Teresa Campos
Teresa Campos
11 Jul, 2019 - 02:43
3 tipos de cancro mais frequentes em todo o mundo

3 tipos de cancro mais frequentes em todo o mundo

Teresa Campos

Um relatório internacional de 2011 dá conta de quais os 3 tipos de cancro mais frequentes em todo o mundo. Fique a conhecer os tumores mais prevalentes.

O artigo continua após o anúncio

O relatório Cancer Research, concluiu que o cancro do pulmão, o cancro da mama e o cancro do colo-retal foram os 3 tipos de cancro mais frequentes.

Estes resultados internacionais estão em harmonia com a realidade portuguesa e, por isso, falar nestes 3 tipos de cancro, é falar de 3 patologias que afetam uma percentagem importante da população residente em Portugal. Portanto, fique a saber mais sobre estas doenças, fatores de risco e, também, medidas de prevenção.

3 tipos de cancro mais frequentes, fatores de risco e medidas preventivas

tipos de cancro mais frequentes

1. Cancro do Pulmão

Há dezenas de anos que o cancro do pulmão é tido como o cancro de maior incidência em todo o mundo, assumindo mais prevalência nos indivíduos do sexo masculino. Além disso, é mesmo a primeira causa de morte por cancro nos homens e a segunda nas mulheres.

Este cancro pode ter origem na traqueia, brônquios ou tecido pulmonar. Associados a ele, há dois grupos principais de tumores: o cancro do pulmão de não-pequenas células e o cancro do pulmão de pequenas células.

Fatores de risco

  • Tabagismo (fumador ativo ou passivo);
  • Exposição ao radão, um gás natural radioativo; ao amianto; a carcinogéneos como o urânio ou arsénico, entre outros;
  • História pessoal ou familiar;

Além de evitar os fatores de risco, acima enumerados, um estilo de vida saudável, uma dieta equilibrada, com ingestão de fruta e vegetais, e a prática regular de exercício físico são aspetos a ter em conta para a prevenção deste e de outros problemas de saúde

2. Cancro da mama

tipos de cancro mais frequentes

Este é o tipo de cancro mais diagnosticado em mulheres de todo o mundo. Só em Portugal, surgem cerca de 4500 novos casos por ano. Contudo, este não é um cancro exclusivamente feminino, podendo ocorrer em alguns casos em homens. Em todo o caso, esta é, realmente, a primeira causa de morte por cancro nas mulheres. Este tumor maligno tem origem nas células da glândula mamária.

Fatores de risco

O artigo continua após o anúncio
  • História familiar ou pessoal;
  • Ter mais de 60 anos;
  • Apresentar alterações tecidulares da mama e/ou em alguns genes;
  • Fazer radiação torácica;
  • Menstruar antes dos 12;
  • Ter o primeiro filho após os 30 anos ou não ter filhos;
  • Iniciar a menopausa depois dos 55 anos;
  • Fazer terapia hormonal de substituição durante 5 ou mais anos;
  • Ter excesso de peso/obesidade.

Além das recomendações habituais, como ter um estilo de vida saudável, uma dieta equilibrada, com ingestão de fruta e vegetais, e a prática regular de exercício físico, que devem ser tidas em conta, no caso do cancro da mama, há outras medidas preventivas a considerar.

Prevenção

A prevenção do cancro da mama assenta, sobretudo, num diagnóstico precoce. Portanto, tenha em conta o cronograma seguinte, que indica quais os exames a realizar em cada faixa etária.

  • A partir dos 20 anos: autoexame da mama, mensalmente, no 3º ou 5º dia após a menstruação;
  • A partir dos 20/30 anos: avaliação clínica;
  • Aos 35 anos: primeira mamografia;
  • A partir dos 40/45 anos: segunda mamografia;
  • Após a menopausa: a mamografia deve ser realizada de 2 em 2 anos.

Nota: Se existir história pessoal ou familiar de cancro da mama, os tempos de vigilância devem ser reajustados, de acordo com a indicação médica.

3. Cancro colo-retal

tipos de cancro mais frequentes

Se a nível  mundial, este é o 3º tipo de cancro mais frequente, em Portugal, ele ocupa a posição de 2º tipo de cancro mais frequente. A sua origem pode ser o cólon ou o reto.

Fatores de risco

  • Idade avançada;
  • Antecedentes familiares;
  • Ter pólipos no cólon e no reto;
  • Sofrer de colite ulcerosa ou doença de Crohn;
  • Fumar, ser sedentário, ter excesso de peso e/ou ingerir bebidas alcoólicas em excesso;

Além de evitar os fatores de risco modificáveis, um estilo de vida saudável, uma dieta equilibrada, com ingestão de fruta e vegetais, e a prática regular de exercício físico são aspetos a ter em conta para a prevenção deste e de outros problemas de saúde.

Pode, também, a partir dos 50 anos, realizar uma colonoscopia, capaz de detetar pólipos, tumores ou outras alterações no cólon e no reto.

O artigo continua após o anúncio

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp