Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
23 Mai, 2019 - 12:48
Costa da Morte: a Galiza como nunca a conheceu

Costa da Morte: a Galiza como nunca a conheceu

Mónica Carvalho

A Costa da Morte localiza-se ao longo de dezenas de quilómetros, pelo noroeste do litoral da Galiza. Conheça melhor a região.

O artigo continua após o anúncio

Bem nos limites da região da Corunha, encontra-se a Costa da Morte, uma zona onde não faltam aldeias, praias desertas, enseadas, falésias e, claro, os cabos Finisterra, Touriñán e Vilán, que se prolongam oceano adentro. Esta variedade providencia um cenário de beleza inconfundível, sendo assim, a marca de identidade da zona.

Toda esta zona convida a um passeio tranquilo para observar a beleza paisagística e o património ecológico que se estende por suaves colinas, cobertas por campos de milho, pastos e florestas.

Tudo isto confere um certo dramatismo à Galiza, algo que é cimentado pelas muitas histórias, contos e lendas sobre santos, bruxas e demónios que vão sendo contadas de terra em terra.

As vilas imperdíveis na Costa da Morte

Costa da Morte

O nome é imponente e obriga ao respeito. Afinal a zona é assim chamada devido à ocorrência de muitos naufrágios, provocado pelas fortes tempestades e rochas perigosas que compõem a extensão da costa.

Mas não é só pelos danos causados pela natureza que a Costa da Morte tem este nome. As lendas relatam a existência de caçadores de seres humanos, que amarravam tochas nos chifres das vacas, imitando fogos na costa e iludindo os marinheiros, que acabavam, assim, por cair nas mãos dos ladrões e assassinos.

Mas falemos antes sobre o que a zona tem de melhor, nomeadamente as muitas vilas que a compõe. Descubra aqueles que deve mesmo visitar:

  • Camariñas: esta vila é a capital da tradicional Renda de Bilros e o ponto de origem da Costa da Morte. Como tal, são imensas as histórias e lendas contadas em diferentes livros e publicações, que têm Camariñas como cenário de fundo;
  • Corme: nesta vila destaca-se o farol de O Roncudo, onde se podem apanhar os melhores perceves – e os mais caros também – da costa galega;
  • Malpica de Bergantiños: possui um pitoresco porto de pesca tradicional e uma praia mesmo no centro. A vila é cercada por uma marginal cuidada cheia de pequenas esplanadas;
  • Muxía: esta vila ficou bem conhecida recentemente por ter sido o palco da catástrofe do navio Prestige que, em novembro de 2002, se afundou na costa galega, produzindo uma imensa maré negra, entre o norte de Portugal e as Landas ou Vendée, em França. Mas tirando esta parte menos boa, a região é mesmo encantadora e com algum misticismo. Consta-se que o santuário da Virgen da Barca é o local onde a Virgem apareceu montada num barco.

Sobre o Cabo Finisterra

cabo finisterra

O cabo Finisterra tem vindo a ser uma zona cada vez mais procurada pelos turistas, principalmente, os que se encontram a percorrer o Caminho de Santiago ou por aqueles que vão à procura do dramatismo da Costa da Morte e do quão isso nos leva a pensar sobres as inevitabilidades da vida.

Quando visitar a zona, dirija-se até ao topo do cabo, que se localiza a 3,5 km do centro da cidade. Como todos os cabos que se prezem, este também é coroado por um farol, local muito procurado para assistir ao pôr do sol.

O artigo continua após o anúncio

Antes de deixar Finisterra, visite a Ermida de San Guillermo e as Pedras Santas, famosas por serem locais de prece para os locais que estão com dificuldade em engravidar.

Sobre o Cabo Touriñán

Cabo Touriñán

Touriñán é uma pequena península localizada no ponto mais ocidental da Espanha peninsular, mais propriamente no município de Muxía.
O cabo ocupa uma área bastante pequena e ergue-se a 93 metros acima do nível do mar e é feito de granito – já consegue imaginar o quão bonita é a região, certo?

O ponto mais ocidental do Touriñán chama-se “Os Buxeirados” e possui uma série de rochas que se dirigem para o oceano ao longo de quase 400 metros, que já provaram ser perigosas para a navegação, causando alguns graves naufrágios.

Sobre o Cabo Vilán

Cabo Vilán

O Cabo Vilán foi declarado Local de Interesse Nacional em 1933, por se tratar de um lugar rochoso e escarpado. Além disso, beneficia também do estatuto de área protegida, categorizada Monumento Natural. Localiza-se na vila de Camariñas e engloba ainda um parque eólico e uma aquacultura de criação de pregado.

O farol deste cabo – o mais antigo de toda a Espanha – é dotado de grande beleza. Ergue-se a 125 metros de altitude e tem um potente emissor de luz capaz de atingir os 55 km.

A região é assombrada por um ambiente muito ventoso, o que confere mais perigosidade ao local. Pronto para partir?

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp