ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
David Afonso
David Afonso
09 Mar, 2021 - 14:41

Cuidados a ter com os pneus quando se tem o carro parado

David Afonso

Numa época em que a rotina diária da condução mudou, há alguns cuidados que deve ter com o seu automóvel, em particular com os pneus.

Carro parado na rua a precisar de cuidados com os pneus

Se tem o carro parado há muito tempo na garagem ou na rua devido à pandemia da COVID-19, ao longo deste artigo vamos dar algumas dicas de manutenção e os principais cuidados a ter com os pneus.

Num período onde os nossos hábitos de condução sofreram alterações e passamos bastante menos tempo atrás do volante, é fundamental ter em atenção a saúde do nosso carro e a todos os seus componentes.

Os pneus são um dos principais componentes de segurança ativa dos nossos automóveis e o único ponto de contacto do carro com a estrada, por isso a sua manutenção é indispensável.

Cuidados a ter com os pneus do carro durante a quarentena

Os pneus são um dos componentes que se pode deteriorar se o carro ficar muito tempo parado na mesma posição. Contudo, com os devidos cuidados de manutenção, é possível evitar que estes se deteriorem no caso de uma paragem mais prolongada.

Assim, estes são alguns dos cuidados essenciais para garantir que tudo estará em perfeitas condições de funcionamento quando voltar com o carro à estrada.

1

Verificar com regularidade a pressão do ar

Pelo menos uma vez por semana, verifique a pressão do ar nos seus pneus. Para isto, aconselhamos que consulte as indicações dadas pelo fabricante do seu automóvel de modo a saber qual a pressão correta dos pneus do seu automóvel.

Os pneus tendem a deformar-se porque vão perdendo gradualmente o ar comprimido no interior. O resultado é que acabam por se “moldar” à forma na qual passam mais tempo.

Ter a pressão certa melhora a segurança na condução e a durabilidade do pneu, daí ser um dos principais cuidados a ter com os pneus. No entanto, e se não vai mesmo usar o carro nos próximos dias, pode encher o pneu ligeiramente mais do que o recomendado pelo fabricante.

Apesar de serem produzidos em borracha, internamente contêm uma cinta de metal, que é o que dá a resistência ao pneu. Esta cinta mantém o pneu com as dimensões e formato corretos. O passar do tempo e a paragem prolongada podem fazer com que essa cinta fique deformada.

Um truque simples para evitar isso é encher o pneu 0.3 – 0.5 bar acima do habitual. Isto impedirá que as paredes do pneu suportem todo o peso do carro e que este fique deformando.

No entanto, recorde que circular com o pneu demasiado cheio poderá também ser prejudicial para a vida útil deste componente, por isso faça-o apenas se não circular com o carro durante um período de tempo mais alargado.

2

Não mantenha o carro na mesma posição durante muito tempo

Para evitar que seja sempre a mesma zona do pneu em contacto com o piso e que por isso apenas aquela parede lateral suporte todo o peso do carro, deve girar os pneus regularmente.

Para isso, basta mover o seu carro alguns centímetros para a frente e para trás. O objetivo é dar sensivelmente meia volta à roda e alternar o ponto de contacto com o solo.

3

Vibrações

Um dos principais cuidados a ter com os pneus no caso de ter o carro parado durante algum tempo pode ser apenas tido em conta no momento em que o volta a conduzir.

É natural que, quando voltar a conduzir, possa parecer que o seu automóvel tem uma condução estranha. Tendo em conta uma pausa prolongada, pode verificar-se o desgaste natural de alguns componentes. Por vezes, os primeiros sinais deste “estranhar” estão a associado a vibrações sentidas ao volante.

Caso isto aconteça com o seu automóvel, considere que algo pode estar a não funcionar corretamente com os seus pneus, nomeadamente com a calibragem das rodas.

Calibrar um pneu é uma das ações de manutenção mais baratas que o seu automóvel poderá requerer. Ainda assim, é de extrema importância para sua segurança e estes “sintomas” de vibração não devem ser ignorados.

4

Trocar de pneus

Deixar o carro estacionado na garagem ou na rua durante largos períodos de tempo sem tomar qualquer atenção poderá obrigá-lo a uma troca forçada de pneumáticos.

Este componente, em condições normais, tem um “prazo de validade” de 6 anos antes de começar a perder as suas propriedades de aderência. Sobretudo quando deixamos um carro com os pneus expostos aos elementos da natureza, o processo de deterioração pode ser acelerado.

Caso comece a notar que os pneus estão “secos”, isto é, começam a apresentar algumas rachadelas e fissuras, equacione trocá-los.

Um conjunto de 4 pneus novos para um carro de dimensões compactas poderá custar-lhe aproximadamente 250€. No entanto, saiba que, se fizer algum trabalho de pesquisa e tiver alguns cuidados, os pneus usados ou semi-novos também podem ser uma opção bastante mais em conta.

5

Deixar o carro sobre preguiças

Dentro dos cuidados a ter com pneus, este talvez possa ser o mais radical. No entanto, é também o mais eficaz e aquele que lhe garantirá que, não só os pneus permanecem em perfeito estado de conservação, mas também que está salvaguardar a vida da suspensão do automóvel.

Esta poderá ser uma opção válida, mas apenas caso tenha uma garagem fechada, espaço, e, pelo menos, 4 macacos para levantar o automóvel (aqueles utilizados para trocar um pneu quando este fura), ou 4 preguiças ou cavaletes (triângulos de ferro utilizados em competição automóvel para suportar todo o peso do carro), ou 4 macacos hidráulicos.

Assim, e caso a paragem do seu automóvel dure vários meses, considere colocar a viatura suspensa sobre um destes suportes. Desta forma, nem os pneus nem a suspensão estarão a lidar com o peso do automóvel, não perdendo, por isso, a sua forma nem tampouco o seu bom funcionamento.

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].