ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
28 Jun, 2021 - 09:52

Eletrodomésticos usados: vale a pena o investimento?

Mónica Carvalho

É uma forma de poupar dinheiro, mas será que realmente compensa? Saiba onde comprar eletrodomésticos usados com garantia, vantagens e cuidados a ter.

eletrodomésticos usados

Nunca foi tão fácil comprar um eletrodoméstico como atualmente. Entre lojas físicas e lojas online, a oferta é bastante ampla e o difícil pode ser mesmo escolher. Mas será que comprar novo é sempre a decisão certa a tomar, ou os eletrodomésticos usados podem ser uma opção a ter em conta?

Nem sempre existe o orçamento desejado para comprar o equipamento que gostaríamos. Assim, muitas vezes, acabamos por optar por aquele que está dentro das nossas possibilidades, mesmo que isso implique a aquisição de eletrodomésticos usados ou recondicionados.

A verdade é que, nalguns casos, este tipo de equipamento em nada fica a dever a um novo e ainda nos permite poupar alguns euros.

Assim sendo, quando é que vale a pena investir num aparelho que já teve outra vida? E os seus direitos enquanto consumidor, são exatamente os mesmos?

6 vantagens em comprar eletrodomésticos usados

casal-comprar-eletrodomesticos

Comprar eletrodomésticos usados é uma atitude cada vez mais comum, e que nem sempre se prende com a poupança de dinheiro, mas também com o facto de ser mais sustentável.

Esta é aliás uma preocupação partilhada por muitas pessoas e que até já teve eco no que à legislação diz respeito. A Comissão Europeia aprovou, no início do mês de outubro de 2019, um pacote de medidas que farão com que, a partir deste ano, todos os eletrodomésticos colocados no mercado sejam mais duráveis, amigos do ambiente e fáceis de reparar.

É, por isso, de prever que nos próximos anos a venda de eletrodomésticos usados venha a crescer ainda mais, sendo que, além do fator ambiental, há muitas outras vantagens em optar pela compra de aparelhos que já tiveram uma vida antes.

1

São mais baratos

Esta é a maior vantagem de todas e que não dá para refutar. Mesmo com as promoções existentes, cartões de cliente, ou a possibilidade de comprar a crédito (ainda que com pagamento de juros), os eletrodomésticos usados são mesmo mais baratos do que os novos.

2

Não paga juros

Imagine que compra um equipamento usado diretamente à pessoa que o quer vender ou a um amigo, mas não pode, ou não dá jeito, gastar o dinheiro na totalidade de forma imediata.

Tem sempre a possibilidade de acordar o pagamento de forma faseada e sem pagar mais por isso, como acontece com o pagamento a prestações numa loja convencional.

3

Nem sempre os defeitos são graves

Há pessoas que descartam eletrodomésticos por motivos tão simples como a substituição por um modelo mais recente ou porque vão remodelar alguma divisão da casa e querem algo que combine melhor com a nova decoração.

Nesse caso, os eletrodomésticos usados ainda têm muita vida para viver e poderão ser muito úteis a outra pessoa.

Além disso, existem várias lojas onde pode comprar eletrodomésticos com defeito estético a preços inferiores do que quando comprados novos.

Esses defeitos são originados pelo transporte e/ou logística, nomeadamente, riscos, toques e até a simples falta de embalagem de cartão.

Tal faz com que esses equipamentos não possam ser vendidos nas grandes superfícies, sendo, assim, recusados e, muitas vezes, enviados para lojas adequadas a este tipo de produto.

4

Boa opção para os fãs de peças vintage

O vintage está na moda e a maior parte das peças associadas a este estilo, sejam elas de decoração, sejam de eletrodomésticos, são realmente itens usados.

Por isso, a compra de artigos em segunda mão é uma boa solução para quem procura este estilo. Pode não encontrar todas as funcionalidades que teria num eletrodoméstico novo, mas certamente terá algo muito mais original.

Lembre-se, contudo, que quanto mais antigo for, mais eletricidade tende a consumir, por isso, vale a pena certificar-se antes da eficiência energética do aparelho, não vá o barato sair mais caro.

5

É uma atitude mais sustentável

No que diz respeito a ser mais ecológico e a ter um comportamento mais sustentável, sem dúvida que o tema da compra de eletrodomésticos usados ganha uma outra dimensão.

São cada vez mais as pessoas que se mostram disponíveis a comprar eletrodomésticos usados em vez de comprar artigos novos para reduzir a pegada de carbono.

Além disso, comprar um item em segunda mão permite salvá-lo de um destino menos amigo do ambiente, nomeadamente ser colocado num qualquer aterro, algo que tem um grande impacto ambiental e que pode ser evitado.

6

Estão abrangidos por garantia

Sabia que os artigos usados também têm direito a garantia? O período estipulado legalmente é de dois anos, sendo que, nalguns casos, pode ser de apenas um ano, se houver acordo entre as ambas as partes nesse sentido.

Onde pode comprar eletrodomésticos usados?

Cuidados a ter ao comprar eletrodomésticos usados

Apesar das vantagens encontradas na compra de um aparelho que não é novo, há alguns cuidados que deve ter nesse momento, nomeadamente avaliar bem o produto em causa e a quem o vai comprar.

Nas lojas físicas ou online, os bens móveis têm uma garantia de dois anos, quer se trate de um produto novo ou usado. A diferença é que nos usados, o prazo de garantia pode ser reduzido por mútuo acordo entre o vendedor e o consumidor.

A exceção é sempre a compra de artigos a particulares, pois não existe obrigatoriedade de garantia nessa situação.

Assim, deve sempre solicitar uma demonstração do equipamento junto da pessoa individual a quem vai comprar o eletrodoméstico usado.

Também o pode solicitar em loja, embora o vendedor não esteja obrigado a fazê-lo. Ainda assim, a maioria costuma aceder.

Nas compras online, o envio e a entrega dos produtos são sempre da responsabilidade do vendedor. Por isso, se receber um bem danificado, tem todo o direito em acionar a garantia, mesmo que se trate de um eletrodoméstico usado.

Note contudo que, se decidir comprar um produto com defeito visível e anunciado, não pode depois querer devolver o artigo por esse motivo, nem pedir a reparação da respetiva falha.

Veja também