ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Ana Graça
Ana Graça
02 Jul, 2018 - 15:45

Fertilização in vitro: conheça todas as etapas deste tratamento

Ana Graça

A fertilização in vitro é um dos métodos de tratamento de infertilidade mais utilizados e, em Portugal, existem diversos locais para o fazer.

Fertilização in vitro: conheça todas as etapas deste tratamento

Em todo o mundo verifica-se um aumento da prevalência da infertilidade, o que justifica o aumento da procura de tratamentos de reprodução medicamente assistida. A fertilização in vitro continua a ser uma das opções mais efetivas para o tratamento da infertilidade.

Compreender a infertilidade

A infertilidade pode ser definida como uma doença do sistema reprodutivo, ou seja, caracteriza-se pela diminuição da capacidade de conceber em relação à população geral.

Não existe consenso em relação ao período que se deve considerar para concluir que o casal é infértil, havendo autores que consideram infertilidade a incapacidade de um casal conceber após um ano de relações sexuais desprotegidas, enquanto outros apenas consideram o problema após dois anos de relações sexuais regulares e desprotegidas.

O problema de infertilidade pode estar relacionado com anomalias do sistema reprodutor feminino (obstrução das trompas; perturbação da ovulação; endometriose; muco cervical desfavorável) ou masculino (diminuição do número de espermatozoides; espermatozoides com mobilidade reduzida; configuração anormal e ausência de espermatozoides).

A infertilidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde um problema grave de saúde pública. Estima-se que entre 60 a 80 milhões de casais em todo o mundo tenham problemas de fertilidade e que a incidência tenda a aumentar. Felizmente, crescem também as soluções de tratamento.

Uma vez diagnosticada a causa da infertilidade, os casais são encaminhados para o tratamento mais adequado ao seu caso. A primeira abordagem passa pela medicação e pelos chamados tratamentos de primeira linha: indução de ovulação ou outras intervenções cirúrgicas disponíveis.

Quando não é possível por esses meios, a solução passa pelo recurso às várias técnicas de procriação medicamente assistida, designadas por tratamentos de segunda linha. A fertilização in vitro é uma destas técnicas de segunda linha.

processo de fertilizacao in vitro

Acesso aos tratamentos em Portugal

Em Portugal, a oferta do Serviço Nacional de Saúde concentra-se num número reduzido de serviços e é claramente insuficiente. Da mesma fora, os cuidados privados estão concentrados geograficamente em grandes cidades e são muito dispendiosos.

Diversos estudos mostram que o custo dos tratamentos continua a constituir uma importante barreira no acesso aos cuidados de infertilidade em Portugal, na medida em que para além dos elevados custos dos tratamentos (por exemplo, fertilização in vitro custa cerca 4000€ no serviço privado) acrescem ainda os custos com a medicação que, apesar da comparticipação pública, são bastante elevados. Os valores apresentados são referentes a apenas um ciclo, sendo muito poucos os casais que têm sucesso no primeiro tratamento.

O processo de fertilização in vitro

A fertilização in vitro consiste na fertilização dos óvulos pelos espermatozoides em laboratório, no subsequente desenvolvimento embrionário e na transferência dos embriões assim obtidos para o útero.

Dito de forma simples, os ovócitos são recolhidos dos ovários da mulher e, de seguida, fecundados com espermatozoides do homem em laboratório. Os embriões conseguidos são, depois, transferidos para o útero da mulher.

A maior parte dos casais engravida, em média, com 2 a 3 tentativas de fertilização in vitro, embora a taxa de sucesso seja variável em função das características de cada casal.

O processo da fertilização in vitro decorre em várias fases

1) Estimulação do desenvolvimento e maturação das células reprodutoras femininas através do recurso a medicamentos injetáveis;

2) Punção dos ovários para recolha de ovócitos;

3) Recolha de células reprodutoras masculinas (espermatozoides);

4) Procedimentos laboratoriais que têm como objetivo a fecundação dos ovócitos pelos espermatozoides e consequente formação de embriões;

5) Remoção de uma ou mais células de cada embrião e posterior diagnóstico;

6) Transferência de embriões para o útero.

Em suma

Em Portugal, existem vários locais autorizados onde se podem realizar todas as técnicas de procriação medicamente assistida, entre as quais se inclui a fertilização in vitro.

Os casais podem optar entre o serviço público e o serviço privado. Na hora da escolha, os casais devem procurar conhecer a taxa de sucesso do local, a qualidade da equipa médica e custos associados a cada etapa do tratamento.

Veja também: