Márcio Matos
Márcio Matos
16 Nov, 2021 - 11:24

Bolonha: a cidade Rossa que vai querer mesmo conhecer

Márcio Matos

Conhecida por La Rossa pelas suas construções em tom vermelho, Bolonha é um destino incrível. Explore-o por um fim de semana espetacular.

Bolonha

Bolonha é uma das principais cidades da região de Emilia Romagna, que fica situada entre a Toscana e a Lombardia (Milão), no norte da Itália. É um destino cada vez mais popular, repleto de pontos de interesse, capazes de encherem, sem dificuldade, um roteiro de 2 ou 3 dias.

Não se deixe enganar pela dimensão mais reduzida do centro histórico de Bolonha. Para apreender ao máximo tudo aquilo que este destino tem para oferecer, incentivamo-lo a uma escapadinha mais prolongada. Assim, conseguirá ver tudo com mais calma e usufruir dos monumentos, mas também da comida que é, simplesmente, deliciosa!

Origem de Bolonha

Para conhecermos a origem de Bolonha, precisamos de recuar a 500 a.C, quando aí ainda se encontravam os etruscos. Posteriormente, chegaram os celtas e, finalmente, os romanos. O fim do Império Romano fez com que Bolonha passasse a fazer parte do Império Bizantino, tendo Ravenna como capital.

A independência só foi alcançada por Bolonha em 1100, altura em que registou um forte crescimento e construiu a Universidade, uma das mais antigas do mundo, assim como as suas Duas Torres, verdadeiros símbolos locais.

Durante dois séculos, de 1500 a 1700, Bolonha foi governada pelo Papa, até que em 1796 Napoleão Bonaparte se instalou na cidade, até 1815. Quase meio século depois Bolonha passou a fazer parte do Reino da Itália, tornando-se um centro republicano em plena monarquia.

Apesar dos muitos monumentos em perfeitas condições, Bolonha foi uma das cidades que mais sofreu com os bombardeamentos aliados durante a Segunda Guerra Mundial, já que Itália fazia parte das forças do Eixo (Mussolini era apoiante confesso de Hitler).

Dia 1

Duas torres e basílicas

Torres de Bolonha

Já aqui falámos delas. As Duas Torres, a Torre de Asinelli e a Torre de Garisenda, são um ícone local. A mais alta é visitável, enquanto a mais baixa não e tem uma inclinação superior à da Torre de Pisa.

Estas torres foram erguidas no século XII, como um símbolo do poder da família Asinelli. A torre tem perto de 100 metros e quase 500 degraus. A vista do topo é surpreendente e magnífica.

torres

Basílica de São Petrônio

Esta é uma basílica que foi sendo construída ao longo do tempo, apesar de nunca ter ficado totalmente completa. É um dos maiores templos católicos do mundo, possuindo 22 capelas laterais, repletas de obras de arte italiana da melhor qualidade.

São Petrônio Bolonha

Santuário San Luca

O Santuário de San Luca proporciona uma vista única sobre a cidade, tendo em conta a sua localização. Porém, vale bem a pena fazer-se ao caminho ou recorrer aos transportes disponíveis que levam os turistas até ao topo deste santuário incrível.

San Luca Bolonha
Dica

Onde comer

O FICO Eatali é o maior parque gastronómico do mundo, onde os amantes da boa comida podem ficar a saber mais sobre a culinária italiana. Entre as iguarias, contam-se o presunto de Parma, o azeite balsâmico de Módena, entre muitos outros petiscos.

Além de comer, aqui pode ficar a conhecer hortas e campos; participar em cursos e aulas; e fazer uma série de atividades interessantes e, claro, deliciosas.

arquitetura toscana de Siena
Veja também Siena: viagem de sonho ao coração da Toscana
Dia 2

Centro histórico e… vinhos

Museus

Comece o segundo dia em Bolonha, visitando museus e galerias de arte. Há vários à disposição, como o Museu Civico Mediavale (obras medievais), o Museu Arqueológico (coleções pré-históricas), a Pinacoteca Nacional (pintura) e o MAMBo (arte moderna).

Para os fãs de automobilismo, existem ainda os museus da Ducati e da Lamborghini.

Vínicola

Dedique ainda algum tempo deste seu segundo dia em Bolonha para visitar algumas vinícolas da região e degustar o vinho produzido localmente. Entre os nomes dos vinhos mais populares estão: Emília Romagna (Lambrusco), Sangiovese, Pignoletto e Albana di Romagna.

As visitas a estes espaços são muito familiares e intimistas e, em algumas alturas do ano, até são acompanhadas de espetáculos jazz e piqueniques.

Fonte de Neptuno

Outro ponto de passagem obrigatória é a Fonte de Neptuno, construída na segunda metade do século XVI, em homenagem ao Papa Pio IV. O poder de Neptuno era uma metáfora do poder que o Papa detinha no mundo.

Piazza Maggiore Bolonha

Piazza Maggiore

Ali bem perto fica uma das principais praças da cidade, onde pode encontrar palácios, como o Palazzo d’Accursio, cuja entrada é gratuita. Além disso, nesta praça, há sempre diversos eventos culturais interessantes a que pode assistir.

Voltone del Podestà

Nas imediações da praça, há ainda um outro Palácio, o Palácio do Podestà, conhecido pela sua fantástica acústica. Passe por lá e não se arrependerá!

Dica

Onde comer

Para aproveitar ao máximo a gastronomia de Bolonha, aposte nos petiscos. Para isso, pode visitar:

Para finalizar a refeição ou para um lanche bem refrescante, prove os melhores gelados de Bolonha na Cremeria La Vecchia Stalla ou na Torinese.

Veja também