Publicidade:

Provas de ingresso no ensino superior em 2019-2020

Para aceder ao ensino superior, é preciso realizar as provas de ingresso relativas ao curso de candidatura. Fique a saber tudo sobre este assunto.  

Provas de ingresso no ensino superior em 2019-2020
Conheça todos os procedimentos

Os resultados obtidos pelos alunos nas provas de ingresso no ensino superior são um dado fundamental para se apurar a sua nota de candidatura, que, por sua vez, poderá ser a porta de entrada no curso da sua preferência. O que é que já sabe sobre a realização das provas de ingresso?

No acesso ao ensino superior, a “média” é tudo. E para o cálculo desta média usa-se uma fórmula que é constituída por vários fatores, de entre os quais estarão as notas obtidas pelo aluno nas provas de ingresso.

É por esta razão que a realização das provas de ingresso é uma etapa importante da vida de qualquer estudante que deseja frequentar o ensino superior.

Além de os estudantes terem de obter aprovação num curso do ensino secundário ou uma habilitação equivalente, e ter uma classificação média superior à mínima exigida pelo estabelecimento ao qual se pretendem candidatar, os estudantes devem também ser postos à prova através da realização das provas de ingresso.

Provas de ingresso: o que são e para que servem?


A realização das provas de ingresso é determinada pela legislação, consistindo em testes para avaliar a capacidade e aptidão dos alunos para frequentarem o ensino superior.

As provas de ingresso no ensino superior mais conhecidas são os exames nacionais realizados no final do 12.º ano de escolaridade. Apesar de se realizarem exames nacionais a todas as disciplinas, nem todos contam como sendo provas de ingresso.

Como se escolhe os exames que constituem provas de ingresso?


Provas de ingresso no ensino superior em 2019-2020

Eis como se processa a escolha dos exames que contam como provas de ingresso: cada faculdade fixa até dois exames, no máximo, e serão as notas desses exames que vão contar para os estudantes poderem concorrer a um determinado curso superior. Há que ter em conta ainda outro fator: cada faculdade atribui um determinado peso ou valor à nota obtida nas provas de ingresso.

Atente:

  • Exemplo 1 – para concorrer ao curso de farmácia da Universidade X, os exames que irão contar como provas de ingresso nesse curso irão ser matemática e português;
  • Exemplo 2 – para entrarem no curso superior de psicologia na Universidade Y, as provas de ingresso serão os exames nacionais de português e psicologia B.

Agora vamos perceber de que forma as notas tiradas nessas provas de ingresso poderão servir para que os estudantes consigam ou não entrar no curso.

No primeiro exemplo, temos de saber qual a nota mínima exigida pelo curso de farmácia da Universidade X no conjunto das duas provas de matemática e português. Se essa nota for 13, qualquer estudante que tire no conjunto dos dois exames uma nota igual ou superior, será elegível para entrar nessa faculdade.

É também importante referir que a nota mínima de acesso está diretamente relacionada com a média do último aluno que ingressou naquele curso no ano anterior. Dependendo do número de vagas existentes para um curso, vão entrar os alunos que tiverem as notas mais altas, e isso pode fazer com que a média de referência do ano letivo anterior suba ou desça.

Onde consultar as classificações mínimas exigidas por cada curso?


As classificações mínimas das provas de ingresso são divulgadas anualmente no Guia da Candidatura para o concurso desse ano. Já para conhecer os exames nacionais do ensino secundário que irão contar como provas de ingresso no ensino superior, os estudantes devem consultar a Tabela B do Guia Geral de Exames, que, por sua vez, contém as instruções para a inscrição para os exames nacionais do ensino secundário.

Desse modo, caso pretendam, poderão usar como estratégia apostar em tirar melhores notas a umas disciplinas, em detrimento de outras que não lhes servirão para esse fim. Mas, é claro, isto fica ao critério de cada aluno. Tenha também em mente que poderá utilizar as notas obtidas em exames nacionais realizados em anos anteriores, com a condição de que tenham sido tiradas nos dois últimos anos – assim, para candidaturas ao ano 2019/2020, poderá ainda recorrer às notas dos exames nacionais que realizou entre 2017 e 2018.

Acesso sujeito ao número de vagas

O acesso dos alunos ao ensino superior está ainda sujeito a um número limitado de vagas para cada curso superior. As vagas para cada curso em cada instituição de ensino superior são fixadas anualmente pelas próprias instituições, consoante os recursos que cada uma possui.

Como e quando se pode candidatar?


Atualmente a candidatura ao ensino superior é feita através da internet. Os alunos deverão preencher o boletim de candidatura já sabendo de antemão quais as provas que deverão realizar para terem acesso aos cursos que pretendem frequentar. Os estudantes devem pedir a senha de acesso ao sistema de candidatura online, e apresentar o recibo do pedido de atribuição de senha na escola secundária onde se inscrevem para os exames nacionais, juntamente com o boletim de inscrição nos exames.

Atente aos prazos:

  • Apresentação da candidatura à 1.ª fase do concurso nacional: de 17 de julho a 6 de agosto;
  • Divulgação dos resultados da 1.ª fase do concurso nacional: 9 de setembro;
  • Apresentação da candidatura à 2.ª fase do concurso nacional: de 9 de setembro a 20 de setembro;
  • Divulgação dos resultados da 2.ª fase do concurso nacional: 26 de setembro;
  • Apresentação da candidatura à 3.ª fase do concurso nacional: de 3 de outubro a 7 de outubro;
  • Divulgação dos resultados da 3.ª fase do concurso nacional: 11 de outubro.

Ensino público e ensino privado: há diferenças nas provas de ingresso?


O acesso ao ensino superior processa-se de maneira igual no ensino público e no privado e todos os estudantes estão sujeitos às mesmas regras, o que significa que a forma como se processam as provas de ingresso é também semelhante. De igual modo, o acesso ao ensino superior está aberto a alunos que tenham concluído o 12º ano de escolaridade por outras vias, por exemplo, através de um curso profissional.

Calendário dos Exames Finais Nacionais do Ensino Secundário


1.ª fase:

 18 de junho:  21 de junho:  25 de junho:  26 de junho:
 Português (639)
Português Língua Segunda (138)
PLNM (839)
 História A (623)  Matemática A (635)  Desenho A (706)

 

2.ª fase:

19 de julho:  22 de julho: 23 de julho:
Português (639)
Português Língua Segunda (138)
PLNM (839)
Matemática A (635) História A (623)
Desenho A (706)


Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.

Saiba tudo sobre emprego