Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
26 Out, 2020 - 11:11

Colírios: saiba o que são e para o que servem

Teresa Campos

Talvez já tenha ouvido falar em colírios e até já lhe prescreveram estas gotas para os olhos. Mas será que sabe exatamente do que se tratam? Tome nota!

mulher a colocar colírios

É possível que numa ida ao médico, numa consulta de oftalmologia, o especialista lhe tenha recomendado a utilização de colírios. Contudo, será que sabe exatamente de que se tratam estas gotas para os olhos? E será que existe apenas um ou vários tipos de colírios?

Vamos esclarecer estas e outras dúvidas, de modo a que perceba quais podem ser os diferentes usos destas gotas que podem ser aconselhadas para vários fins e, por isso, receitadas em diferentes contextos. Fique a saber mais.

Colírios: tudo o que precisa saber

Os colírios são um tipo de medicamento composto por substâncias químicas capazes de tratarem problemas oculares tais como: olhos secos, alergias, desconforto ocular, conjuntivite, inflamações, infeções, entre outros.

Há vários tipos, os quais devem ser selecionados por um oftalmologista e apenas utilizados mediante prescrição médica, já que o seu uso inadequado pode causar cegueira.

Há, também, gotas para os olhos que não requerem receita médica, pois têm apenas uma função hidratante e servem para tratar problemas leves e transitórios, como olhos secos, por exemplo.

médica a dar colírios a paciente

Diferentes tipos de colírios

Lubrificantes, lágrimas artificiais, gotas hidratantes

Os colírios funcionam como gotas hidratantes que servem para tratar os olhos secos, muitas vezes resultado da idade ou do uso excessivo de ecrãs, como os dos computadores, por exemplo.

Glaucoma

Neste caso, o propósito deste medicamento é o de reduzir a pressão intraocular. Serve de tratamento diário e apenas deve ser suspenso mediante indicação médica.

Anti-inflamatórios

Os colírios servem para tratar problemas oculares específicos, como conjuntivite viral ou crónica e/ou inflamação na córnea.

Antibióticos

Este fármaco destina-se a tratar infeções nos olhos, nomeadamente conjuntivites bacterianas. Eles podem ser receitados em conjunto com anti-inflamatórios, que pretendem reduzir a inflamação e o desconforto causado pela infeção.

Antialergénicos

Estas são as gotas recomendadas em caso de conjuntivite alérgica. Elas aliviam os sintomas associados como prurido, vermelhidão e inchaço.

Anestésicos

Estas gotas são, habitualmente, utilizadas em procedimentos médicos oftalmológicos, pois elas são capazes de anestesiar a região ocular.

Descongestionantes

Estas gotas são vasoconstritores, ou seja, servem para descongestionar e lubrificar os olhos. São receitadas para atenuar irritações e vermelhidão provocadas por agentes externos, como sol, poeira, fumo, água do mar ou da piscina, etc.

Miopia e astigmatismo: descubra as diferenças
Veja também Miopia e astigmatismo: descubra as diferenças

Prós e contras do uso dos colírios

Os colírios são medicamentos bastante eficazes e essa é, naturalmente, uma das suas principais vantagens. Porém, eles não deixam de ser medicamentos e, por isso, merecem alguns cuidados especiais.

Deve, por exemplo, ser cauteloso de modo a evitar qualquer interação medicamentosa, assim como é fundamental seguir todas as indicações do seu médico, de maneira a cumprir adequadamente o modo de administração das gotas, não ultrapassando nunca a dose recomendada. Um senão é que algumas pessoas têm alguma dificuldade em aplicar estas gotas nos seus olhos, uma vez que elas podem causar algum ardor ocular.

Como já dissemos, este é um medicamento que deve ser usado apenas por recomendação médica e cumprindo todas as suas indicações, quanto à forma de administração. É ainda importante ter em conta que muitos destes colírios têm um prazo de validade muito curto, após serem abertos.

Portanto, informe-se sobre esse prazo e tenha-o em consideração. Muitas vezes, depois de usar as gotas por alguns dias, deve descartar o frasco e não guardar, pois os colírios perderão as suas propriedades mesmo antes de os poder utilizar outra vez.

Veja também