Publicidade:

Na casa dos 30? Saiba onde investir para uma vida confortável

Se quer investir com sucesso, faça-o consoante a sua idade e o seu perfil de risco. Aprenda aqui onde investir aos 30 anos e conheça as regras de ouro.

Na casa dos 30? Saiba onde investir para uma vida confortável
Faça um plano para a reforma

Uma vez que o risco dos investimentos deve ser tomado de acordo com a idade de cada indivíduo, aprenda onde investir aos 30 anos e conheça a regra de ouro destas aplicações financeiras.

É exatamente nesta idade que se torna crucial começar a construir o seu património e que, consequentemente, se deve investir a sério. Mas atenção, pois à medida que vai envelhecendo deverá reduzir o risco da sua carteira.

Apesar dos mercados financeiros continuarem a atrair cada vez mais pessoas interessadas em ganhar dinheiro, não se atire de cabeça para algo que pode não correr bem. Infelizmente, os momentos de euforia são os de maior risco, podendo levar as pessoas a investirem com menor prudência e sem respeitarem as regras mais importantes.

Onde investir aos 30 anos: melhores investimentos financeiros


1. Elabore um orçamento e livre-se das dívidas

onde investir aos 30 anos

É aos 30 anos que passa a ser fundamental organizar as finanças. Não se preocupe se ainda não tiver criado um orçamento, pois vai a tempo de construir um bom património.

Um dos primeiros passos para se tornar um bom investidor consiste em gastar menos do que se ganha para conseguir poupar sempre algum e colocar esse dinheiro de parte. Para tal, é necessário haver uma boa organização e gestão das finanças. Comece por anotar os lucros e as despesas para conseguir ter uma visão geral da sua situação financeira.

No caso de ter dívidas, é muito importante que se livre delas, sendo este o segundo passo para se tornar um bom investidor. Com uma folga no orçamento, a pessoa endividada pode renegociar débitos atrasados ou amortizar mais rapidamente as dívidas que estão em dia. Só conseguirá começar a juntar dinheiro quando se livrar das dívidas.

2. Diversifique o seu risco

onde investir aos 30 anos

Antes de ficar a saber melhor onde investir aos 30 anos é importante entender que, para ter sucesso com os seus investimentos financeiros, deve definir a percentagem de investimento relacionada com diferentes ativos. Desta forma, estará a diversificar o seu risco dentro de cada um desses ativos.

3. Invista em ações

onde investir aos 30 anos

Onde investir aos 30 anos? Um dos conselhos mais importantes para os melhores investimentos financeiros consiste em aplicar 70% do seu dinheiro em ações. Invista na bolsa. No entanto, deverá distribuir o seu dinheiro por diferentes ativos para diversificar o seu risco, como já foi acima explicado. Veja estas dicas:

  • Ações nacionais: neste caso, deve optar por investir em empresas que conhece, na sua moeda local;
  • Ações europeias: aqui, o melhor é investir num mercado mais próximo mas com níveis de retorno distintos;
  • Ações mundiais: nestas ações incluem-se os Estados Unidos da América e outros mercados emergentes.

4. Invista com recurso a fundos de investimento coletivo

onde investir aos 30 anos

Procure investir sempre com recurso a fundos de investimento coletivo, pois o investimento direto em ações implica centralizar os seus riscos num número muito reduzido de empresas, o que acaba por aumentar o seu risco de forma desnecessária.

5. Crie uma reserva de emergência

onde investir aos 30 anos

Aos 30 anos, não basta apenas contentar-se em investir aquilo que sobra do seu orçamento, sendo necessário tornar-se mais objetivo e disciplinado do que aos 20 anos.

Crie o hábito de poupar um pouco todos os meses e comece a investir com base em objetivos financeiros, metas claras, com prazo e valor definido. A primeira destas metas deve consistir na criação de uma reserva de emergência para que não sinta dificuldades financeiras em casos como o desemprego, uma doença ou qualquer outro tipo de urgência.

Convém que a reserva de emergência seja suficiente para o seu sustento por um período de três meses a um ano. Esta reserva deveria ser o primeiro objetivo de qualquer investidor e também ser aplicada em investimentos de alta liquidez e baixo risco.

Onde investir aos 30 anos: melhores investimentos pessoais


1. Faça um seguro

onde investir aos 30 anos

As pessoas costumam não dar importância à necessidade de ter um seguro de vida, saúde, invalidez ou habitação. Mas, ao pensar onde investir aos 30 anos, é essencial que mude essa atitude e decida assegurar a sua saúde e os seus bens quando pensar nos melhores investimentos pessoais que possa fazer.

Verá que não se irá arrepender quando se encontrar numa situação complicada e precisar destes seguros, que são essenciais em qualquer planeamento financeiro saudável e ainda grandes mais-valias para os investidores.

O seguro de vida evita que seja necessário mexer no seu património em caso de invalidez, além de trazer alguma segurança financeira à sua família caso venha a falecer, uma vez que complementaria a herança. Já os seguros de carro e de residência protegem os bens que conquistou.

2. Discuta finanças pessoais com o/a seu/sua companheiro/a

onde investir aos 30 anos

É fundamental conversar sobre dinheiro com a pessoa com quem partilha a sua vida, podendo os dois criar e desenvolver em conjunto um plano financeiro.

Se quiserem casar ou organizar outros eventos dispendiosos, torna-se ainda mais importante falarem sobre os gastos que tudo isso irá envolver, para que possam tomar as melhores decisões financeiras.

3. Invista no seu filho, mas não tudo logo no primeiro ano

onde investir aos 30 anos

A chegada do primeiro filho é sempre uma novidade maravilhosa e faz com que os pais percam a cabeça e queiram comprar tudo para o bebé. No entanto, existem outras coisas mais importantes onde investir aos 30 anos, por isso não gaste muito em roupas e acessórios para o bebé.

Os especialistas aconselham a ter cuidado com estes gastos para que não venha a passar por dificuldades futuras no caso de surgirem situações inesperadas. É importante dar uma boa vida ao seu filho, mas isso não inclui apenas o primeiro ano de vida dele, mas também os anos referentes à escolaridade da criança, por exemplo, entre outras despesas futuras.

4. Faça um plano para a reforma

onde investir aos 30 anos

Aos 30 anos é muito importante que comece a fazer um plano para a reforma, pois se não economizar dinheiro suficiente a longo prazo, poderá vir a não ter qualidade de vida na velhice. Não dependa de terceiros.

Pense ainda na educação dos seus filhos, por exemplo. Será muito difícil apoiar os estudos deles se não poupar. Por isso, seja para o que for que vier a precisar, o melhor é ter sempre uma poupança considerável.

Onde investir aos 30 anos: regras de ouro


Uma das grandes regras dos investimentos tem a ver com a adequação do investimento à sua ideia e ao seu horizonte temporal de investimento. Ou seja, é necessário que perceba quanto tempo terá para rentabilizar o seu dinheiro, sendo certo que quanto maior o tempo disponível, maior o risco que vai correr.

Se quiser definir o nível de risco da sua carteira de investimento para um horizonte de tempo alargado (mais de 5 anos), poderá seguir uma regra muito popular, conhecida como a regra dos 100. Na prática, esta regra diz-nos a percentagem da nossa carteira que deve estar investida em ações e a percentagem que devemos investir em obrigações e outros produtos menos arriscados. Esta regra será:

Percentagem em ações = 100 — idade atual

Por isso, se tiver 30 anos, diz-nos a regra de ouro do investimento que deverá investir 70% da sua carteira em ações e 30% em ativos com menos risco. Dentro de 10 anos, essa percentagem será de 60%-40%. E assim sucessivamente. O objetivo é simples. Se mantiver o seu dinheiro investido durante vários anos, o retorno tenderá a ser muito mais elevado se investir em produtos mais arriscados. Já viu a diferença de retorno em 20 anos de dois investimentos com diferencial de retorno de 1.5% ao ano? É enorme, acredite.

No entanto, esta é uma regra genérica que deverá ser adaptada ao seu caso concreto e ao seu perfil de risco. Para um investidor português, poderá parecer demasiado risco, uma vez que estamos habituados a investir o nosso dinheiro em certificados de aforro e em depósitos a prazo. Se não se sentir confortável com o risco e se fizer esta alocação, o mais provável será abandonar esta regra à primeira contrariedade.

Outra regra de ouro quando falamos de investimentos tem a ver com a criação do hábito de investir periodicamente. Não só irá criar hábitos de poupança saudáveis como estará também a reduzir o seu risco. Imagine que decide investir todas as suas poupanças num dia em que o mercado atingiu o máximo… agora, imagine que investe em vários momentos do tempo. Onde será mais provável acertar no momento de entrada?

Veja também: