ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Margarida Ferreira
Margarida Ferreira
10 Jun, 2014 - 15:59

Corte dos salários? “Tão rapidamente quanto possível”

Margarida Ferreira

Depois do chumbo do Tribunal Constitucional, é tempo agora de pensar em novas medidas para que a recuperação económica que se tem vindo a sentir, não recue. Governo insiste nos cortes dos salários.

Corte dos salários? "Tão rapidamente quanto possível"
Passos Coelho revelou hoje em Santarém que apesar do Tribunal Constitucional ter chumbado o corte dos salários, o Governo não vai desistir desta medida. Segundo o próprio, a solução tem de ser encontrada o mais rapidamente possível, visando a lacuna que o chumbo das medidas propostas poderá deixar.
Na visita à Feira Nacional da Agricultura, o Primeiro-ministro assegura que “Já tínhamos decidido que a partir de 2015 iriamos desfazer o corte dos salários que veio vigorado. Uma vez que o corte foi suprimido na totalidade pelo Tribunal Constitucional, o Governo tem de reanalisar a situação, algo que deverá acontecer tão rapidamente quanto possível”.

Ainda o défice

Mesmo depois da saíde da Troika de Portugal, o país continua a precisar obrigatoriamente de garantir os objectivos traçados. Segundo Passos Coelho, é importante garantir que a meta do défice não ultrapassa os 4% este ano e os 2,5% em 2015. Desta forma, “se as medidas aprovadas em conselho de ministros e em acordo com os credores não são aprovadas pelos juízes do TC, então teremos de as substituir por outras”, garante o Primeiro-ministro.
Perante os objectivos traçados, o Governo é obrigado a garantir que as medidas de austeridade continuam a ser implementadas de forma a não fazer com que o país recue em tudo o que já foi conquistado e volte a passar por sacrifícios ainda maiores.

Veja também: