Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
01 Abr, 2020 - 14:09

Flatulência: causas e soluções para este problema

Teresa Campos

A flatulência pode ser um problema de saúde. Conheça as causas e as soluções que podem ajudá-lo a sentir-se melhor e a recuperar o seu bem-estar.

Mulher com dores de diarreia

Este é daqueles temas que rouba sempre uns sorrisos e uns rostos corados. Porém, é importante falar sobre as causas e soluções para a flatulência, pois este é um problema real que afeta uma larga percentagem de pessoas.

Embora, como vai ver, seja uma situação perfeitamente normal, há casos onde esta condição se torna patológica, podendo começar a comprometer as tarefas e compromissos do dia-a-dia do indivíduo. Aí, é necessário parar e perceber o que é que realmente está na base deste distúrbio. No entanto, acredite que quase sempre a solução está mesmo na alimentação.

Flatulência: causas e soluções para acabar com este incómodo

Convém começar por explicar o que é, afinal, a flatulência. Ora, a flatulência está associada à presença de gases no tubo digestivo.

Durante o processo de mastigação, por exemplo, nós engolimos ar e parte desse ar é expelido através da eructação (vulgarmente designada de arroto) e outra parte segue pelo estômago até chegar, então, ao tubo digestivo.

Assim sendo, se for deglutida uma grande quantidade de ar, isso irá gerar mais flatulência.

Homem com obstipação

Causas

Além da causa explanada nos parágrafos anteriores, importa dizer que no aparelho gastrointestinal também se formam outros gases. Assim, o hidrogénio, o metano e o anidrido carbónico são produzidos pelo próprio metabolismo bacteriano dos alimentos. Alguns alimentos vão potenciar mais esse metabolismo e, logo, a libertação desses gases.

É o caso dos feijões, couves, grão, repolho, couve-de-bruxelas, brócolos, espargos, ervilhas, cebola, fruta, sumos e produtos dietéticos “sem açúcar”, trigo, milho, cevada, leite e derivados lácteos… Todos ingredientes normalmente associados ao surgimento de flatulência.

Há, ainda, a situação dos indivíduos com deficiência das enzimas que fragmentam certos açúcares. Esta circunstância faz com que eles produzam maiores quantidades de gás, principalmente quando consomem alimentos com esses açúcares.

Outros casos a considerar são os da deficiência de lactase, da diarreia tropical e da insuficiência pancreática, igualmente suscitadores de uma produção mais elevada de gás.

Comer, regularmente, alimentos de difícil digestão, como aqueles que são ricos em fibras, também pode ser um motivo desencadeador da flatulência, assim como os antibióticos, a síndrome do cólon irritável e os quadros de má-absorção.

Sintomas

As consequências mais imediatas deste problema é a expulsão excessiva de gases pelo ânus. Porém, convém referir que a existência de gases a circular dentro do corpo também pode resultar em sintomas como a eructação, a dor abdominal ou a distensão.

Importa, ainda, referir que nem todos os organismos reagem da mesma maneira à presença destes gases, havendo pessoas que toleram, sem qualquer reação, grande quantidade de gás no corpo.

resoluções de ano novo: fazer uma alimentação equilibrada

Diagnóstico

Em casos severos, pode ser relevante proceder ao diagnóstico e perceber exatamente qual a origem deste problema, de modo a tentar solucioná-lo. Para isso, deve falar com o seu médico que pode requisitar uma tomografia, ecografia abdominal, radiografia com contraste, análises ao sangue e/ou endoscopia alta ou baixa.

Slow food: abrande o ritmo! Coma melhor e mais devagar
Veja também Slow food: abrande o ritmo! Coma melhor e mais devagar

Tratamento

Na maior parte dos casos, a resolução desta condição passa por fazer algumas alterações nos hábitos de vida e alimentares do indivíduo. Deve, sobretudo, tentar comer mais devagar, mastigar melhor e ser mais criterioso nos alimentos que ingere.

Evitar o leite e os produtos lácteos, certas frutas e vegetais e, ainda, outros alimentos indicados pelo médico podem ser formas de controlar este incómodo. Eliminar as bebidas gaseificadas da sua dieta diária é outro passo essencial.

Existem ainda alguns fármacos disponíveis para o efeito, mas as mudanças alimentares surtirão, sem dúvida, mais efeito.

Prevenção

No fundo, para evitar este desconforto deve fazer o mesmo que deve fazer se já o tiver, ou seja, comer melhor e mais devagar. Além disso, contrariar o sedentarismo é, também, uma medida central. Caminhar ou mexer-se 10 a 15 minutos entre as refeições, previne situações de enfartamento e flatulência.

Veja também