David Afonso
David Afonso
19 Jul, 2019 - 10:38

7 coleccionadores de carros portugueses e quais as máquinas que guardam nas suas garagens

David Afonso

Quem são os maiores coleccionadores de carros portugueses? Conheça alguns dos nomes que preservam verdadeiras relíquias automóveis em Portugal.

O artigo continua após o anúncio

Existe em Portugal uma comunidade de coleccionadores de carros que não pára de crescer de dia para dia. Ou por paixão ou simplesmente para diversificar o seu investimento, muitos são aqueles que se têm virado para o mercado dos automóveis clássicos. Neste artigo, vamos-lhe dar a conhecer 7 coleccionadores de carros portugueses.

Nesta lista vai encontrar automóveis exclusivos, raros e com um valor que faz sonhar qualquer um. Essencialmente, são coleccionadores que guardam nas suas garagens verdadeiros tesouros. Se é adepto de automóveis, visite connosco as garagens destes 7 nomes!

7 coleccionadores de carros portugueses e as máquinas que guardam nas suas garagens

1. Eduardo Conde – o maior espólio de clássicos do Porto

Eduardo Conde é o coleccionador que usa a maior parcela do parque do Clube Português do Automóvel Antigo (CPAA) na Casa da Música, no Porto. Aqui, guarda a sua coleção privada de quase 40 clássicos. Do modelo mais tradicional ao mais antigo, tem carros para todos os gostos: alumínio, desportivos ou citadinos.

O início desta paixão foi agridoce para Eduardo Conde. O seu pai tinha uma enorme estima por um Jaguar 340 clássico dado por um dos clientes da empresa da família, contudo, o carro foi vendido. Mas, a paixão que Eduardo Conde tinha pelo veículo fez com que se dirige-se a quem o comprou, e fizesse uma proposta para o ter de volta. E assim, começou a sua aventura pelos clássicos.

Mais tarde, comprou um Aston Martin DB6 – a peça mais valiosa da sua coleção. A título de curiosidade, apenas foram fabricados 800 no mundo. E partir daí, o resto é história. Na sua coleção guarda ainda modelos como o Lamborghini Diablo com motor V12, um Rolls-Royce Corniche e um Mercury Montclair, de 1955, rosa que considera uma pequena extravagância.

Eduardo Conde, compra apenas por gosto e diversão. Atualmente faz “render” a sua paixão pelos clássicos através da sua empresa de aluguer de carros para eventos ou produções de televisão. O mais procurado para casamentos é o Cadillac El Dourado e um dos seus Rolls Royce, foi alugado para filmar a telenovela, “A Ferreirinha”, uma produção de 2004 da RTP.

Jaguar 340 clássico

Jaguar 340 clássico

Aston Martin DB6

O artigo continua após o anúncio
Aston Martin DB6

Mercury Montclair

Mercury Montclair

2. João Ricardo Pateiro – O locutor de desporto colecionador de carros

É um dos mais famosos locutores de futebol do nosso País. Trabalha na Rádio TSF e encanta muitos daqueles que ouvem o desporto rei através dos seus rádios. A sua paixão por clássicos começou em 2003, quando comprou um MG Midget de 1970. Um roadster, de dois lugares, descapotável que apenas acabou de restaurar em 2006. É um apaixonado pelos anos 80 e pelos carros de época. Tem uma Citroën Dyane que comprou exatamente por isso.

A sua coleção conta ainda, e dos quais destacamos, um Renault 12 ou uma 4L, que João Ricardo Pateiro quer transformar num jipe. Mais recentemente, comprou um Datsun 1200 para a sua garagem. Apesar de não ter atualmente uma grande frota de clássicos, João Ricardo Pateiro teve inúmeros carros que comprou e vendou com o passar do tempo. Casos de um Morris Minor de 1966 ou um Volkswagen carocha de 1956.

Atualmente dedica grande parte do tempo ao seu Beetle do ano 2000.

MG Midget de 1970

MG Midget de 1970

Datsun 1200

Datsun 1200

3. António Ferreira de Almeida – O dono da mítica quinta cheia de carros abandonados

António Ferreira de Almeida, começou a comprar carros em 1971. Os primeiros da coleção foram um Overland 1922 conversível e um Durant 1929. Mais tarde, quando se apercebeu que era um mercado em franca expansão e com um potencial de valorização começou a comprar quase um carro por mês.

Aquando da mítica história da quinta abandonada, em 2007, António Ferreira de Almeida tinha cerca de 400 carros, que manteve ao longo dos anos nessa tal fábrica. A história foi tão noticiada que teve de vir a público esclarecer que era o dono de todos aqueles carros abandonados. Segundo o próprio António Ferreira de Almeida, são assim mantidos, empoeirados, para preservar a sua pintura da humidade.

O artigo continua após o anúncio

Das informações que foram possíveis apurar sobre esta coleção, ele o seu filho decidiram que seria uma oportunidade, a criação de um museu. A quinta, para os mais curiosos, fica na zona de Santarém e conta com cerca de 230 clássicos.

Para perceber melhor toda esta história, assista a um vídeo que um canal de Youtube estrangeiro fez em 2013 sobre os carros abandonados de António Ferreira de Almeida.

Overland 1922

Overland model 4 tourer

Durant 1929

Durant 1929

4. José Artur de Carvalho Campos Costa – O proprietário do Museu Automóvel António Augusto

A coleção do Museu Automóvel António Augusto encontra-se no Minho, mais propriamente em Vila Nova de Famalicão, e é uma das mais antigas coleções particulares de automóveis e motos em Portugal. O seu fundador, António Augusto Carvalho, foi um dos pioneiros no que toca a colecionar clássicos.

Atualmente o museu é propriedade do seu sobrinho, José Artur de Carvalho Campos Costa. Para este, a paixão por colecionar clássicos começou exatamente com o seu tio e com um carro que tem uma história especial. Falamos do Lancia Lambda Limousine, de 1928, um carro revolucionário para a época, segundo José Artur de Carvalho Campos Costa.

Para além disso, o Lancia Lambda foi dos primeiros carros a fazer parte da coleção do seu tio iniciada nos anos 50. O primeiro foi um Ford T de 1954.

O carro que José Artur de Carvalho Campos Costa destaca da sua coleção, é o BMW 328 que pertenceu ao corredor Manuel Nunes dos Santos. É o único exemplar deste modelo e é um carro de corrida.

O artigo continua após o anúncio

Lancia Lambda Limousine

Lancia Lambda Limousine

BMW 328

BMW 328

Ford T de 1954

5. José Mira – O colecionador de Mercedes

José Mira tem uma coleção de Mercedes que faz qualquer um ficar fascinado, sempre que existe uma exposição de Mercedes clássicos, o mais certo é encontrar lá um dos seus carros de coleção. A sua, é uma coleção fantástica e extremamente rica em património.

A “estrela” da colecção é O Mercedes 600 de Gulbenkian. Tendo mesmo uma placa que confirma Gulbenkian era mesmo o proprietário.

Além dos Mercedes clássicos, tem na sua garagem um Alvis do 1928, que é o mais velho da sua coleção, ou os desportivos Porsche 356 ou Chevrolet Corvette Stingray e os veículos de representação, como o Mercedes 320 e Rolls-Royce Silver Dawn.

Existe da parte José Mira a intenção de criar um Museu para que todos possam ver a sua garagem de clássicos.

Mercedes 600

Mercedes 600

Alvis

Alvis

Fonte: Alvis/ Divulgação

6. Tim Vieira, o tubarão dos clássicos!

A paixão de Tim Vieira, um dos tubarões da versão portuguesa do famoso programa norte-americano “Shark Tank”, pelo mundo automóvel, começou com o pai através do clube Renault, do qual o pai era sócio. Tim Vieira passava horas nos carros a brincar e a “tentar” andar com eles. Com o passar dos anos, e com os rendimentos que ia adquirindo, decidiu começar uma coleção de clássicos e mais tarde lançar o projeto “Tim’s Garage” .

A Tim’s Garage conta com máquinas com mais de 100 anos de história. Desde Carochas, passando por Porsche ou Ferrari, é uma garagem de um verdadeiro devorador de clássicos.
Relativamente a preferências, Tim Vieira, confessa que é difícil de escolher, contudo, inúmera 3 paixões: um Ferrari Testarossa, a paixão juvenil, um Shelby 500 KR, por causa do barulho e um Mclaren SLR de 2003, que Tim define como a inovação para a época.

Ferrari Testarossa

FERRARI TESTAROSSA

Shelby 500 KR

mustang

Mclaren Mercedes SLR

SLR

7. Ricardo Sáragga – Coleção eclética e requintada

Ricardo Sáragga começou esta coleção há mais de trinta anos, apenas com modelos da Mercedes. Sendo o Mercedes-Benz 600 Sedan by Chapron de 1966 com um tejadilho de vidro a coqueluche desse início de coleção. A coleção de Sáragga tinha um objetivo, reunir modelos exclusivos. Prova disso, são: o Aston Martin DB9 LM de 2008 (produziram-se apenas 69 unidades) e um V8 Vantage AMR (apenas foram produzidos 200).

No total, esta coleção conta com mais de 130 clássicos, sendo que alguns deles são carros de época. Para Ricardo Sáragga, para além da exclusividade, também conta a história de cada modelo e o seu legado, e a forma como este encontrou para homenagear este lado histórico de cada membro da sua coleção é conduzindo-os sempre que possível.

À coleção Sáragga temos de acrescentar ainda um detalhe que de certeza vai agradar a todos os amantes de clássicos, esta coleção encontra-se em leilão. A leiloeira RM Sotheby’s está responsável pela ofertas. Por isso, caso queira um clássico exclusivo e se tiver o capital necessário, acreditamos que não se vai arrepender!

Mercedes-Benz 600 Sedan by Chapron de 1966

Mercedes 600 SEL

Fonte: Mercedes/ Divulgação

Aston Martin DB9 LM de 2008

aston martin db9

Fonte: Aston Martin/ Divulgação

V8 Vantage AMR

Aston Martin AMR

Fonte: Aston Martin/ Divulgação

Veja também