ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Marta Maia
Marta Maia
08 Jun, 2021 - 11:04

A nova etiqueta de eficiência energética: o que precisa de saber

Marta Maia

Saiba como interpretar a nova etiqueta de eficiência energética e o que muda em relação à que estava em vigor até agora.

etiqueta de eficiência energética

Uma das novidades que o ano de 2021 trouxe aos consumidores foi uma nova etiqueta de eficiência energética dentro do espaço europeu. Esta etiqueta, que traduz o grau de poupança de energia de todos os eletrodomésticos e aparelhos eletrónicos, tem agora novas regras.

Do lado dos consumidores, pode esperar-se maior transparência, mas é natural que, numa primeira fase, a etiqueta de eficiência energética comece por provocar alguma confusão – afinal, aparelhos que até aqui estavam no topo da escala vão passar a estar em níveis intermédios.

Percorremos as novas regras desta etiqueta e explicamos o que muda em relação às etiquetas antigas.

Entrada em vigor da nova etiqueta de eficiência energética

nova etiqueta de eficiência energética de eletrodomésticos

Desde 1 de março de 2021 que todos os fabricantes são obrigados a incluir a nova etiqueta de eficiência energética nos produtos que vendem dentro do mercado europeu: televisores, frigoríficos e arcas congeladoras, máquinas de lavar loiça, máquinas de lavar roupa e máquinas de lavar e secar a roupa.

Também as lâmpadas LED vão passar a estar abrangidas pela obrigatoriedade da nova etiqueta a partir de setembro. Os restantes equipamentos – ar condicionado, secadores de roupa, aquecedores de ambiente e água, entre outros – deverão ter datas de entrada em vigor diferentes – que ainda não foram anunciadas.

As novidades na etiqueta de eficiência energética

A nova escala

A principal novidade da nova etiqueta de eficiência energética é a escala de eficiência. Os níveis “+” vão desaparecer (por exemplo, deixa de haver equipamentos de categoria A+ ou A++) e dar lugar a uma escala maior, com níveis de A a G, sem símbolos.

O código QR

A acompanhar a nova escala de eficiência, a etiqueta de eficiência energética passa a incluir um código QR que encaminha os consumidores para uma base de dados gerida pela União Europeia (EPREL).

Nesta base de dados, os consumidores podem aceder a informação detalhada sobre os produtos que compram, conhecendo melhor os critérios que estiveram na base da sua categoria energética.

Diferentes produtos, diferentes ritmos e mudanças

É importante saber que a nova etiqueta de eficiência energética não vai entrar em vigor para todos os produtos ao mesmo tempo – será aplicada por categorias de produto. No entanto, ela já pode ser incluída pelos fabricantes, se assim o entenderem, no interior das caixas (não dispensando a apresentação da etiqueta antiga).

Também é relevante salientar que diferentes categorias de produtos podem apresentar diferentes informações na etiqueta de eficiência energética, adaptadas ao tipo de produto e ao que é mais importante do ponto de vista do consumidor.

Assim, espere já ver mudanças nas etiquetas das seguintes categorias de produtos:

1

Aparelhos de refrigeração

Além da escala, a etiqueta de eficiência energética para estes produtos vai passar a ter um código QR, um ícone diferente para compartimentos de refrigeração e compartimentos de congelação, e um ícone específico para traduzir a eficiência em termos de emissão de ruído (acompanhado por informação adicional sobre a classe de emissão sonora daquele equipamento).

nova etiqueta energética
2

Aparelhos de armazenagem de vinho

À semelhança do ponto anterior, a etiqueta de eficiência energética destes equipamentos passa a ter um código QR, um ícone novo para garrafas de vinho e uma sinalização relativa à classe emissora de ruído.

3

Máquinas de lavar roupa

A nova etiqueta de eficiência energética para estes aparelhos passa a ter, além o código QR, uma classificação do consumo energético específico para 100 ciclos de lavagem. Também passa a ter de informar sobre a capacidade nominal da máquina e sobre a duração do programa “Eco 40-60”, bem como sobre o consumo de água ponderado por cada ciclo de lavagem.

Todas estas informações devem ser complementadas na etiqueta por uma classificação de ruído no programa de centrifugação, que é sempre o mais barulhento de todos.

4

Máquinas de lavar e lavar/secar roupa

Nestas máquinas a etiqueta de eficiência energética passa a ser combinada para lavagem e lavagem/secagem.

Também aqui o código QR passa a ser obrigatório. A etiqueta partilha ainda algumas informações adicionais como consumo energético para 100 ciclos, duração desses ciclos (dividida em ciclos de lavagem e ciclos completos – lavagem e secagem), consumo de água ponderado por cada ciclo e um ícone específico para a classe de emissão sonora.

5

Máquinas de lavar loiça

As novas regras para as máquinas da loiça são muito semelhantes às que se aplicam às máquinas da roupa. Nestes casos, a etiqueta de eficiência energética tem de ter um código QR, uma especificação do consumo energético para 100 ciclos no programa ECO, informação sobre a capacidade nominal do ciclo “Eco 40-60”, o consumo de água ponderado e a duração do programa ECO e a classificação da emissão sonora.

6

Televisores e ecrãs eletrónicos

Para esta categoria de produto também se acrescenta um código QR na etiqueta de eficiência energética. Além disso, a mesma etiqueta deve ter informação sobre o consumo energético estimado para 1000h de operação dos aparelhos – em condições regulares e em modo HDR (que pode ter até uma classe de eficiência energética própria).

Por outro lado, nesta etiqueta desaparecem as indicações de potência e de interruptor.

Ainda de acordo com as novas regras, na etiqueta de eficiência energética passa a ter de constar o tamanho do ecrã, ou seja, o número de pixéis em horizontal e vertical.

7

Fontes de luz

Nas lâmpadas LED a única alteração aplicável à etiqueta de eficiência energética diz respeito à introdução do código QR (além da nova escala de classificação).

O que vai notar nas novas etiquetas

Além da informação mais clara e transparente, é normal que, nos primeiros tempos, a nova etiqueta de eficiência energética lhe dê a sensação de que os aparelhos ficaram piores. A verdade é que os aparelhos são os mesmos e têm as mesmas características que tinham, os critérios de avaliação é que mudaram.

Na nova escala, os aparelhos que até aqui tinham excelentes classificações energéticas (como A+++) podem aparecer mais para o meio da tabela. Em consequência, aparelhos com a classificação antiga de A+ deverão descer ainda mais.

Por outro lado, nem vale a pena procurar aparelhos que estejam na categoria A da nova escala, porque não existem: ela vai ser deixada vazia propositadamente pela União Europeia para incentivar os fabricantes a um esforço extra no sentido de criarem produtos verdadeiramente eficientes.

Veja também