Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Valdemar Jorge
Valdemar Jorge
14 Nov, 2018 - 15:53

Conheça os 10 carros clássicos mais procurados em Portugal

Valdemar Jorge

O mercado automóvel faz-se da compra de veículos novos, usados e, também, clássicos. Por isso, descubra os 10 carros clássicos mais procurados em Portugal.

Conheça os 10 carros clássicos mais procurados em Portugal

Facto: neste escalão, o vendedor é dado como certo. Já o comprador é a variável… Poderá comprar por impulso ou por nostalgia mas, regra geral, é muito comum ser um apaixonado, informado e atento. Além do investimento na máquina, que consoante o modelo, idade e estado de conservação pode variar entre poucos euros a alguns milhões, o comprador, ou melhor, o investidor, muitas vezes procura também o automóvel que tem uma história para contar.

Nem só o valor monetário apurado pela sua vetustez, raridade, ou estado conta. Um clássico, alicerçado por uma boa história, tanto ou mais do que um historial de oficina impecável, pode valer uma pequena fortuna. Muitas vezes, até mais do que um moderno automóvel, em estado novo, recheado de equipamento tecnológico de última geração.

Um dos atributos do comprador de automóveis clássicos – e vamos aqui indicar quais os 10 carros clássicos mais procurados em Portugal – é a paciência. Depois, por norma, algum desafogo monetário. Não compra um automóvel clássico quem quer, mas sim quem pode.

Descubra quais os carros clássicos mais procurados em Portugal!

Fique a saber o que é um clássico e quais os carros clássicos mais procurados em Portugal

 
carros clássicos alinhados

O que é um clássico?

Antes, caro leitor, de lhe dizermos quais os 10 automóveis clássicos mais procurados, vejamos a definição de clássico para que não haja confusões e, de repente, estejamos a falar de um automóvel que parece um clássico mas, efetivamente, ainda não o é.
A definição de automóvel clássico nasceu em 1973, quando surgiu a edição da revista inglesa intitulada “Thoroughbred & Classic Cars”. E, por clássico, entende-se algo que não passa de moda quer pelas suas caraterísticas de qualidade, quer pela importância histórica, raridade e, mesmo, relevância afetiva.

Onde procurar um clássico?

O processo de procura pela aquisição certa pode demorar anos. A pesquisa em revistas da especialidade, onde geralmente se encontram listas intermináveis dos mais diversos modelos e respetivas caraterísticas e preços, é um ponto de partida. Aqui, também, em regra, estão histórias de clássicos, histórias das marcas, as tradições e, até, sugestões para restauro automóvel.

Outro local de pesquisa é, como o leitor facilmente depreenderá, a internet. Na rede, como normalmente é referido esse espaço, existe de tudo – até burlas! E, por isso, a paciência terá de ser maior e, a necessária investigação, ainda mais cuidada. Se nas revistas da especialidade, os produtos apresentados já estão na sua maioria filtrados, isto é, já passaram pelo crivo de uma redação e de um ou mais jornalistas especializados na matéria que, mesmo desinteressadamente, poderão sugerir este ou aquele modelo, na rede (internet) tudo é diferente. Aí, será mais fácil comprar gato por lebre e, o que à primeira vista poderá parecer um bom negócio, na realidade pode vir a ser o despoletar de um pesadelo.

A rede será um bom ponto de partida se já tiver algum conhecimento, um registo pessoal dos sítios mais fidedignos ou seguir a orientação de quem já fez toda a caminhada que lhe permitiu a aquisição de um clássico.

É notório que, quem está e/ou acompanha este mercado, vai consolidando as suas ideias, vai tendo as suas experiências positivas e/ou negativas – como tudo na vida – e a experiência acumulada é o suporte para a realização de um bom negócio ou para o descobrir.

Clubes de automóveis antigos/clássicos

A par destes processos, não podemos esquecer os mais diversos clubes de automóveis antigos/clássicos que são uma fonte inesgotável de informação. Estes, pelas suas atividades regulares, contatam e conhecem o mercado e, mais do que isso, congregam milhares de sócios que partilham os seus clássicos, as suas histórias e locais onde é possível proceder à recuperação dos automóveis, conseguindo devolver-lhes a jovialidade que ostentavam no dia em que saíram pela primeira vez do stand.

