Vacinação dos cães: conheça o plano que não pode falhar

Se, para nós, as vacinas em massa afastam o risco de doenças e epidemias, para eles é igual. Conheça o plano de vacinação dos cães.

“sponsored by fidelidade”
Vacinação dos cães: conheça o plano que não pode falhar
Um plano a seguir pelo bem do seu amigo de 4 patas

Se é verdade que que o surgimento da vacinação, e a sua massificação, revolucionou a vida das pessoas, o mesmo pode ser dito quando o assunto são os animais. E quando está em causa a saúde do nosso amigo de 4 patas, a verdade é que queremos conhecer as medidas preventivas contra doenças comuns que podem colocar em causa o bem-estar e a vida do seu animal. Conheça o plano de vacinação dos cães e entenda como funciona o processo de imunização desses animais.

Sabia que foi exatamente este processo de imunização dos animais que tornou a relação com os humanos mais saudável? Por isso mesmo, cumprir as regras é essencial e não pode ser um passo a falhar. Ter um animal de estimação não é apenas contar com a sua companhia e trocar miminhos. Saiba como prevenir problemas de saúde que podem afetar a vida do seu amigo patudo.

Tipos de vacinação dos cães: quais são?


Quando o pequeno cachorrinho nasce e é amamentado pela mãe, os anticorpos presentes na sua alimentação tornam-no perfeitamente capaz de reagir contra agentes externos patogénicos. Mas, a história muda por completo quando é encerrado o período de amamentação e o cachorro fica, então, vulnerável ao contágio por doenças infecciosas. É precisamente aí que entra a questão da importância da vacinação dos cães.

Sabia que, ao contrário do que acontece com os humanos, o plano de vacinação dos caninos pode alterar-se consoante a sua raça ou estado de saúde? Cada caso é um caso e só o médico veterinário poderá ser capaz de analisar a situação e definir um plano adequado ao animal e ao seu estilo de vida.

Os tipos de vacinação para cães e gatos em Portugal prevê a ação de combate à várias doenças. Espreite a lista.

  • Raiva: esta é uma velha conhecida e é obrigatória, pois pode afetar os humanos.
  • Parvovirose: a parvovirose é uma patologia potencialmente fatal, que afeta mais os cachorros e, por isso mesmo, a primeira dose da vacina deve ser administrada até aos 45 dias de vida do animal. As raças mais sensíveis a esta doença são Golden RetrieverHuskyRottweiler e Dobermann.
  • Leptospirose: esta doença bacteriana pode provocar uma falência renal e culminar na morte do animal. Tal como a raiva, a patologia também ser transmitida às pessoas.
  • Parainfluenza: a doença é transmitida por um vírus de propagação rápida e que se desenvolve, especialmente, em ambientes com muitos cães. A doença está associada à conhecida “tosse do canil”.
  • Esgana: a esgana é uma patologia extremamente perigosa, pois pode resultar paralisia ou pneumonia.

Doença dos cães: conheça os sintomas das mais comuns e saiba como tratar >>

Conheça o plano de vacinação dos cães em Portugal


Um cachorro, por norma, recebe a primeira dose da vacina entre o período que compreende as 6 e as 8 semanas. A primeira vacinação atua contra o Parvovirus. Cerca de 3 a 4 semanas depois, é feito o reforço desta vacina. Na mesma altura, o cachorro é vacinado contra a Esgana, a Leptospirose e a Parainfluenza. No caso do reforço da vacinação contra o vírus que provoca estas últimas patologias, é necessário esperar por um período de 4 semanas.

Um dado importante a salientar é que, durante a toma dessas primeiras doses do plano de vacinação, o cachorro não deve ter contacto com outros animais, especialmente se estiverem doentes ou se não são vacinados. Este programa inicial de vacinação dos cães é chamado de “primovacinação”.

Lembre-se: a vacinação dos cães contra a Raiva é obrigatória e está prevista na lei, devendo ser feita administração a partir dos 6 meses de vida do seu animal. Em regra geral, o plano que prevê a vacinação dos cães é revisto anualmente e os valores cobrados variam consoante a clínica veterinária. Mas, não encare a vacinação do seu amigo como um gasto, mas sim como o investimento numa medida de prevenção que vai proteger a vida do seu animal e evitar eventuais despesas no futuro.

Procure um médico veterinário em que confie e siga sempre o plano de vacinação indicado. Só um especialista é habilitado para analisar quais as necessidades do seu cão.

Descubra 22 alimentos que o seu cão não pode mesmo comer >>

Desparasitação: uma medida a não esquecer

Igualmente importante, a par do plano de vacinação dos cães, é a desparasitação interna e externa do seu animal. Questione o veterinário sobre a possibilidade realizar este processo a cada vacina. Ao eliminar parasitas indesejados, vai estar a garantir o perfeito estado das defesas do seu animal e isso vai ajudar a produzir o efeito de imunização.

Mesmo depois de concluir o plano de vacinação, lembre-se de agendar a desparasitação periódica do cachorro, a cada 3 ou 4 meses e antes de cada nova vacinação.

A desparasitação é importante ao longo de toda a vida do animal, por isso, não descuide nesse passo e afaste parasitas e internos e externos, como carraças e pulgas.

Veja também: