Miguel Pinto
Miguel Pinto
18 Set, 2020 - 11:40

Coronavírus: perguntas mais frequentes

Miguel Pinto

A pandemia de coronavírus tem gerado uma torrente de informação. Esclareça algumas dúvidas que ainda subsistem sobre a Covid-19 e mantenha-se alerta.

perguntas e respostas sobre o coronavírus

A pandemia de coronavírus está a inquietar o mundo. No entanto, com toda a informação que tem vindo a ser disponibilizada, ainda há quem não tenha a resposta certa para algumas das dúvidas mais comuns.

Assim sendo, aqui ficam algumas respostas, sendo que elas são apenas informações retiradas de fontes oficiais (como a Organização Mundial de Saúde ou a Direcção-Geral de Saúde portuguesa). Por isso, caso tenha algum sintoma não hesite em contactar a linha Saúde 24.

Coronavírus: perguntas e respostas

Perguntas e respostas sobre o coronavírus

1. O que é o coronavírus?

Coronavírus é o nome de uma grande família de vírus que tem uma estrutura em formato de coroa, conhecida desde 1960. Causam infecções respiratórias e já provocaram outras doenças, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers).

A doença causada pelo novo coronavírus recebeu o nome de Covid-19. Foi descoberta no final de dezembro de 2019, na China. A primeira morte foi registrada em 9 de janeiro.

2. Como se processa a transmissão?

Por meio de três formas: Por vias respiratórias, pelo ar e por gotículas provenientes de espirros e da fala de indivíduos infectados; Por contato físico, quando essas gotículas com o vírus alcançam mucosas do olho, nariz e boca por meio de beijos e abraços; Por meio do contato de superfícies contaminadas, quando essas gotículas com o vírus ficam depositadas em locais como um corrimão ou uma maçaneta, e depois entram em contato com mucosas do olho, nariz e boca.

3. Quais são os sintomas?

Tosse seca, febre e cansaço são os principais sintomas, mas alguns pacientes podem sentir dores no corpo, congestionamento nasal, inflamação na garganta ou diarreia. Nos casos mais graves, que geralmente ocorrem em pessoas que já apresentam outras doenças associadas, há síndrome respiratória aguda e insuficiência renal.

4. Como prevenir o coronavírus?

Higienizar as mãos e superfícies, como móveis e corrimões, são as principais formas de se prevenir contra o novo coronavírus. Mesmo com as mãos limpas, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Além disso, é preciso limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado. O uso de máscaras é mais recomendado para quem estiver em contato com alguém com sintoma gripal ou necessitar viajar para áreas de risco.

5. Lavar as mãos previne contra o coronavírus?

Para infectar uma pessoa, o vírus precisa sair de um doente e entrar no organismo de outra pessoa. Ao tossir, falar ou espirrar, por exemplo, o vírus espalha-se por meio das gotículas – não há indício de transmissão pelo ar sem ter relação com estas gotículas. Estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que o vírus pode persistir nas superfícies por algumas horas ou, até mesmo, vários dias. Isto pode variar e depende das condições do local, do clima e da humidade do ambiente.

Por isso, lavar as mãos retira o vírus da superfície do corpo e evita que, ao coçar, por exemplo, ele entre em mucosas – como olhos, boca e nariz –, o que causa a infecção.

A proximidade do doente com a pessoa saudável pode permitir que essa “viagem” do vírus fique mais curta. Por isso, devem rever-se alguns hábitos sociais, como cumprimentar com beijos no rosto ou com um aperto de mãos.

6. Como lavar as mãos corretamente?

As mãos devem ser lavadas com água e sabão, ou higienizadas com álcool. A recomendação é que a higiene seja completa, inclua a parte inferior da ponta das unhas e alcance também a região do pulso.

7. Como é feito o tratamento?

Não existe tratamento específico contra o Covid-19. Os pacientes infectados recebem uma medicação para aliviar os sintomas.

8. Que produtos de limpeza matam o coronavírus?

O novo coronavírus pode ser morto por produtos de limpeza desinfetantes de fácil acesso, como álcool 70%, água sanitária e até com a combinação de água e sabão.

9. É possível ser infectado mais do que uma vez?

A comunidade ainda não tem esta resposta definitiva, mas há um caso de uma mulher no Japão que teve uma recaída e o mesmo aconteceu com uma mulher na Austrália. Se bem que o mais provável é que após a infecção a maioria das pessoas criem imunidade contra o coronavírus, convém não baixar a guarda e continuar a ter todos os cuidados.

10. Há vacina contra o coronavírus?

Ainda não, mas vários países, como Rússia, China e Estados Unidos, já pesquisam uma vacina. A expectativa da comunidade científica é que os primeiros testes comecem dentro de dois meses. Mas nada é certo ainda.

Risco de coronavírus em pets
Não perca Coronavírus em animais: tudo o que precisa saber

11. Qual a taxa de mortalidade do Covid-19?

Ainda não há um número oficial de letalidade do Covid-19. No caso da China, a taxa oficial foi de 3,5% dos casos confirmados. Fora da China situa-se, para já, em 1,6%.

12. Suspeito estar infectado. Como devo proceder?

Em 80% dos casos, os sintomas são leves, semelhantes a uma gripe Nestes casos, o essencial, segundo a Organização Mundial da Saúde, é evitar sair de casa e cumprir as regras de segurança: ao espirrar, deve-se colocar o antebraço ou um lenço na frente do nariz e boca; utilize lenços descartáveis para higiene nasal; não compartilhar talheres, copos, toalhas e demais objetos pessoais; manter uma distância mínima de um metro de qualquer pessoa.

13. Quem corre mais riscos? Crianças ou adultos?

Os grupos de maior risco são crianças menores de 2 anos, grávidas e adultos com 60 anos ou mais.

14. Qual o tempo de incubação do vírus?

O “período de incubação” significa o tempo entre a captura do vírus pelo ser humano e o início dos sintomas da doença. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a maioria das estimativas do período de incubação do Covid-19 varia de 1 a 14 dias, geralmente em torno de 5 dias.

15. Quanto tempo o vírus sobrevive no ar?

Ainda não é possível afirmar quanto tempo o novo coronavírus sobrevive na superfície ou no ar. Estudos da OMS apontam que o vírus pode persistir nas superfícies por algumas horas ou, até mesmo, vários dias. Isto pode variar e depende das condições do local, do clima e da umidade do ambiente.

16. As grávidas correm mais riscos?

As mulheres grávidas passam por alterações imunológicas e fisiológicas que podem torná-las mais suscetíveis a infecções respiratórias virais, com a do Covid-19. Têm mais risco de doença grave, morbidade ou mortalidade em comparação ao restante da população.

17. Que cuidados se devem ter nos transportes públicos?

É importante manter os ambientes arejados. Ao apoiar-se nas barras de apoio, as pessoas devem ter cuidado e fazer a higienização das mãos, pois podem existir gotículas de tosse ou espirro. As pessoas devem evitar tocar olhos, boca e nariz e, também, usar o transporte em horas de ponta.

Veja também