ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
15 Mar, 2022 - 17:33

Desmistificar a dislexia no mercado de trabalho

Catarina Milheiro

Uma fonte de talento que tem vindo a ser pouco explorada. Aprenda a contornar as dificuldades da dislexia no mercado de trabalho atual.

dislexia no mercado de trabalho

Lidar com dislexia no mercado de trabalho pode ser extremamente desafiador.

Quando o assunto é encontrar os melhores profissionais para ocupar uma determinada função, as pessoas com dislexia são uma autêntica fonte de talento que tem sido pouco analisada.

Um estudo elaborado pela organização Made By Dyslexia e pela Talent Solutions, marca do ManpowerGroup, concluiu que as pessoas com dislexia têm “uma visão helicóptero dos problemas” – algo que no mercado de trabalho acaba por ser uma poderosa competência.

No entanto, na maioria dos casos, as práticas de contratação e avaliação das empresas no geral, não lhes permitem demonstrar os seus pontos fortes.

Dislexia no mercado de trabalho: algumas questões fulcrais

O que é a dislexia?

De acordo com a Associação Internacional de Dislexia, esta é uma dificuldade específica da aprendizagem, com origem neurológica, que se caracteriza por:

  • Dificuldades no reconhecimento adequado das palavras;
  • Discurso pobre e dificuldades de descodificação.

Ora, este tipo de dificuldades são resultantes de um défice na componente fonológica da linguagem que é muitas vezes surpreendente, quando comparado com as capacidades cognitivas e com as aprendizagens noutras áreas.

Passando a descomplicar, a dislexia é uma disfunção neurológica que se manifesta ao nível da dificuldade de aprendizagem da leitura, em pessoas com inteligência normal ou acima da média.

Trata-se de uma dificuldade crónica que está diretamente relacionada com uma base neurobiológica, com alterações na estrutura e no funcionamento neurológico e pode mesmo apresentar uma influência genética.

Quem sofre de dislexia demonstra um esforço acrescido para distinguir letras, formar palavras e compreender o seu significado. Contudo, isto não significa de todo que as pessoas com dislexia sejam preguiçosas, pouco inteligentes, imaturas ou que tenham necessariamente problemas visuais.

dislexia mundo profissional

Como pode a dislexia influenciar a carreira profissional das pessoas?

Embora não exista cura para a dislexia, há tratamentos terapêuticos intensivos e diversos tipos de apoio no processo de ensino-aprendizagem para que consigam ter sucesso de forma rápida e eficaz.

E são precisamente este tipo de tratamentos contínuos que ajudam a preparar o profissional a aprender a lidar com a dislexia no trabalho da melhor forma possível.

No fundo, gerir a dislexia no local de trabalho pode parecer complicado – mas está longe de ser impossível. É crucial que as pessoas disléxicas façam uma análise honesta das tarefas específicas que podem tornar o trabalho mais desafiante.

Por exemplo: o uso de códigos de cores, o tempo gasto na revisão de materiais ou a verificação ortográfica, podem ajudar bastante os profissionais no trabalho.

Além disso, é essencial que as pessoas tenham o tempo necessário para processar e analisar documentos – algo que nem sempre acontece, principalmente em ambientes de trabalho onde o ritmo é acelerado.

Outra questão importante sobre a influência da dislexia na carreira profissional, é o facto de ainda haver muito trabalho a fazer por parte das organizações. A verdade é que, muitas vezes, os processos de contratação não permitem aos candidatos com dislexia mostrar as suas valências e é necessário que se comecem a alterar estes processos.

As skills das pessoas disléxicas são as principais competências que as empresas procuram nos dias de hoje

De acordo com o estudo “Dyslexic Dynamic”, as principais competências que as empresas procuram atualmente, correspondem precisamente com as que são algumas das soft skills das pessoas disléxicas.

Ou seja, estamos a falar de resiliência, sentido de responsabilidade, liderança, resolução de problemas, espírito de iniciativa, criatividade, aprendizagem ativa, colaboração e sentido de adaptação.

Sendo que é precisamente através da resolução de problemas que os profissionais disléxicos demonstram uma elevada capacidade para analisar situações de forma eficiente e bastante poderosa.

A verdade é que quando se trata de escolher novos colaboradores para integrar uma equipa, as organizações ainda não reconhecem o talento disléxico. Contudo, o talento está presente.

Sabia que mais de 79% das pessoas disléxicas pensam que o processo de contratação não lhes permite mostrar as suas verdadeiras habilidades, e 75% pensa que o coloca mesmo em desvantagem?

Além disso, e mais preocupante ainda é o facto de mais de metade dos profissionais responsáveis pela contratação terem um conhecimento escasso ou mesmo nulo, das mais mais-valias das pessoas com dislexia.

Como contornar as dificuldades no local de trabalho?

Estar preparado para aprender a lidar com a dislexia no mercado de trabalho atual é essencial nos dias que correm. É cada vez mais importante percebermos que só existem vantagens para o bom funcionamento das empresas, em contratar pessoas disléxicas.

Começar por ser aberto sobre o problema que tem com os recrutadores, colegas de trabalho e superiores é o primeiro passo para contornar as dificuldades que podem emergir.

Além disto, uma boa organização é crucial quando se lida com dislexia no trabalho. Por vezes, as pessoas disléxicas podem trabalhar melhor com dicas visuais. Afinal, os sistemas codificados por cores podem melhorar significativamente a organização e resultar em altos níveis de produtividade.

O uso de um planeador e a escrita de uma lista detalhada de tarefas também podem ser úteis para ajudar a manter todo o trabalho diário em dia e com eficiência.

A dislexia pode ainda causar desafios relacionados com a atenção e o foco. Portanto, para aqueles que enfrentam problemas com a memória de curto prazo, os lembretes ou notas escritas pode melhorar a gerir o tempo e a reduzir a frustração.

Veja também