Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Silva
Inês Silva
13 Fev, 2020 - 08:19

Desemprego jovem em Portugal: 3 soluções a ter em conta

Inês Silva

O desemprego jovem em Portugal necessita de ser ativamente combatido. Apresentamos três possíveis respostas para o problema.

jovens sentados à espera de entrar para entrevista

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), em outubro de 2019, a taxa de desemprego jovem em Portugal foi estimada em 18,3%, estando ainda acima da média europeia, apesar de ter tido a maior redução na Europa.

O Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) revelou que, em setembro de 2019, o número de jovens desempregados, ou seja, indivíduos com idade inferior a 25 anos, foi de 32.333, verificando-se assim uma descida de 53,3%, entre dezembro de 2015 e setembro de 2019, no número de jovens desempregados inscritos nos centros de emprego.

A boa notícia é que o desemprego jovem em Portugal está em decréscimo, no entanto não é ainda suficiente. O que fazer? Apresentamos possíveis soluções.

Como combater o desemprego jovem em Portugal

Criar o próprio negócio, aproveitar as oportunidades que o crescimento do turismo traz ao país e beneficiar das medidas governamentais de combate ao desemprego jovem em Portugal são algumas soluções.

1. Empreendorismo: crie o seu próprio negócio

Nunca se falou tanto em empreendedorismo como hoje, e a verdade é que uma atitude empreendedora é útil não apenas a quem quer criar uma empresa: para entrar no mercado de trabalho por conta de outrem também é imprescindível ser-se proativo e contribuir com ideias inovadoras e que potenciem o crescimento das organizações.

Os jovens que decidem mesmo criar negócios são em parte responsáveis pela criação anual de 18% das oportunidades de emprego, contribuindo ainda para o aumento do volume das exportações.

Entre 2007 e 2015, foram constituídas 34 mil empresas por ano, em média. Por isso, hoje o empreendedorismo pode ser uma saída e existem muitos bons exemplos de startups que vingaram no mercado e que são verdadeiros casos de sucesso, gerando riqueza e criando postos de trabalho.

Ser empreendedor tem riscos, pois, geralmente, a abertura de uma empresa acarreta um investimento inicial que nenhum empreendedor quer ver transformado numa dívida, fazendo, assim, com que muitas pessoas receiem dar este passo. No entanto, há alternativas para os jovens que procuram apoio para o arranque inicial.

jovens à volta de uma secretária a trocar ideias

Apoios ao empreendedorismo jovem:

Portal da Juventude

Aqui vai encontrar diversa informação sobre programas e apoios públicos de promoção do empreendedorismo qualificado e do empreendedorismo jovem.

ANJE

A Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) também disponibiliza uma série de apoios ao empreendedorismo para quem pretende entrar neste mundo de inovação.

IEFP

Também o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) disponibiliza apoio a vários níveis para quem se pretende tornar num empreendedor.

IAPMEI

Na página do IAPMEI estão reunidos os vários apoios ao empreendedorismo, para pequenas e médias empresas, distribuídos pelas áreas Empreendedorismo e Inovação; Incentivos e Financiamento; Apoio Empresarial e Formação; Indústria e Sustentabilidade; Qualificação e Certificação e Revitalização e Transmissão.

2. Crescimento do setor do turismo

O turismo continua a ser o maior impulsionador da economia portuguesa. Portugal está na moda e temos os olhos do mundo postos em nós. Desde 1998 que a economia portuguesa não tinha criado tantos empregos num espaço tão curto. Cerca de 145 mil postos de trabalho já ajudaram a colocar o desemprego jovem em curva descendente.

Em 2018, o setor do turismo em Portugal representou 14,6% do Produto Interno Bruto (PIB). Os números, divulgados em dezembro de 2019 pelo INE, evidenciam o impacto da atividade na economia portuguesa,

Os dados disponibilizados apontam também para o impacto do setor do Turismo nas contas do emprego em Portugal, através dos números referentes a 2017. O relatório indica que, nesse ano, o setor foi responsável por 9% do emprego total nacional. O emprego ligado à actividade turística aumentou 8,7%, superando o crescimento do emprego na economia nacional (3,4%) nesse mesmo período.

No topo da lista das atividades ligadas ao turismo que mais cresceram nos últimos tempos contam-se o alojamento e a restauração, que registou mais 39.800 pontos de trabalho, seguidos pelos transportes e as atividades imobiliárias, com uma subida de 31.800 e 13.500 empregos novos, respetivamente.

O emprego de jovens em Portugal é favoravelmente afetado por esta tendência, uma vez que para as funções designadas, os jovens são, habitualmente, mais procurados pelas empresas.

3. Programa Garantia Jovem: inscreva-se

Lançada em 2013 em Portugal, a medida Garantia Jovem deu origem, entre outros, ao programa Estímulo Jovem, que apoia financeiramente os empregadores que celebrem contratos de trabalho, sem termo ou com termo certo, de seis meses no mínimo, com jovens entre os 18 e os 29 anos. A inscrição é feita por e-email na página da Garantia Jovem e pode ser uma resposta para o desemprego jovem em Portugal.

O portal Garantia Jovem também disponibiliza algumas medidas de apoio ao empreendedorismo que o podem ajudar a criar o seu próprio emprego ou empresa.

Veja também