É, também através dos clubes, que é possível tratar do indispensável seguro automóvel para viaturas cuja categoria seja pré-clássico ou clássico. Uma ajuda importante para quem, além de adquirir um automóvel clássico, o queira mostrar, nomeadamente participando em encontros ou provas automóveis destinadas a clássicos, frequentemente monomarca ou até ainda mais restritos – apenas para modelos específicos. Certames que se realizam um pouco por todo o mundo, sendo alguns de difícil acesso.

Vemos, deste modo, que a aquisição de um automóvel clássico não é tarefa fácil, mas quando tudo corre bem, é uma conquista catalisadora de momentos felizes. Atrevemo-nos a sugerir, a quem pondere enveredar por este caminho, a visita a um encontro de automóveis antigos e ou clássicos, onde poderá travar amizade com os presentes e mais experientes proprietários, familiares e amigos do tema. Deste modo, pode construir uma base sólida que permita, na altura certa, dar o tão almejado passo que é passar a integrar o restrito grupo de possuidores de belos exemplares clássicos.

Muito provavelmente, veículos com mais idade do que os seus proprietários, bem guardados em garagens específicas, quer para dar uns passeios ao fim de semana, quer para usar no dia-a-dia. Sim, porque um automóvel clássico deve ser preservado, mas também deve ser mostrado. Isto, porque são, por norma, automóveis com design marcante, por vezes muito avançados para a época em que “nasceram”; outros, pelo sucesso que conquistaram através de títulos desportivos conseguidos, pela sua raridade, pelas vendas alcançadas; e outros ainda pela curiosidade ou por terem participado neste ou naquele evento que os tornaram num ícone no seio do mundo automóvel.

Clube Português de Automóveis Antigos

Em Portugal, o Clube Português de Automóveis Antigos (CPAA), que integra a Fédération Internationale des Véhicules Anciens (FIVA), é um bom ponto de partida para quem se quer informar, antes de adquirir um automóvel clássico. Saber o que precisa fazer, desde o necessário registo, às formalidades de legalização, seguros, eventuais inspeções, certificação de autenticidade ou outros passos obrigatórios para concretizar um negócio com o máximo de segurança.

10 carros clássicos mais procurados em Portugal

Marcas de automóveis mais procuradas por colecionadores

Entendemos não prescindir da orientação do CPAA e, com a sua ajuda, numa primeira fase, darmos a conhecer as 10 marcas de automóveis mais representativas, procuradas por colecionadores e homologadas por aquela instituição que conta 53 anos de atividade. São elas:

  • Mercedes-Benz;
  • Volkswagen;
  • MG;
  • Citroën;
  • Ford;
  • Jaguar;
  • Fiat;
  • Porsche;
  • Triumph;
  • Austin.

10 carros clássicos mais procurados em Portugal

Na mesma lógica, os modelos mais representativos e que, naturalmente terão uma maior procura por parte de quem compra um clássico, são:

1. MG modelo B: produzido entre 1962 e 1980, carroçaria roadster, design do conhecido e prestigiado estúdio Pininfarina, este é um modelo essencial para a casa de Abingdon, por ter sido o primeiro automóvel desportivo, com tração traseira e motor longitudinal. Estava equipado com caixa manual de 4 velocidades, com overdrive na 4ª. Na estreia, esteve apenas disponível na versão de 2 lugares. Este é um dos carros clássicos mais procurados em Portugal.

 

2. Mercedes-Benz modelo 190 SL: conhecido internamente por W121, este é um roadster de luxo de duas portas produzido pela Mercedes-Benz, entre maio de 1955 e fevereiro de 1963. Foi apresentado pela primeira vez em 1954, no Salão Automóvel de Nova Iorque. Este cabriolet, aquando do seu lançamento, estava disponível com capota de tecido ou, em alternativa, com capota rígida removível. O modelo 190 SL e o 300 SL foram substituídos pelo Mercedes-Benz 230 SL, em 1963.

 

3. Ford modelo A: sucedâneo do modelo T, este foi apresentado por Henry Ford em Detroit em 22 de dezembro de 1927. A produção terminou em 1932. Em relação ao modelo T, ele apresentava diversos aperfeiçoamentos, nomeadamente motor de 4 cilindros com 40 cv às 2.300 rpm e caixa de 3 velocidades. A velocidade máxima era de 105 km/h. O Ford A teve longa carreira comercial que se prolongou até 1932. Os registos revelam que foram comercializados mais de 5 milhões de unidades.

 

4. Citroën modelo 11 BL: chamado também de “11 ligeiro”, recebeu a designação Citroën Traction Avant e foi pioneiro por reunir na produção em série recursos revolucionários na sua época, como carroçaria monobloco, suspensão independente nas quatro rodas e tração dianteira. Produzido entre 1934 e 1957, existem várias curiosidades na história deste modelo francês, tais como ter sido utilizado como viatura automóvel do presidente Charles De Gaulle e, também, por ter sido utilizado para ilustrar uma das aventuras de Tintim, nomeadamente “O Caso Girassol”, da autoria de Hergé.

 

5. MG modelo A:  automóvel desportivo produzido pela divisão MG da British Motor Corporation entre 1955 e 1962, substituiu o modelo MG T e marcou o novo estilo dos carros desportivos da MG. Foi substituído pelo modelo MGB e foi oficialmente revelado no Salão de Frankfurt, após ter sido anunciado, pela marca, em 26 de setembro de 1955. Teve uma carreira comercial curta, com cerca de 6 mil viaturas comercializadas. Este é um dos carros clássicos mais procurados em Portugal.

 

6. Volkswagen modelo 1300: carateriza-se por ter sido o primeiro automóvel a ser fabricado pela empresa alemã Volkswagen e, também, por ser o carro mais vendido no mundo. Foi produzido durante 65 anos tendo, por isso, uma das carreiras comerciais mais longas, conhecidas no setor automóvel: 21.529.464 unidades. Modelo bem aceite em todo o mundo, é dos poucos que tem uma reedição: o Volkswagen New Beetle, cuja produção teve lugar entre 1998 e 2010.

 

7. Mercedes-Benz modelo 280 SL: este elegante cabriolet da Mercedes-Benz foi produzido entre 1967 e 1971, altura em que foi substituído pelo modelo R107 350 SL. Conhecido internamente por W113, caraterizava-se pela elegância e look desportivo do seu design. Os modelos comercializados nos Estados Unidos da América diferenciam-se dos europeus por possuírem caixa de transmissão automática de 4 velocidades e ar condicionado. Na Europa, pontificam modelos com caixa manual e sem ar condicionado.

 

8. MG modelo B GT: um roadster fabricado entre 1962 e 1980 pela British Motor Corporation (BMC) e pela British Leyland, ele tem diversas variantes MGB GT 2 + 2 coupé de 1965 a 1980; coupé MGC de 1967 a 1969 e MGB GT, com motor V8 de 1972 a 1976). Este modelo é um dos carros clássicos mais procurados em Portugal.

 

9. Mercedes-Benz modelo 230 SL: produzido entre 1963 e 1967, este modelo apresentava um design novo que acabou por marcara uma época da marca alemã. Além disso, estava equipado com motor 6 cilindros 2.3 litros com 150 cv. Em 1967, conheceu uma evolução com a entrada em cena do 250 SL. Na fase final da sua produção, foi introduzida, como opcional, a transmissão manual de 5 velocidades, a qual foi muito bem recebida no mercado italiano. Ainda em 1966, regista-se um reforço de segurança dos passageiros, com a introdução de cinto de segurança de três pontos.

 

10. Citroën modelo 11 B: este automóvel segue a linhagem do 11 BL, produzido entre 1934 e 1957 pelo fabricante francês, este modelo foi desenvolvido por André Lefèbvre. Caraterizava-se por ser mais leve que os demais automóveis da sua época. Por isso, o consumo aos 100 km cifrava-se em 10 litros. Tinha uma velocidade máxima de 100 km/h. Este é outro dos carros clássicos mais procurados em Portugal.

 

Veja também: