Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Gonçalves
Catarina Gonçalves
22 Jul, 2020 - 14:10

Costuma analisar a sua fatura de eletricidade? Está na hora de o fazer

Catarina Gonçalves

Neste artigo damos-lhe boas pistas para aprender a interpretar a fatura da eletricidade e gás. Saiba o que está a pagar e a consumir e até como pode poupar.

fatura-eletricidade

A conta da luz e do gás chegam à sua mão regularmente, mas apesar da familiaridade com a despesa, interpretar a fatura da eletricidade pode não ser assim tão intuitivo.

Conhecer bem toda a informação presente nessa fatura pode contribuir para evitar enganos, saber exatamente o que está a pagar e a consumir e até para poder poupar nesta despesa fixa do seu orçamento familiar.

COMO ANALISAR E INTERPRETAR A SUA FATURA DA ELETRICIDADE E DO GÁS?

Embora cada fornecedor tenha o seu próprio formato, a informação presente na fatura de eletricidade é parecida. Saber quanto paga pela eletricidade e gás natural, bem como quais os custos das taxas e impostos aplicados, é assim um exercício semelhante, qualquer que seja a empresa que lhe presta o serviço.

1

Montante a pagar e respetivo prazo

montante-pagamento-prazo-edp
Exemplo fatura EDP

Esta informação costuma surgir de forma bastante visível e quase sempre no topo da folha de rosto da sua fatura de eletricidade. Contém o valor total devido pelo serviço(s) contratado(s), bem como a distribuição desses custos pelas várias componentes faturadas, onde se incluem taxas e impostos. É também indicada a data limite até à qual pode fazer o pagamento.

2

Dados do contrato e do titular

Esta secção contém informação sobre o titular do contrato da luz (nome, morada de fornecimento e número de contribuinte), bem como o produto fornecido (eletricidade, gás e outros serviços de apoio e reparação) a potência e o ciclo horário contratados. Encontra ainda os códigos CPE – Código de Ponto de Entrega – e CUI – Código Universal de Instalação.

CPE e CUI trocado por miúdos

O CPE – Código de Ponto de Entrega – corresponde ao número de identificação da sua instalação de eletricidade, enquanto que o CUI – Código Universal de Instalação – identifica a sua instalação de gás natural.

dados-contrato-titular EDP
Exemplo fatura EDP
2

Dados do fornecedor

Nesta secção encontra um conjunto de números de telefone para utilizar em diferentes ocasiões como atendimento a clientes, comunicação de leituras e ainda em caso de avaria ou falhas de fornecimento.

dados-fornecedor edp
Exemplo fatura EDP
3

Leituras do contador

Nesta parte da fatura pode consultar a quantidade de eletricidade e ou de gás que lhe está a ser cobrada naquele período de tempo. Essa contagem pode ser real, caso tenha sido comunicada por si ou por um técnico da empresa fornecedora, ou pode tratar-se de uma leitura estimada, tendo em conta os seus consumos históricos.

leituras-contador-edp
Exemplo fatura EDP

Se a sua fatura de eletricidade costuma vir com uma leitura estimada, então é possível que esteja a pagar mais (ou menos) do que efetivamente consumiu. É verdade que as leituras estimadas são alvo de acertos logo que seja feita uma leitura real e que o respetivo ajuste virá igualmente identificado no detalhe da fatura seguinte.

Ainda assim, no mês do acerto, pode ser desagradável receber uma conta maior do que aquela que previa, se por acaso as suas leituras estimadas tiverem sido inferiores àquilo que realmente consumiu. Já se as estimativas tiverem sido superiores aos consumos reais, esteve a adiantar dinheiro à empresa fornecedora sem necessidade. Dinheiro que até lhe podia fazer falta para outras coisas.

Para evitar este tipo de surpresas, o melhor mesmo é ir comunicando regularmente a contagem de energia. Nesta secção encontra as datas em que deve enviar as suas leituras e os meios disponíveis para o fazer.

técnico a fazer a contagem da luz
Veja também Como e porquê fazer a contagem da luz e da água
5

Detalhe da fatura

Se for percorrendo a sua fatura de eletricidade encontrará informação pormenorizada que justifica o valor total a pagar e é nesta secção que deve ter mais atenção. Aqui pode ver o custo por kWh em função da quantidade gasta e da potência contratada, eventuais abatimentos bem como informação sobre taxas e impostos.

fatura-gastos-edp1
Exemplo fatura EDP
6

Taxas e outros impostos

IVA

Ao montante cobrado pela eletricidade e gás acresce também o IVA. A taxa aplicada depende no entanto da potência contratada, no caso da eletricidade, e da pressão, no caso do gás.

