Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
André Freitas
André Freitas
27 Ago, 2020 - 18:32

Enjoa a andar de carro? Esta é a solução para ter uma viagem calma

André Freitas

Se sofre de cinetose, vai querer ler este artigo. Descubra como acabar com os enjoos no carro e comece a desfrutar todas as viagens.

Crianças

Se enjoa ao andar de carro, qualquer viagem pode tornar-se numa dor de cabeça, literalmente. Cada aceleração, travagem, curva e contracurva contribuem para uma sensação de mal-estar generalizado que só tende a piorar com o avançar do caminho.

Alguns dos sintomas sentidos por quem enjoa ao andar de carro são náuseas, vómitos, suores frios, perda de equilíbrio, dores de cabeça e fadiga. Conhecido vulgarmente por enjoo do movimento, este distúrbio tem, na realidade, um nome específico: cinetose.

A cinetose aplica-se aos enjoos provocados pelo movimento de qualquer tipo de transporte. Contudo, neste artigo vamos focar-nos nos enjoos ao andar de carro, uma vez que são os mais comuns.

Se enjoa ao andar de carro, saiba que não está sozinho. Este distúrbio é bastante comum e mais predominante em mulheres adultas e crianças entre os 2 e 12 anos de idade. Neste artigo vamos explicar em que consiste a cinetose, quais as causas deste distúrbio e como prevenir ou tratá-lo.

cinetose: porque é que enjoa a andar de carro?

Enjoar a andar de carro

Antes de apresentar soluções para este problema, é importante perceber em que consiste a cinetose. Saber como o enjoo é despoletado e os fatores que contribuem para o surgimento ou agravamento da cinetose vão dar-lhe um maior conhecimento e controlo sobre o problema.

Com esta informação conseguirá evitar algumas situações mais extremas e adotar práticas que minimizem os sintomas do dia-a-dia para si, ou para os seus filhos.

O que é a cinetose?

A cinetose é um distúrbio do sistema vestibular – conjunto de órgãos do ouvido interno que são responsáveis pelo equilíbrio.

Os enjoos surgem quando este sistema recebe duas informações sensoriais contraditórias enviadas pela visão e nervos periféricos – o corpo está parado, mas o carro em movimento – e não as consegue descodificar. 

O que provoca o enjoo?

O que provoca o enjoo é então o facto de o sistema vestibular não conseguir interpretar corretamente as informações que recebe.

Quando caminhamos, todos os nossos sentidos conseguem interpretar facilmente que nos encontramos em movimento. Por outro lado, quando andamos de carro, isto já não acontece pois estamos parados e em movimento ao mesmo tempo.

Esta informação contraditória causa confusão no cérebro, levando a que este desenvolva vários sintomas.

Embora as náuseas e os vómitos possam parecer os mais comuns, na realidade a cinetose caracteriza-se por um conjunto de vários outros sintomas como tonturas, vertigens, suores frios, dores de cabeça, entre vários outros, sendo que estes variam pessoa para pessoa.

Também a intensidade dos sintomas pode ser variável, sendo que tendem a melhorar com a constante exposição ao fator desencadeador.

Os sintomas podem ir piorando à medida que a viagem de carro avança já que depois de despoletados são difíceis de controlar. No entanto, o mais provável é que depois de várias viagens de carro os sintomas se tornem mais leves até acabarem por desaparecer.

Quem é mais suscetível ao enjoo do movimento

O condutor tem que se concentrar na tarefa de conduzir. Isto faz com que o seu cérebro esteja focado nesta função e não depolete tão facilmente sintomas associados à cinetose.

O condutor é, assim, o elemento menos propenso ao desenvolvimentos de sintomas.

Contudo, existem, de facto, pessoas mais sensíveis ou propensas ao desenvolvimento do distúrbio. Essas pessoas são:

  • Mulheres;
  • crianças entre os 2 e os 12 anos;
  • Grávidas;
  • Pessoas com historial familiar de cinetose;
  • Pessoas que sofram de enxaquecas regulares;
  • Pessoas que sofram de vertigens;
  • Pessoas que sofram de ansiedade.

