ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
08 Abr, 2021 - 11:28

Saiba tudo sobre as provas de ingresso no ensino superior em 2021

Catarina Milheiro

Para aceder ao ensino superior, é preciso realizar as provas de ingresso relativas ao curso de candidatura. Fique a saber tudo sobre este assunto.

estudante a realizar provas de ingresso

Os resultados obtidos pelos alunos nas provas de ingresso no ensino superior são um dado fundamental para se apurar a sua nota de candidatura, que, por sua vez, poderá ser a porta de entrada no curso da sua preferência.

O que é que já sabe sobre a realização destas provas, tendo em consideração a situação atual?

Quando o assunto é o acesso ao ensino superior, a “média” é tudo. E para o cálculo desta média usa-se uma fórmula que é constituída por vários fatores, de entre os quais estarão as notas obtidas pelo aluno nesta avaliação.

É por esta razão que a realização das provas de ingresso é uma etapa importante da vida de qualquer estudante que deseja frequentar o ensino superior.

Para ingressar na universidade, o estudante deve obter aprovação num curso do ensino secundário ou habilitação equivalente e, igualmente, uma classificação média superior à mínima exigida pelo estabelecimento ao qual se pretendem candidatar. Para além disso, devem, também, realizar as provas de ingresso.

Provas de ingresso: o guia essencial

1

O que são as provas de ingresso

A realização das provas é determinada pela legislação, consistindo em testes para avaliar a capacidade e aptidão dos alunos para frequentarem o ensino superior.

As provas de ingresso para a candidatura à matrícula e inscrição no ensino superior no ano letivo de 2021-2022 concretizam-se através dos exames nacionais do ensino secundário.

De um modo geral, as provas de ingresso para acesso a um curso numa determinada instituição de ensino superior são as provas exigidas por esta para, com base nas classificações obtidas em exame nacional e em combinação com outros fatores, selecionar e seriar os candidatos ao ingresso nesse curso.

Este ano, face à pandemia da COVID-19, muitos exames nacionais não se vão realizar. Contudo, todos aqueles que servem como prova de ingresso para o ensino superior mantêm-se no calendário.

2

Quem se deve inscrever para a realização dos exames finais nacionais

Dependendo da situação, os alunos devem inscrever-se nos exames nacionais ou nas provas de equivalência à frequência do ensino secundário, se pretenderem:

  • Obter aprovação em disciplinas que integram o plano curricular do respetivo curso;
  • Realizar exames finais nacionais apenas nas disciplinas que elejam como provas de ingresso;
  • Realizar exames finais nacionais para melhoria de nora, relevando o seu resultado apenas como classificação de prova de ingresso.
3

Quando fazer a sua inscrição nos exames finais nacionais

Seja qual for o fim a que se destinem, as inscrições para os exames finais do ensino secundário realizam-se nos seguintes prazos:

  • 1ª fase: de 24 de março a 15 de abril;
  • 2ª fase: de 2 a 6 de agosto.
4

Prazos para anular matrícula após prazo de inscrição para a 1ª fase

Se este for o seu caso, mantenha-se calmo. Deve inscrever-se ou atualizar a sua inscrição nos 2 dias úteis seguintes ao da anulação da matrícula.

5

Onde realizar a inscrição

Em 2021, as inscrições para a realização de exames finais e de provas de equivalência à frequência do ensino secundário são efetuadas através da Plataforma de Inscrição Eletrónica em Provas e Exames.

6

Exames da 2ª fase como provas de ingresso

Na candidatura à 2ª fase dos concursos de acesso ao ensino superior, só podem ser utilizados como provas de ingresso, no próprio ano escolar ou nos 2 anos subsequentes.

Excecionalmente a esta limitação estão os exames de disciplinas não pertencentes ao plano de estudos realizados na 2ª fase por alunos que tenham feito na 1ª fase, um exame calendarizado para o mesmo dia e hora.

7

Provas de ingresso fixadas para cada curso

As provas de ingresso exigidas para cada curso são fixadas por cada instituição de ensino superior. Contudo, regra geral, não podem ser um número superior a dois.

O que pode acontecer é existirem conjuntos (determinados “elencos”) alternativos de provas – até um máximo de 3.

Ou seja, é essencial que verifique quais as provas de ingresso exigidas pelas instituições de ensino superior e respetivos cursos que pretender concorrer.

Pode consultar quais as provas de ingresso, no sítio de Internet da Direção-Geral do Ensino Superior, em GUIAS DIGITAIS DGES: Provas de Ingresso 2021, Guia Candidatura‘21 – Ensino Superior Público, e Guia Candidatura‘21 – Ensino Superior Privado e Universidade Católica Portuguesa.

8

Classificação mínima exigida

Todas as instituições de ensino superior exigem uma classificação mínima nos exames realizados como provas de ingresso, correspondente a um valor de 95 pontos ou superior, na escala de 0 a 200.

Contudo, é importante ainda referir que o exame nacional realizado como prova de ingresso só é válido para esse efeito se a sua classificação for igual ou superior à classificação mínima exigida por cada instituição ou curso pretendido.

Se ainda tiver alguma dúvida, saiba que já existe um Guia Geral de Exames 2021 disponível online.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].