Assim, e de acordo com o estabelecido pelo Decreto-Lei nº 60/2019:

  • Para os contratos com uma potência igual ou inferior a 3,45 kVa e com consumos de gás natural de baixa pressão inferiores a 10.000 m3 por ano aplica-se a taxa de IVA reduzida de 6% em Portugal continental e de 4 % e 5 %, respetivamente, nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.
  • Para potências superiores a 3,45 kVA aplica-se a taxa de IVA normal de 23%.

Taxa de Exploração das Instalações Elétricas (DGEG)

Esta taxa aplica-se sobre a utilização e exploração de instalações energéticas e a sua fixação está a cargo da Direção-Geral de Energia e Geologia e a taxa fixa por mês é de 7 cêntimos.

Imposto Especial de Consumo de Eletricidade (IEC)

O IEC existe desde 2012 e é aplicado pelos comercializadores de eletricidade aos seus clientes. Em Portugal continental a taxa está fixa em 0,001 € por kWh.

Contribuição para o Audiovisual (CAV)

A CAV tem como objetivo financiar o serviço público de radiodifusão e televisão. O valor mensal desta contribuição é de 2,85 euros acrescidos de IVA a 6%, mas desce para 1 euro + IVA (6%) para quem estiver abrangido pela tarifa social. Podem ainda estar isentos do pagamento desta taxa, os clientes cujo consumo de eletricidade anual fique abaixo de 400 kWh ou que desempenhem atividades exclusivamente agrícolas.

Taxa de ocupação do subsolo (TDS)

Respeita à utilização e aproveitamento do domínio público e privado municipal. É definida por cada município e paga pelos seus consumidores de gás natural. Esta taxa é composta por um termo variável, aplicado sobre o consumo de gás natural (kWh) e por um termo fixo, aplicado sobre o número de dias do período de faturação.

Imposto Especial de Consumo de Gás Natural (IECGN)

Este imposto foi introduzido em 2013 e corresponde a uma subcategoria dos impostos sobre produtos petrolíferos e energéticos. É aplicado pelos comercializadores de gás natural aos seus clientes, que depois o entregam ao Estado. 

7

Diferenças entre o preço do seu contrato e a tarifa regulada

É obrigatório existir informação sobre o que pagaria pelo mesmo consumo de eletricidade no caso de ter tarifa regulada e é nesta secção da fatura que o pode consultar.

Note porém que os fornecedores não estão obrigados a disponibilizar aos seus clientes este tipo de ofertas, também conhecidas por ofertas em “condições de preço regulado”. Como tal, muitos decidem não o fazer.

8

Pegada ecológica

secção sobre a pegada ecológica na fatura de eletricidade
Exemplo fatura EDP

Esta área mantém-no a par das emissões de CO2 que o seu consumo de eletricidade e gás natural provocaram. Pode também saber quais as fontes de energia primárias utilizadas na produção de eletricidade que consumiu.

O QUE TER EM CONTA NA ANÁLISE DA FATURA DA ELETRICIDADE?

Há três dados fundamentais a ter em conta nesta análise para saber quanto está a pagar de eletricidade e poder confirmar se o valor final está correto:

  • A quantidade consumida;
  • O preço por kWh que está a ser cobrado;
  • Os custos que tem com a potência contratada;
  • As taxas e impostos que lhe são aplicados.

O valor final a pagar será o resultado da aplicação da seguinte fórmula:

  • Total faturado = (eletricidade consumida em kWh x preço/kWh) + (custos com a potência) + taxas e impostos

ATENÇÃO À POTÊNCIA CONTRATADA PARA POUPAR NA CONTA DA LUZ

A potência contratada é, no fundo, o que define a capacidade de energia que terá disponível para consumo num dado momento. Em termos simples podemos dizer que é aquilo que lhe permite ligar simultaneamente vários eletrodomésticos sem que a luz vá a baixo.

Este é também um aspeto fulcral a ter em conta para poder calibrar o montante que paga de eletricidade.

Adapte a potência contratada ao que realmente precisa

Para uso doméstico, as potências contratadas variam normalmente entre os 3,45 kVA aos 6,9 kVA.

Se costuma ter vários equipamentos a trabalhar em simultâneo, o que é muito comum em famílias numerosas, por exemplo, em princípio precisará de maior potência para não correr o risco de ter haver falhas de eletricidade e até eventuais avarias como consequência disso.

Mas pode também dar-se o caso de ter uma potência contratada superior às suas necessidades e, se assim for, estará a desperdiçar dinheiro e a pagar por algo que não precisa nem utiliza.

O melhor é verificar qual a potência que tem contratada e quais as suas reais necessidades. Alguns fornecedores disponibilizam nos seus sites simuladores de potência, em que pode selecionar os equipamentos que costuma utilizar ao mesmo tempo em sua casa de forma a descobrir qual a potência recomendada.

Veja também