O tipo de condução também contribui para o surgimento de sintomas mais ou menos intensos.

Quanto mais sinuoso o trajeto (curvas, desníveis, alterações repentinas da velocidade), maior a probabilidade de enjoar ao andar de carro e de que os sintomas sejam mais severos.

Como evitar ficar enjoado ao andar de carro

Criança a vomitar

O ideal para evitar o surgimento de enjoos começa por tentar ter uma viagem tranquila e suave. As velocidades devem ser constantes e o trajeto deverá ser o menos sinuoso possível.

É importante que a viagem seja calma desde o início, e não desde que começa a sentir alguns sintomas.

Para evitar que o cérebro tenha dificuldade em interpretar as informações recolhidas, o melhor é fazer o seguinte: fixar o olhar em pontos específicos no seu horizonte de visão, mas fora do carro. Olhar para um ponto dentro do carro vai aumentar a má disposição.

Para além deste conselho, existem outras dicas que o poderão ajudar

11 dicas para diminuir os enjoos durante viagens de carro

  1. Se costuma enjoar no banco do passageiro ou traseiros, opte por conduzir o carro, se possível;
  2. Se não for possível conduzir, opte por viajar no lugar do “pendura” já que é mais fácil focar um determinado ponto no exterior e sentirá menos as oscilações do veículo;
  3. Viaje com os olhos fechados;
  4. Não leia, escreva, ou utilize o telemóvel durante a viagem;
  5. Mantenha-se hidratado;
  6. Evite comer com o carro em movimento e não faça refeições pesadas antes de iniciar viagem;
  7. Evite beber bebidas alcoólicas durante a viagem;
  8. Não fume dentro do carro;
  9. Garanta que o carro está limpo e, especialmente, que não tenha maus odores;
  10. Deve garantir a correta climatização do automóvel, evitando que este esteja demasiado quente;
  11. Abra as janelas para fazer circular o ar.

Todas estas dicas são úteis para todos os passageiros do automóvel. No entanto, existem algumas dicas específicas para crianças que enjoam ao andar de carro. Essas dicas são:

  • As crianças devem viajar em cadeiras altas, para que consigam fixar pontos específicos no exterior;
  • Se possível, as crianças devem viajar enquanto dormem;
  • Realizar atividades como cantar, contar histórias ou realizar jogos ajudam a criança a concentrar-se e evitam os enjoos;
  • Se a criança já tiver 12 anos ou 135 cm de altura, já poderá viajar no lugar do “pendura”, o que ajuda a evitar a cinetose.

Se conseguir garantir uma viagem calma e um veículo limpo, fresco e sem odores desagradáveis, a probabilidade de enjoar durante a viagem será menor.

Depois tem apenas que ensinar os seus filhos a fixar um ponto específico no horizonte (e adotar também esta técnica caso tenha tendência para enjoar). A probabilidade de enjoar será bastante menor.

Faça ainda algumas paragens caso a viagem seja longa. Isso permitirá que descanse e alivie alguns sintomas.

Tratamento da cinetose

Contudo, estas técnicas de prevenção nem sempre são o suficiente para evitar enjoar ao andar de carro.

Pode ser necessário prevenir diretamente os sintomas que surgirem, ou tratar a cinetose através de terapia de reabilitação (em casos muito graves).

Assim, para tratar diretamente os sintomas, pode ser necessário tomar comprimidos para prevenir enjoos (ou utilizar adesivos para o efeito). Comprimidos de gengibre são uma opção mais natural.

Não se automedique pois é essencial ter um diagnóstico correto. Tente seguir as nossas dicas e, caso não sejam suficientes, consulte o seu médico.

Outra dica importante: não desespere. Os sintomas têm tendência a desaparecer e a ansiedade só contribui para o aumento e gravidade dos sintomas.

Em casos mais graves, em que estas dicas não funcionem, recomenda-se que consulte um médico. Através de comprimidos prescritos por um profissional de saúde competente irá conseguir resolver este problema.

Veja também