Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marta Maia
Marta Maia
02 Jun, 2020 - 12:01

Recebe pensão ou subsídios? Veja as datas de pagamento em junho

Marta Maia

Está à espera da pensão, abono de família ou subsídio de doença? Então aponte as datas de pagamentos da Segurança Social em junho e prepare melhor o mês.

pagamentos segurança social junho

Já foram anunciadas as datas de pagamentos da Segurança Social em junho e, como sempre, em função do tipo de prestação a que têm direito, há portugueses que vão receber primeiro e outros que terão de esperar mais uns dias.

Para que os beneficiários estejam sempre salvaguardados e possam planear melhor as suas contas do mês, a Segurança Social tem uma data fixa mensal para o pagamento dos subsídios sociais e familiares. Assim, sabem exatamente o dia em que recebem o subsídio.

Se é um destes beneficiários, fique a saber em que data (ou datas) lhe cabe o seu devido pagamento.

Datas de pagamentos da Segurança Social em junho

2 de junho

Ao contrário do que é habitual, os beneficiários de pensões e subsídios por doença profissional são os primeiros a ver cair o apoio na conta. As transferências bancárias são ordenadas pela Segurança Social logo no dia 2, e a mesma data é anunciada para o processamento dos apoios que seguem para os beneficiários por vales de correio.

confirmar contas

8 de junho

Como sempre, as pensões e o complemento solidário para idosos são pagos ao mesmo tempo aos seus beneficiários. As transferências bancárias são ordenadas a partir do dia 8 de junho, mas os vales de correio começam a ser processados, por ordem alfabética, logo a partir do dia 3 de junho.

Quem recebe os apoios por via postal e tem um nome começado por uma das últimas letras do alfabeto pode, no entanto, ter de aguardar mais uns dias até ver o vale chegar à sua caixa de correio.

Na mesma data, a 8 de junho, a Segurança Social faz os pagamentos da prestação social para a inclusão. Tanto as transferências bancárias como os vales de correio são processados a partir desse dia, sendo certo que as primeiras têm um efeito imediato que não pode ser garantido nos segundos.

16 de junho

A meio do mês – mais propriamente ao dia 16 – são processados os apoios às famílias. A data é válida para todos os beneficiários independentemente da forma como recebem as prestações familiares, mas não é certo que os vales de correio cheguem no dia exato.

Também a 16 de junho os beneficiários de subsídios de desemprego, doença e parentalidade recebem a primeira parte do montante a que têm direito. O restante será pago mais adiante. Recorde-se que o pagamento destes subsídios é feito sempre em duas prestações.

23 de junho

Já os beneficiários de ação social, terão de esperar até dia 23 para verem os seus apoios ser processados. Se não tiverem aderido à transferência bancária, é possível que só venham a receber o vale de correio lá mais para o final do mês.

26 de junho

A última das datas de pagamentos da Segurança Social em junho diz respeito à segunda prestação dos subsídios de desemprego, doença e parentalidade.

Os montantes em falta chegam a partir do dia 26 com as possíveis discrepâncias entre a data em que recebem os beneficiários que aderiram à transferência bancária e os que recebem por vale de correio.

OS APOIOs atribuídos devido à pandemia

Existem, por conta da pandemia do novo coronavírus, apoios extraordinários aos cidadãos que não estão contemplados nas datas de pagamentos da Segurança Social em junho.

É o caso, por exemplo, do apoio aos pais que têm de ficar em casa para cuidar dos filhos ou dos apoios a trabalhadores independentes e sócios-gerentes que tenham tido quebra ou paragem de atividade.

Caso receba algum destes apoios, não se esqueça que o requerimento é feito mensalmente e mantenha-se atento às indicações do Governo, porque o desconfinamento gradual vai trazer novidades em relação a este tema.

RECEBER as pensões e subsídios sociais em SEGURANÇA

É importante lembrar que, apesar do desconfinamento gradual, as regras de higiene e segurança devem ser mantidas e são agora mais importantes do que nunca. Assim, se precisar de ir aos correios levantar o seu apoio, leve máscara e tenha o cuidado de desinfetar as mãos antes de entrar e assim que sair

Se tiver de recorrer aos transportes públicos ou se tiver de esperar numa fila, garanta uma distância de segurança mínima de dois metros das outras pessoas e toque no menor número possível de superfícies. Por esta altura, o álcool ou o gel desinfetante são os seus maiores aliados.

No regresso a casa, dispa a roupa o quanto antes e evite entrar com os sapatos calçados.

OUTRAS ALTERNATIVAS

Nalgumas zonas os CTT enviam os carteiros a casa dos beneficiários com os vales de correio, para que estes não tenham de sair de casa nem se aglomerem nos balcões de atendimento. Se o serviço abranger a sua residência, aproveite-o.

Em todo o caso, a melhor opção é sempre a transferência bancária, que não o obriga a sair de casa nem a ter contacto próximo com o carteiro. Pode aderir ao pagamento por transferência bancária a qualquer momento, através do portal da Segurança Social Direta. Se tiver dúvidas, veja como fazê-lo no nosso passo-a-passo.

Como receber os apoios da Segurança Social por transferência bancária

Veja o passo a passo.

Veja também