ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Teresa Campos
Teresa Campos
03 Abr, 2022 - 18:23

Crise climática e saúde: perceba a relação entre estes dois fatores

Teresa Campos

Pode não imaginar, mas há uma relação intrínseca entre a crise climática e a saúde. Entenda de que forma uma afeta a outra.

crise-climatica-saude

Muito se fala acerca da crise climática e saúde, mas o que talvez não saiba é que o problema das alterações ao meio ambiente pode mesmo afetar a saúde dos seres que nele habitam – sejam os humanos, sejam os animais.

Estas são as conclusões de um relatório elaborado pelo Painel Intergovernamental Sobre Mudança Climática. Fique a conhecê-las mais a fundo.

Relatório sobre crise climática e saúde

De acordo com o relatório que citamos, a crise climática pode estar na origem de complicações como os distúrbios alimentares ou as doenças causadas por água contaminada.

Além das patologias físicas, a crise climática também pode provocar doenças do foro mental. Como consequência, há um crescimento da morbilidade e da mortalidade.

Mulher a segurar guarda-chuva em dia ventoso

Qual a relação entre crise climática e saúde

O ser humano está intimamente ligado ao ecossistema que habita, o qual pode variar bastante, em função das caraterísticas regionais, do seu desenvolvimento socioeconómico, do uso insustentável do oceano e da terra, das desigualdades, entre outros aspetos.

O aquecimento global, em particular, tem elevado bastante o aparecimento de doenças em animais e humanos, com o surgimento de zoonoses, de patógenos aquáticos sensíveis ao clima e de substâncias tóxicas, como cianobactérias de água doce nocivas.

As temperaturas elevadas, assim como as chuvas, têm aumentado o número de patologias, como diarreias, cólera e infeções gastrointestinais. Por outro lado, o fumo dos incêndios florestais, a poeira atmosférica e os aeroalérgenos são potenciadores de doenças cardiovasculares e respiratórias.

O risco da ocorrência de eventos climáticos ou da perda de meios de subsistência é outra causa possível para as patologias, neste caso, problemas de origem psiquiátrica.

Vacas a pastar
Veja também Consumir menos carne: é preciso e urgente, diz estudo

Perspetivas pouco animadoras para o futuro

Além das doenças de que já falámos, as alterações climáticas irão elevar o nível do mar, tornando mais comuns as inundações, sobretudo em territórios de baixa altitude.

As inundações, além de destruírem casas e porem vidas em risco, vão contaminar a água potável e comprometer as plantações, por exemplo. E, se umas regiões são mais afetadas pelas inundações, outras sofrem mais com as secas prolongadas que põem, igualmente, em risco a produtividade agrícola.

Mesmo que as metas estabelecidas para o combate à crise climática sejam cumpridas, o impacto do aquecimento global na saúde dos seres vivos será inevitável.

Neste momento, e de acordo com os especialistas, a estratégia para enfrentar este problema passa, necessariamente, por duas abordagens. Por um lado, retardar o aquecimento global e, por outro lado, adaptarmo-nos a um clima cada vez mais quente.

Algumas das medidas que todos devemos adotar e defender para combater a crise climática são:

  • Diminuir as emissões de gases com efeito de estufa;
  • Substituir o uso de combustíveis fósseis por energias renováveis;
  • Aumentar o consumo de vegetais e diminuir a ingestão de carne.

Assim, no seu dia a dia, procure adotar atitudes mais amigas do planeta, pois elas ajudarão não só a combater a crise climática, como contribuirão para prevenir o aparecimento de uma série de doenças e de problemas de saúde.

Veja também