Publicidade:

Nível de escolaridade: descubra o que é e qual o seu

O nível de escolaridade de alguém é indicativo do último ano escolar concluído com aproveitamento. Vamos saber mais sobre este conceito.

Nível de escolaridade: descubra o que é e qual o seu
Nível de escolaridade: importante ou não para encontrar um emprego?

nível de escolaridade define o patamar máximo a que um estudante chegou na sua carreira académica, escolar ou de formação. Em Portugal, o nível de escolaridade é geralmente considerado pelas entidades empregadoras quando estas avaliam a adequação dos perfis dos candidatos a uma vaga de emprego.

Nível de escolaridade: importante ou não para encontrar um emprego?


sistema educativo portugues

Como vimos, o nível de escolaridade de um indivíduo traduz-se no patamar educativo ou formativo atingido por esse indivíduo. Por outras palavras, se uma pessoa estudou até concluir o Ensino Secundário, considera-se que o seu nível é o décimo segundo ano. A partir do momento em que essa pessoa conclui o primeiro ciclo de estudos na faculdade, passa a ter como nível de escolaridade uma licenciatura, que corresponde ao nível 6, como vamos ver mais abaixo.

Nível de escolaridade como indicador demográfico

O nível de escolaridade é também um dado importante para apurar o grau de desenvolvimento de um país no que à Educação diz respeito. Como se sabe, o acesso à Educação é considerado essencial para o bem-estar individual e social e para o progresso científico, cultural e tecnológico da sociedade. Assim, em Portugal, o aumento do nível de escolaridade mínima tem sido um dos cavalos de batalha do Governo. Até há relativamente pouco tempo havia uma taxa muito elevada de analfabetismo em Portugal.

Aliás, dados recentes afirmam que Portugal é um dos países da OCDE com níveis de escolaridade mais baixos entre os jovens adultos. Abaixo, só poderemos encontrar o México, a Turquia e a nossa vizinha Espanha. 70,0% da população ativa portuguesa não tinha, no ano de 2008, concluído um nível de escolaridade superior ao 3.º ciclo do ensino básico.

A sua importância na obtenção de emprego

Apesar de a maioria dos empregadores valorizar sobretudo a experiência do candidato, o nível de escolaridade é sempre ou quase sempre considerado importante no processo de candidatura a uma oportunidade de emprego. Além disso, o candidato poderá necessitar de conhecer o seu nível de qualificação. Sabe qual é o seu?

Nível de qualificação: o que é?

O nível de escolaridade apura-se atentando à classificação da qualificação escolar dos cidadãos, que se distribui, atualmente, em oito sub-níveis, de acordo com o quadro nacional de qualificações. Assim, como verá, cada nível de escolaridade corresponde a uma determinada qualificação.

Vamos verificar quais são os diferentes níveis de escolaridade e o grau de qualificação a que correspondem.

Para começar, importa recordar que existem três grandes grupos de níveis de escolaridade em Portugal:

  • Ensino básico
  • Ensino secundário
  • Ensino superior

Estes três grupos subdividem-se em oito níveis de escolaridade, que são agrupados da seguinte forma:

  • o nível 1 corresponde a ter concluído o 2.º ciclo do ensino básico (6.º ano);
  • já o nível 2 corresponde ao 3.º ciclo do ensino básico, obtido no ensino regular ou por percursos de dupla certificação;
  • o nível 3 corresponde ao ensino secundário vocacionado para o prosseguimento de estudos a nível superior;
  • o nível 4 é o ensino secundário obtido por percursos de dupla certificação ou ensino secundário vocacionado para o prosseguimento de estudos a nível superior acrescido de estágio profissional com duração mínima de seis meses;
  • o nível 5 corresponde à qualificação de nível pós-secundário e não superior com créditos para o prosseguimento de estudos a nível superior;
  • o nível 6 corresponde à conclusão de uma licenciatura;
  • o nível 7 corresponde à conclusão de um mestrado;
  • no topo desta hierarquia temos o nível 8, que corresponde à conclusão de um doutoramento.

Nível de escolaridade e organização do sistema educativo português

O Sistema Educativo Português compreende o ensino pré-escolar, o básico, o secundário e o superior. O ensino pré-escolar não conta oficialmente como um nível de escolaridade, apenas é encarado como uma forma de preparação para o ingresso no ensino básico.

Ensino Básico

O ensino básico tem a duração de nove anos, dos 6 aos 15 anos de idade, e está estruturado em três ciclos sequenciais, com uma duração de 4, 2 e 3 anos, respectivamente: escola primária (do primeiro ao quarto anos), segundo ciclo (5.º e 6.º anos) e terceiro ciclo (7.º, 8.º e 9.º anos).

Ensino Secundário

O ensino secundário tem um referencial de três anos letivos e encontra-se organizado segundo formas diferenciadas, com cursos permeáveis entre si, orientados quer para o prosseguimento de estudos, quer para o mundo do trabalho, como os cursos profissionais.

Ensino Pós-Secundário Não Superior

O ensino pós-secundário não superior encontra-se organizado em cursos de especialização tecnológica (CET), visando a inserção qualificada no mundo do trabalho e a aquisição do nível 5 de formação profissional.

Ensino Superior

O ensino superior é estruturado ao abrigo dos princípios da Declaração de Bolonha e é ministrado em institutos politécnicos e universidades, de natureza pública, privada, cooperativa e concordatária, podendo atribuir o nível de escolaridade 6, 7 ou 8 consoante o curso que se faça: licenciatura, mestrado ou doutoramento.

Já sou adulto: ainda posso aumentar o meu nível de escolaridade?

Sim. Atualmente existem diversas opções para adultos que por qualquer motivo não prosseguiram os estudos, mas que agora desejam fazê-lo. A Educação e a Formação de Adultos (cursos EFA) oferece uma nova oportunidade a indivíduos com baixos níveis de qualificação, assim como o Programa Qualifica. A maioria destes cursos garante dupla certificação, escolar e profissional.

O nível de escolaridade é determinante na procura de emprego?

Pode dizer-se que continua a ser um fator de peso na maioria das áreas profissionais. Em Portugal, nota-se que, mesmo nos setores tradicionalmente pouco qualificados, como o da restauração, começa agora a exigir-se aos candidatos uma formação de nível secundário e se possível de caráter profissional.

Em que curso apostar?

Se já concluiu a escolaridade básica e secundária, reflita bem se aquilo que lhe faz falta para progredir na carreira é uma formação teórica, como uma licenciatura, ou prática, como um curso CET. Nada como marcar uma reunião na secretaria do estabelecimento de ensino para se informar sobre as saídas profissionais do curso!

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.