ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
26 Ago, 2021 - 11:50

Estofar o carro: como disfarçar o passar do tempo

Afonso Aguiar

Descubra como estofar o carro de forma a evitar comprar novos. Principalmente se os estofos forem em pele ou materiais sintéticos, vai poupar na carteira.

Homem a estofar o carro

Estofar o carro nunca é uma escolha fácil. Hoje em dia, com uma maior diversidade de opções, essa decisão torna-se ainda mais complicada.

Antigamente, as escolhas óbvias e possíveis eram entre os estofos em pele ou em tecido. Se, de um lado, os de pele ofereciam uma maior durabilidade, facilidade de limpar e esteticamente eram, e são, os mais elegantes; por outro, os em tecido garantiam um maior conforto e sempre foram mais baratos.

Ainda assim, apesar do preço mais acessível, os estofos em tecido são difíceis de reparar (a não ser que seja uma coisa muito ligeira e a arte de coser tecido seja excecional), enquanto o reparo dos estofos em pele, derivado também da necessidade de aliviar a carteira, foi alvo de uma série de inovações e evoluções. Hoje em dia é perfeitamente exequível disfarçar quase com perfeição o passar do tempo.

Ou seja, com o evoluir das técnicas de reparo, optar por estofos em pele começou a compensar financeiramente, principalmente para quem pretende manter o mesmo veículo durante muito tempo.

Com a introdução das peles sintéticas, os estofos em couro ou semelhantes tornaram-se ainda mais populares. Foi com esse intuito que fomos foi pesquisar a melhor forma de arranjar os estofos do seu carro.

Estofar o carro: como reparar velhos, danificados ou coçados

Na maior parte das vezes, quando os estofos em tecido sofrem danos, estes são praticamente irreparáveis, sendo necessário mesmo trocá-los por uns novos. Já os estofos em pele, ou materiais sintéticos semelhantes, têm, até determinado ponto (dependendo sempre de caso para caso), reparação.

Estofos com riscos, fissuras e cortes

Para reparar a pele, caso apresente riscos, fissuras ou cortes, deve ter consigo, pelo menos, os seguintes seis utensílios: um x-ato, um amaciador próprio para pele, creme ou gel de reparação próprio, pasta de enchimento e, finalmente, tinta e pincel (ou parecido) para pintar e material próprio de limpeza. Todos estes materiais podem ser adquiridos por valores inferiores a 10 euros.

  • Primeiro, utilizando o x-ato, deve cortar todo o tipo de lixo ou materiais soltos ou alterados. O objetivo passa por alisar e uniformizar o couro.
  • Depois de alisar a superfície da zona danificada, deve encher o interior da zona que tenha cortes, riscos ou fissuras com pasta de enchimento e aquecer (com um secador, por exemplo, para solidificar) e deixar secar. Caso seja um corte ou risco pequeno, possivelmente poderá avançar esta etapa.
  • O terceiro passo resume-se à zona “partida” ou danificada. Nesse mesmo local, deve utilizar o gel ou creme de reparação para voltar a colar as partes separadas do couro. Não se esqueça que, mais uma vez, deve deixar secar.
  • O penúltimo passo consiste em pintar a pele. Para isso deve comprar tinta especial para pintar para o efeito e utilizar o pincel de forma suave. Caso não encontre a mesma cor, e pretenda mudar a cor da pintura total dos estofos do carro, pode usar álcool isopropílico e lixar as partes mais brilhantes com uma lixa de água para retirar a cor. Depois de misturar a tinta e a água em proporções iguais, pode então aplicar a tinta no couro e deixar secar cerca de duas ou três horas. Não se esqueça de aplicar mais que uma demão.
  • O último passo também implica o uso de mais do que uma demão, mas neste caso do amaciador. É um dos atos mais simples. Depois de pintado, utilizando mais que uma vez o amaciado próprio para pele, espalhe-o por toda a superfície e depois limpe toda a zona com produtos de limpeza adequados. A pele seca facilmente (as peles sintéticas normalmente não precisam de tanto cuidado) e, portanto, ao amaciá-lo vai perder o ar velho e coçado com que provavelmente terá ficado e voltará a brilhar.
Estofos de carro coçados

Estofos coçados ou velhos

Caso os estofos não apresentem nenhum tipo de riscos, fissuras ou cortes e estejam apenas coçados, pode utilizar apenas o primeiro e o último passo para voltar a pôr os seus estofos como se estivessem novos.

Estofar o carro: a prevenção é a melhor solução

O couro principalmente, mas materiais sintéticos também, são muito duradouros. Porém, também são muito suscetíveis a sujidades e ao calor (uma vez que seca). Portanto, a melhor forma de prevenir danos no couro é limpá-los regularmente com produtos de limpeza próprios, tendo cuidado de retirar materiais (mesmo que do tamanho de uma migalha) corrosivos ou que possam provocar riscos.

Além disso, deve evitar deixá-los ao sol durante muito tempo. O uso das garagens, além de proteger a pintura do carro, tem ainda a vantagem de permitir proteger os estofos dos estragos provocados pelo calor.

Quanto aos estofos em tecido, a lógica é idêntica. Limpá-los regularmente, retirando materiais que possam provocar fissuras e estragos, é a melhor solução. A diferença é que, neste caso, o calor não é um inconveniente tão grande.

Veja também