, eram os mais propensos a sentir desconforto e ansiedade a tomar decisões do que aqueles com mais tendência para decidir rapidamente.

Mas qual destes estilos de tomar decisões é o melhor?

O estudo revelou que, quando se tratam de decisões quotidianas, a ação imediata é a melhor opção. Não só é mais rápido decidir, como também a probabilidade do trabalho ser feito é maior, ficando assim, os indivíduos, mais satisfeitos com o resultado da sua escolha.

Devido à forte associação ao sofrimento mental, a pesquisa sugere que a tomada de decisão no modo de avaliação deve apenas ser feita em situações de maior risco, nomeadamente em investimentos financeiros ou em escolhas que podem alterar por completo a vida pessoal ou profissional.

Estilos de tomar decisões: 3 passos para saber como agir

estilos de tomar decisões

1. Descubra qual o seu estilo

É importante que faça uma autoavaliação e descubra qual o estilo para o qual é mais propenso. Ao fazer isto, será mais fácil garantir que está a aplicar o modo certo ao contexto apropriado.

Faça o seguinte teste: classifique as seguintes declarações de 1 a 5, sendo que 1 é discordo totalmente e 5 é concordo totalmente. Depois, some a pontuação:

  1. Não me importo de fazer as coisas, mesmo que envolvam um esforço extra.
  2. Sou um workaholic.
  3. Antes de atingir um objetivo, já me sinto animado.
  4. Gosto de fazer coisas ativamente, mais do que ficar apenas a olhar.
  5. Assim que termino uma tarefa, já tenho a próxima em mente.

Agora, siga as mesmas instruções também nestas afirmações:

  1. Perco muito tempo a listar as minhas características positivas e negativas.
  2. Sou muito auto-crítico e consciente daquilo que digo.
  3. Muitas vezes penso que as escolhas e as decisões das outras pessoas estão erradas.
  4. Costumo criticar o trabalho feito por mim e pelos outros.
  5. Quando conheço alguém novo, costumo avaliar a aparência, desempenho, conquistas, status social, etc.

Depois de calcular as suas pontuações para as duas secções, compare as duas.

Se a sua pontuação para os primeiros 5 está mais próxima de 25 do que a sua pontuação nos últimos 5, isto quer dizer que, provavelmente, depende de um estilo de decisão para a ação na maioria das suas escolhas.

Se, no entanto, estiver mais próximo de 25 na segunda parte, provavelmente será mais um avaliador.

Como tomar decisões importantes no trabalho (e na vida)
Veja também Como tomar decisões importantes no trabalho (e na vida)

2. Avalie a situação

Para determinar que estilo de decisão usar, deve primeiro avaliar o tipo de decisão que está a tomar. As decisões de alto risco são aquelas que devem ser orientadas pela avaliação. Para as decisões de baixo risco, a melhor abordagem é a orientada pela ação.

Uma decisão de alto risco é definida por:

  • Ter uma única resposta definida, é sim ou não;
  • Ter uma linha clara a dividir o certo e o errado;
  • Ter consequências imediatas para si e para os outros, se incorreta.

Uma decisão de baixo risco é definida por:

  • Não ter consequências significativas ou públicas;
  • Ter mais valor para o indivíduo do que para qualquer outra pessoa;
  • Não ter uma reposta definida, pode ser sim ou não ou até mesmo talvez.

3. Adapte o seu estilo às suas necessidades

Assim que sabe qual o tipo de decisão que está preste a tomar, adapte o seu estilo à situação. Lembre-se que uma escolha de baixo risco é melhor resolvida com a tomada de decisão pela ação, ao contrário de uma situação de alto risco que é melhor gerida pela avaliação.

É interessante compreender os diferentes estilos de tomar decisões, pois isso também pode ajudar a perceber as pessoas que nos rodeiam e mesmo cada um de nós. Para além disso, é importante que saiba que tipo de decisor é, para ajustar a sua forma de tomar decisões e, se for o caso, avaliar até alguma das decisões que tem tomado.

Veja também