Marta Maia
Marta Maia
23 Jul, 2019 - 15:28
5 dicas úteis para controlar as despesas domésticas

5 dicas úteis para controlar as despesas domésticas

Marta Maia

Aprenda a controlar as despesas domésticas, a supervisionar o que gasta e a evitar despesas desnecessárias.

O artigo continua após o anúncio

Manter as despesas domésticas sob controlo todos os meses e garantir que as contas se mantêm em ordem é um dos mais complicados desafios em qualquer casa, sobretudo naquelas em que há crianças que, como se se sabe, são mestres do imprevisível e das despesas inesperadas.

A realidade é que somos humanos e não máquinas e, por isso, vamos ter vontades e desejos diferentes todos os dias. Isso leva-nos a gastar mais ou menos em determinadas alturas. Mas se mantivermos as despesas domésticas controladas, conseguimos assegurar uma margem de manobra financeira suficiente para satisfazer os pequenos caprichos pontuais.

Desenvolvemos, para si, uma lista de dicas que vão ajudá-lo a manter os números debaixo de olho e as despesas domésticas sempre à vista. Siga-as e mantenha a vida organizada.

Como controlar as despesas domésticas

1. Faça um ficheiro de controlo

despesas domesticas

Mais ou menos complexo, com mais ou menos alíneas detalhadas, um ficheiro de controlo financeiro é sempre útil para vigiar de perto as despesas domésticas. Desde que anote, com regularidade, tudo o que gasta e onde, vai ficar com uma ideia muito real do orçamento de que precisa para gerir a casa e, sobretudo, de quais são as suas maiores fontes de despesa.

No documento de controlo das despesas domésticas devem constar as despesas fixas, mas também as variáveis, já que elas vão existir todos os meses de forma inevitável. A vantagem de anotar despesas que variam todos os meses é descobrir um padrão: mesmo que tenha gasto o dinheiro em coisas diferentes, vai ver que gasta sempre mais ou menos a mesma coisa. Isso ajuda-o não só a precaver-se para cada mês, mas também a descobrir o real impacto daqueles gastos não essenciais nos seus rendimentos.

2. Use uma app

As aplicações e smartphones não servem só para os jogos dos mais (ou menos) novos. Há também muitas apps disponíveis no mercado, algumas de forma gratuita, que o ajudam a registar (em tempo real e com maior ou menor detalhe) as despesas que vai tendo.

Todas oferecem um serviço de análise das despesas domésticas que lhe diz onde está a gastar mais, e algumas até lhe permitem definir limites a partir dos quais é avisado que está a “esticar-se” naquele tipo de gasto.

Uma vantagem particular das apps é que, nalguns casos, permitem criar uma conta conjunta onde cada elemento da família pode introduzir as suas despesas, criando um registo comum e mais realista. Assim todos sabem, em tempo real, como estão as contas da casa e quem está a contribuir mais para cada rubrica.

O artigo continua após o anúncio

3. Tenha cuidado com os débitos diretos

despesas domesticas

Os débitos diretos são um conforto porque, basicamente, tratam de grande parte das despesas domésticas por si. Água, luz, gás, telecomunicações, ginásio… Os serviços de que beneficia são pagos todos os meses na data certa sem que tenha sequer de pensar nisso.

O problema dos débitos diretos é que facilmente podem fugir ao seu controlo. Por um lado, dificilmente vai manter-se fiel à rotina de confirmar tudo o que lhe foi debitado da conta e por quem e pode dar-se o caso de um serviço ficar mais caro sem que se aperceba disso. Por outro lado, o facto de não ver o dinheiro físico a sair-lhe do bolso faz com que perca a noção do impacto das despesas, permitindo-se acumular mais compromissos do que acumularia se tivesse de pagar em dinheiro.

4. Faça listas de compras com itens fixos

As compras do supermercado são sempre o patinho feio das despesas domésticas, porque nunca são iguais e o valor pode variar muito consoante a altura do ano. Mesmo assim, há uma forma de manter estas contas debaixo de olho.

A não ser que tenha saído de casa dos pais há quinze dias, certamente já sabe do que a sua casa gasta (literalmente). Escreva numa lista os itens necessários para gerir a casa durante um mês e mantenha-se fiel a ela quando for às compras. Pode não ter de comprar sempre arroz, mas quando comprar, só compra daquele arroz e evita alinhar em aventuras de experimentação de novos produtos.

No fundo, só tem de estabelecer a sua lista de compras “base” e, a cada mês, escolher quais os itens que estão em falta e é preciso comprar. Evite ainda ir ao supermercado em demasia ou para comprar apenas uma coisa. O que acontece muitas vezes é que vai para comprar um pacote de massa e acaba por sair com inúmeras outras coisas.

Esta é uma causa frequente de desvios à disciplina financeira e, em consequência, de descontrolo das despesas domésticas.

5. Faça tudo o que puder em casa

despesas domesticas

Se analisar as contas com atenção vai notar que uma boa parte das despesas domésticas resultam da compra de produtos ou serviços que, a bem da verdade, até podia fazer em casa. Falamos quer de coisas simples como fazer uma polpa de tomate, quer de tarefas mais complexas como a limpeza da casa.

A regra é simples: se o que está a pensar comprar puder ser feito em casa mais barato, então não compre. Vai notar que as despesas domésticas reduzem e, muitas vezes, a sua saúde até agradece mais.

O artigo continua após o anúncio

Veja também: