Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Nélson Costa
Nélson Costa
22 Jun, 2018 - 09:00

Carros de serviço: o que precisa de saber antes de comprar

Nélson Costa

Os carros de serviço podem ser uma boa alternativa para quem quer comprar carro e poupar algum dinheiro, mas também existem desvantagens. Saiba quais.

Carros de serviço: o que precisa de saber antes de comprar

Devido ao custo associado, e além da casa, o automóvel é um dos maiores investimentos de um agregado familiar. Por isso, são muitos os que optam por comprar um carro usado em detrimento de um veículo novo. No entanto, outra opção disponível são os carros de serviço, que lhe podem permitir alguma poupança e, simultaneamente, alguma da segurança associada à compra de um carro novo, em primeira mão.

Também denominados carros de demonstração, os carros de serviço são veículos que os concessionários utilizam, por exemplo, para mostrar aos possíveis clientes, para uso dos seus funcionários ou até para testes de condução (test-drive). Pelas características associadas, os carros de serviço podem ser uma boa compra, mas também acarretam desvantagens.

Carros de serviço: onde e como comprar

carros de serviço

Como facilmente se percebe, dado o seu fundamento, pode encontrar carros de serviço nas marcas e em praticamente todos os concessionários. A questão de onde comprar prende-se essencialmente no carro que pretende e na disponibilidade do mesmo (como carro de serviço) em determinado concessionário.

Antes de comprar um carro de serviço, considere alguns aspetos:

1. Faça ‘trabalho de casa’. Compare preços entre carros usados e novos do modelo que pretende comprar para saber se vai fazer um bom negócio ao optar por um carro de serviço.

2. Ainda que sejam, habitualmente, praticamente novos (o objetivo é sempre vendê-los antes que desvalorizem em demasia), os carros de serviços podem ter mais ou menos quilómetros, terem diferentes usos e cuidados (test-drive, para uso dos funcionários, veículo de cortesia, por exemplo), etc. Assim, deve tentar perceber o historial do carro, questionando o vendedor sobre quanto tempo o veículo serviu de carro de serviço e para que usos, por exemplo.

3. Verifique todos os pormenores do carro. Inspeccione todos os componentes e solicite um test-drive. Pode também recorrer a ajuda especializada.

4. Verifique e questione sobre a garantia do carro. Normalmente esta inicia-se apenas após o carro passar para a propriedade do comprador, mas confirme esta informação para não correr o risco de já se ter iniciado durante o período em que o automóvel funcionava como carro de demonstração.

5. Quando os carros de serviço estão à venda significa que há interesse dos concessionários em o vender o mais rapidamente possível. Aproveite esse fator em seu benefício. Negoceie. Mas não faça o negócio de imediato, pondere a decisão, durante um ou mais dias, e aproveite para voltar a pesquisar e comparar preços (entre carros novos, usados e até outros carros de serviço) para garantir que está a fazer um bom negócio.

Vantagens e desvantagens dos carros de serviço

Vantagens

  • É mais barato do que comprar novo e, na generalidade, deverá ser um bom negócio porque estará a comprar um carro em bom estado (a confirmar, mas atendendo ao objetivo para que serve um carro de serviço – impressionar potenciais compradores – é credível que assim seja);
  • Normalmente incluem extras interessantes (novamente pela lógica de que servem o propósito principal de impressionar potenciais compradores);
  • Está pronto para levar para casa (ao contrário dos carros novos que implicam algum tempo de espera para entrega, particularmente se solicitar equipamento opcional) e o carro que vai levar é exatamente aquele que testou.

Desvantagens

  • Menor poder de escolha (não permite personalização). Não poderá acrescentar eventuais extras que gostasse e que não estão incluídos no carro de serviço, ou escolher a cor, por exemplo;
  • Indubitavelmente tem maior quilometragem e desgaste. Mesmo que os quilómetros efetuados sejam poucos, é provável que – enquanto veículo de test-drive –, os utilizadores tenham ‘puxado’ pelo veículo, criando desgaste, por exemplo, nos pneus;
  • Passou por várias mãos, ou seja, já terá sido conduzido por diversos utilizadores;
  • Possibilidade de ter um menor período de garantia.

Veja também: